MERCADO de SAN CRISTÓBAL: O mercado mais antigo da cidade de Buenos Aires

No cruzamento das avenidas Independencia e Entre Ríos funciona o centro comercial mais antigo da cidade, fundado em 1882, onde coexistem feiras americanas, açougues, antiquários e muitas outras surpresas.

Não é um local tipicamente turístico. O edifício atual foi construído sob o projeto do famoso estúdio de arquitetura SEPRA, autor de centenas de projetos que transformaram a cara de Buenos Aires. As 180 lojas do mercado atendem às necessidades dos moradores do bairro, já o Bar Gardel é um estabelecimento que ocupa a mesma esquina há muitos anos e desde a década de 1930 era conhecido como “Bar Gardel”. Continue lendo “MERCADO de SAN CRISTÓBAL: O mercado mais antigo da cidade de Buenos Aires”

Biblioteca Nacional – Parte II: A obra maestra de Clorindo Testa que demorou 30 anos em ser construída

A Biblioteca Nacional é uma obra emblemática da arquitetura moderna argentina. A obra teve início em 1971 e levou 30 anos para ser concluída. Neste post vamos conhecer detalhes da obra maestra do arquiteto Clorindo Testa, onde a sala de exposições, o auditório e a confeitaria funcionam como elementos escultóricos que estão pendurados na estrutura.

O edifício foi declarado Monumento Histórico Nacional em 2017. Continue lendo “Biblioteca Nacional – Parte II: A obra maestra de Clorindo Testa que demorou 30 anos em ser construída”

BIBLIOTECA NACIONAL – Parte I: Como a residência presidencial “Quinta Unzué” virou biblioteca

A Biblioteca Nacional foi dirigida pelo escritor Jorge Luis Borges durante 18 anos e finalmente construída onde um dia foi a residência do presidente Juan Domingo Perón e de sua esposa Evita.

Depois do golpe militar de 1955 a residência foi demolida, no local foi projetada a Biblioteca Nacional, a obra que demoro 30 anos em concluir, tornou-se uma marca da arquitetura moderna argentina e um exemplo da variante do expressionismo do século 20 chamada “brutalismo”. Continue lendo “BIBLIOTECA NACIONAL – Parte I: Como a residência presidencial “Quinta Unzué” virou biblioteca”