MUSEU CASA GUIGNARD em Ouro Preto: Considerado um dos maiores pintores e desenhistas brasileiros do século XX

Pintor_Minas Gerais_Brasil_arte_IPHAN_Estrada Real_Patrimônio_ Aleijadinho_acervo_Retrato_Design

Alberto Guignard foi sem duvida um dos maiores retratistas da arte brasileira. Através de pinturas, desenhos e objetos o Museu Guignard oferece uma visão ampla sobre a trajetória do mestre. Todo o seu universo de paisagens, retratos, auto-retratos, flores, naturezas-mortas, temas religiosos e outros revelam que Guignard  pintava o invisível como se imerso em estado de sonho.

Como o artista costumava dizer “o Brasil me deu Ouro Preto”. Ele amava e freqüentava muito a cidade, adorava suas igrejas, torres e colinas, o casario esparramado pelas ladeiras. Nunca chegou a realizar o sonho de ter uma casa própria aqui. Mas Ouro Preto tem uma casa especial para Guignard.

Se “o Brasil lhe deu Ouro Preto”. Ouro preto lhe deu o Museu Casa Guignard. Continue lendo “MUSEU CASA GUIGNARD em Ouro Preto: Considerado um dos maiores pintores e desenhistas brasileiros do século XX”

PATRIMÔNIOS da HUMANIDADE no BRASIL – Parte II

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) reconhece 15 sítios de Patrimônio Cultural Mundial aqui no Brasil.

Hoje, outros 1.092 lugares do mundo têm o título de patrimônio mundial. Deles, 21 estão no Brasil, além do recentemente nomeado Paraty: 14 são considerados patrimônios culturais (como Brasília e os centros históricos de Ouro Preto, Salvador e Olinda, entre outros), e, sete, naturais (como a Área de Conservação do Pantanal e o Parque Nacional do Iguaçu).

 

  • Sítios do Patrimônio Cultural: 14
  • Sítios do Patrimônio Natural: 7
  • Sítios do Patrimônio Misto: PARATY

Continue lendo “PATRIMÔNIOS da HUMANIDADE no BRASIL – Parte II”

PATRIMÔNIOS da HUMANIDADE no BRASIL – Parte I

Na década de 1950, começa a surgir a preocupação com a proteção dos patrimônios culturais por parte da UNESCO, que inicia uma campanha nos países para que assegurassem a proteção de seus patrimônios arquitetônicos e culturais.

No ano de 1971, essa entidade promoveu a assinatura da Convenção por parte dos países e solicitou aos Estados-Membros a apresentação de sítios considerados significativos para a humanidade. para a inclusão na Lista do Patrimônio. 

As informações sobre cada candidatura são avaliadas por comissões técnicas, sendo a aprovação final feita anualmente pelo Comitê do Patrimônio Mundial, integrado por representantes de 21 países. O objetivo é reconhecer a importância internacional de cada um deles, bem como sua relevância na história, além de incentivar a preservação e conservação.

O primeiro sítio a receber o título de Patrimônio  Mundial ou Patrimônio da Humanidade no Brasil foi a cidade de Ouro Preto, Minas Gerais, em 1980.

O mais novo foi declarado pela UNESCO recentemente no julho de 2019 … O Centro Histórico de Paraty e Ilha Grande junto as reservas de Mata Atlântica da região da Baía da Ilha Grande.

Centro Histórico de Paraty e Ilha Grande

Continue lendo “PATRIMÔNIOS da HUMANIDADE no BRASIL – Parte I”

Museu do Diamante: Minas Gerais, Brasil

Em torno da exploração diamantífera do século XVIII, foi se constituindo uma dinâmica social com costumes e singularidades da vida colonial brasileira, registrada por um acervo cultural valioso que permanece preservado na atualidade no MUSEU do DIAMANTE. Popularmente denominada “Casa do Padre Rolin”, sua importância histórica reside no fato de ter sido residência do inconfidente padre José de Oliveira e Silva Rolim.

Mais hoje vamos a conhecer um museu que não é apenas uma casa, pois na minha visita ao local descobri que o terreno dos fundos e realmente enorme, possui uma área de 2.834,28 m².

Nesta área se encontram duas minas de extração de ouro e diamantes desativadas, assim como no terreno passa o córrego Tijuco, que dá origem a ocupação do então distrito diamantino, sede do Arraial do Tijuco, sendo o primeiro local onde se descobriram diamantes na região.

É uma pena que o acesso esteja restrito ao público e não exista desenvolvida uma temática que integre este espaço ao próprio museu. De pronto me fez lembrar de outro córrego em Ouro Preto, aquele que passa embaixo da Ponte dos Contos e acaba na Igreja Matriz do Pilar. Também fechado. Roguemos para que pronto estes espaços sejam integrados e direcionados para o fomento do eco- turismo, uma das temáticas que mais interessam aos viajantes nos últimos tempos, alem dos aspectos históricos. Continue lendo “Museu do Diamante: Minas Gerais, Brasil”