MUSEUS VIRTUAIS: Projeto “Era Virtual” integra Turismo e a Cultura do Brasil

Nunca visitou as cidades de Ouro Preto e Congonhas, em Minas Gerais? Está montando um roteiro turístico de sua próxima viagem a Minas? Ou quer relembrar bons momentos vividos durante uma visita que fez àquelas cidades? … Então aqui vai uma boa notícia para você: com apenas um clique, pela internet, você pode viajar e visitar os Patrimônios Históricos Brasileiros sem sair de casa.

O ERA Virtual é um projeto pioneiro na disponibilização de visitas pela internet com visualização 360º dos museus brasileiros e seus acervos. O objetivo final é aplicar o modelo para criação de museus virtuais em sítios históricos de relevante interesse patrimonial, como os patrimônios mundiais tombados pela UNESCO no Brasil.

Museus Virtuais: Turismo e Cultura


Com a evolução das tecnologias nos últimos anos, principalmen­te aquelas ligadas à Internet, observou-se que diversos setores da economia, inclusive aos ligados ao turismo, tiveram que se integrar a estas evoluções. Neste sentido, diversas empresas do trading turístico como agências, hotéis e principalmente empre­sas aéreas abordaram a internet como um novo canal de comunicação e informação, oferecendo uma in­fraestrutura multimídia, capaz de colaborar para os atores vin­culados à prática do turismo.

A internet nos dias atuais, tem se tornado a principal ferramenta de busca no turismo, atualmente, as pessoas buscam desde a compra de passagens às dicas de lugares agradáveis, a fim de formular seus próprios roteiros, fugindo dos pacotes de viagem e preferindo roteiros mais flexíveis. Nesse sentido, o Museu Virtual pode ser utilizado como uma ferramenta de promo­ção dos destinos, já que oferece aos visitantes várias informações sobre os locais visitados.

A partir da percepção de que turismo e cultura são elementos que interagem em forma direta, o Governo brasileiro passou a elaborar novas políticas onde ambos podem ser elementos complementares. Vários projetos de museus foram iniciados, por exemplo, o Museu do Amanhã, no Rio de Ja­neiro, surgiu como segunda opção para os visitantes da Copa durante os dias sem jogos e também poderá servir como um atrativo a mais durante as Olimpíadas do Rio.

Os museus veem se reinventando ao pas­sar dos anos. Para com isso, atrair cada vez mais visitantes. Alguns dos resultados dessa reinvenção dos museus, são os museus virtuais, onde o visitante tem a possibilidade de interagir com o acervo. Tais museus podem ser acessados atualmente através de dois tipos de mídia: CD-ROM e internet.

Os Museus Virtuais oferecem uma ex­periência de visitação “livre” em que o visitante pode “entrar” a hora que quiser, ou “ir” onde desejar no museu utilizando apenas alguns clicks e proveem ao visitante a sensação de “estar” no local pessoalmente.

Os visitantes virtuais consultam toda a informação que pretendem antes ou depois da visita física, onde puderam encontrar informações extras. A visita virtual é na realidade um complemento à visita física. Tais informações propiciam que o turista tenha uma visão completa das igrejas, onde além de poder vê-las através do museu, pode também conhecer um pouco mais de sua história.

Muitos dos locais físicos não ofertam visitas guiadas e os turistas não tem acesso a informações a respeito de sua história, origem, etc. Assim, o museu virtual oferece uma experiência complementar a visitação real. As ferramentas multimídia permitem que o usuário observe aspectos imperceptíveis a olho nu, de detalhes das igrejas, imagens e seus altares. A possibilidade de visualizar em 3D um objeto colocado a metros de distância do visitante; a impressionante resolução das imagens de detalhes e a ergonomia e eficiência da navegação, que reproduz com notável nitidez o movimento de quem anda pela igreja, por meio de recursos de imagens de 360º e animações virtuais. 

Museu Virtual de Ouro Preto


http://www.museuvirtualdeouropreto.com.br/

Contemplado pelo edital Programa Monumenta/UNESCO, de 2007, foi realizado por meio de associação entre o Centro de Memória Digital da Universidade de Brasília (UNB) e o Museu de Arte Sacra de Ouro Preto ((entidade jurídica que representa a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Pilar). O projeto conta ainda com o apoio da Comissão Ano Cultural 2009, do Senado Federal, e integrava o conjunto de comemorações dos 220 anos da Inconfidência Mineira.

O projeto foi uma publicação eletrônica multimídia da exposição permanente do acervo artístico e cultural das igrejas de Nossa Senhora do Carmo, Nossa Senhora do Rosário e da Matriz de Nossa Senhora do Pilar. As informações sobre o patrimônio desses templos religiosos estavam disponíveis no site, nos terminais multimídia instalados nas três igrejas e nos DVDs comercializados pelo Museu de Arte Sacra de Ouro Preto. O Tour virtual apresentava modernos recursos de tecnologia digital, navegação em 360 graus, imagens 3D e animações digitais, com informações baseadas em pesquisa histórica especializada.

A Abertura oficial do Museu Virtual de Ouro Preto aconteceu em 14 de fevereiro de 2009 na Igreja Matriz de Nossa Senhora do Pilar com as apresentações do Coral Francisco Gomes da Rocha, da Orquestra Jovem de Sabará e da Orquestra Jovem de Ouro Preto da Escola de Música Padre Simões. 

Atualmente o site não funciona mais. Não consegui informações da causa da retirada do site.

Projeto Era Virtual


Visando a ampla divulgação e promoção do patrimônio cultural brasileiro desde 2008 tem sido desenvolvido o projeto ERA VIRTUAL. Sua primeira iniciativa foi a criação de visitações virtuais a museus brasileiros e seus acervos. O Projeto Era Virtual tem como objetivo ampliar o alcance sociocultural de exposições a partir da modernização da linguagem e democratização do acesso. A iniciativa é amparada por leis de incentivo à cultura e iniciativa privada.

A primeira cidade contemplada com o guia virtual foi Congonhas, Minas Gerais, nas mãos de uma equipe competente, em especial à Fundação VALE, ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), à UNESCO e à FUMCULT (Fundação de Cultura, Lazer e Turismo de Congonhas-MG). Em 2013, desenvolveu o projeto também para os parques nacionais e para as cidades com sítios considerados como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

A visita online do Museu da Inconfidência foi inaugurada em 2012 durante a tradicional solenidade de entrega da Medalha da Inconfidência, promovida na Praça Tiradentes, em Ouro Preto em comemoração o Dia de Tiradentes (21 de abril). Por meio de imagens em alta resolução registradas por fotografias em 360 graus, além de textos e audioguias em quatro idiomas, a visita online permite a visualização detalhada de todo o acervo exposto pelo Museu da Inconfidência.

A documentação fotográfica do projeto, a cargo do Prof. Dr. Marcelo Feijó e de Pedro Ladeira, produziu mais de 8.000 registros. Cada imagem 3D foi construída a partir do processamento digital de mais de 40 fotografias individualmente tratadas. A documentação fotográfica utilizou o seguinte equipamento: câmara fotográfica digital marca Nikon D200, c/ Lente 18-200 mm F/3.5-5.6, quatro objetivas Nikon (Olho de Peixe, 10 mm f/2.8, Grande Angular, 20mm, f/2.8, tele objetiva, 300 mm, f/3.5 e 60 mm, f/ 2.8, com macro), tripé para fotografia marca Manfroto, com coluna central e bolha de nível, conjunto de flashs eletrônicos da marca Mako, composto por três tochas de 400 watts, luz guia, cabos de sincronismo, refletores em sombrinha, tripés e case, fundo infinito branco e mesa de sustentação.

O laboratório localizado no LabRedes (laboratório do Curso de Engenharia de Redes da UNB) forneceu o ambiente de Desenvolvimento de Processamento Digital de Imagens e de Desenvolvimento de Sistemas.

A navegação


O site permite que qualquer pessoa, por meio de uma ferramenta virtual, passeie pelas ruas, monumentos, igrejas e outros locais observando detalhes das obras de arte e da arquitetura com uma visão 360 graus.

O passeio virtual começa com um sobrevoo pela cidade, sendo possível percorrer e clicar nos locais que ficam em destaque quando se passa o mouse sobre eles. A área interna da maioria dos pontos turísticos em destaque também pode ser visitada. Ao explorar esses locais, os dados históricos são apresentados em áudio e texto. Além do português, as informações também estão disponíveis em inglês, espanhol, francês e libras, o que facilita o acesso a pessoas com necessidades especiais.

A navegação permite observar o mapa interativo no canto superior direito, além de:

  • Mostrar sua localização na exposição.
  • Direção para qual você está direcionado.
  • Pontos já visitados, que alteram de cor após a sua passagem pelo local.
  • O mapa pode apresentar um ambiente maior, por exemplo, um bairro. Clique sobre os botões ou monumentos para visita-los.
  • Observar no inferior esquerdo uma caixa seletora onde você pode escolher um local da exposição para onde deseja ir mais rapidamente.
  • Cliquar sobre uma peça para que possa ver sua imagem em detalhes.

O lançamento da visita virtual em Ouro Preto ocorreu em 2017, no Centro de Artes e Convenções da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e integrou a programação do 50º Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana.

Durante o evento, Antía Vilela Dias, representante da UNESCO, reforçou a importância da ferramenta em uma realidade onde as tecnologias de informações estão no dia a dia das pessoas. “Temos um desafio muito grande hoje apresentado pelas tecnologias da informação e da comunicação e um material como este contribui muito para este cenário. Ele é sofisticado e tem qualidades técnicas impressionantes”. Celia Corsino, Superintendente em Minas Gerais do IPHAN, destacou as possibilidades que o tour virtual abre em termos de acessibilidade e democratização da cultura. “Ele possibilita que pessoas que não têm condição de viajar, de ocuparem esses espaços, e até que os turistas, possam ter experiências mais completas e diferenciadas em relação às cidades. Essa é uma ferramenta que leva Minas Gerais para o mundo e mostra a grandeza do nosso patrimônio”.

O projeto, financiado pela Fundação Vale, teve início em 2013 e inclui quatro visitas: as cidades patrimônio de Ouro Preto e Congonhas, esta última lançada em 2014, além do Museu Vale, localizado em Vila Velha, no Espírito Santo, e o Memorial Minas Gerais Vale, em Belo Horizonte, ambos lançados em junho desse ano. Essa iniciativa também conta com o apoio e parceria do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e das prefeituras de Ouro Preto e Congonhas.

 

fonte:

  • https://www.eravirtual.org/ouro-preto/
  • http://portal.iphan.gov.br/noticias/detalhes/2306/museu-virtual-de-ouro-preto-mg-sera-inaugurado
  • O museu virtual de Ouro Preto (MG) como ferramenta de comunicação turística para a destinação – Brendo Rodrigues dos Santos e André Riani Costa Perinotto (1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *