La Glorieta de Barrancas: A Milonga tradicional do bairro de Belgrano acontece em um parque

Em 1910, a Glorieta de Barrancas tinha o objetivo de acolher as orquestras e bandas de música que ofereciam seus shows ao ar livre. Hoje, tornou-se um ícone do tango.

Tradicionalmente, as Barrancas representam um importante centro de transbordo de passageiros e costumam ser epicentro de feiras e festivais a céu aberto. Durante as noites, é comum encontrar seguidores do tango de diversas idades reunidos para dançar em seu antigo coreto, a famosa: Glorieta de Belgrano.

Barrancas de Belgrano

Projetado em 1892 pelo paisagista franco-argentino Carlos Thays, quem também fizera o paisagismo no Parque Tres de Febrero

Com muitas arvores e grama, as Barrancas de Belgrano tem 67 espécies de plantas: ombúes, palmeiras, magnólias, paraísos, tílias, carvalhos, madressilva, ceibos, bananeiras, entre outras.

Além disso, possui passarelas construídas com paralelepípedos do século XIX, bancos para descanso, área de recreação infantil, mesas com tabuleiros de xadrez, dominó e outros jogos e hobbies. Muitas pessoas se encontram neles para realizar esportes, como ginástica aeróbica, Tai Chi Chuan, entre outros, uma vez que constitui um pulmão verde muito bom na cidade.

Glorieta Antonio Malvagni

A Glorieta também foi usado por oradores políticos e por arengas patrióticas. Além disso, serviu como um fórum para debater questões de interesse social, como o divórcio, em 20 de agosto de 1983.

Nas comemorações do centenário da Revolução de Maio, o entonces presidente José Figueroa Alcorta encomendou a Malvagni organizar uma orquestra sinfônica. A banda estreou em 14 de maio de 1910 no Teatro Colon, mas depois parecia ter maior sucesso ao ar livre; por esse motivo, a Glorieta leva seu nome.

Malvagni nasceu em Potenza, Itália, em 1867. Ele tocou corneta. Ele chegou a Buenos Aires em 1887 e foi encarregado da banda do 1º Regimento de Artilharia de Córdoba. Ele também se apresentou em Tucumán e Salta. Mais tarde, o então presidente Dr. Figueroa Alcorta lhe conferiu a criação da Banda Municipal de Buenos Aires. Dirigiu o grupo de 120 músicos até 1928, ano em que se aposentou.

Seu nome presta homenagem a Antonio Malvagni, criador e diretor da Banda Municipal de Buenos Aires

A construção deste trabalho teve como primeiro objetivo abrigar as orquestras e bandas de música que ofereciam seus shows ao ar livre. Sua base é feita de material, mas todo o resto é feito de ferro. As colunas são finas e bastante ornamentais. É acessado por meio de uma escada de mármore.

Atualmente, é a parte mais animada das Barrancas de Belgrano, e todo fim de semana se torna uma pista de dança onde o Tango é o protagonista.

La Glorieta sofreu um incêndio em 1992 e perdeu as tábuas do piso originais. Logo o trabalho de restauração foi refeito e mosaicos foram colocados

.Milonga na Glorieta de Belgrano


La Glorieta se tornou um polo de atração cultural e turística graças ao apoio de vizinhos e amantes do tango. A coordenação é compartilhada entre eles, mas tem um organizador que é o decano dos organizadores, o Sr. Marcelo Salas, ele começou quase depois da restauração, nos anos 90, e logo depois Melba, Santos e Felipe. Roberto o disc jockey esta lá há 8 anos e trabalha em 5 das 7 milongas que são feitas semanalmente.

A traves da Milonga os próprios moradores geraram em La Glorieta o ponto mais alto de atração cultural e turística de toda a região

A Glorieta é o lugar mais conhecido internacionalmente em Belgrano. Os estrangeiros vêm em grande número para visitar e conhecer. As pessoas do bairro que conhecem o valor simbólico, cultural e arquitetônico que a Glorieta possui, chegam á hora marcada.  Tudo conspira para uma verdadeira festa da música e dança.

A pessoas que congrega são aqueles que estão começando, mas o velho milonguero também chega. A mulher/homem divorciados, os jovens que estudam, é para todos os públicos. Devido à sua natureza e sua paisagem magistral, é um local inclusivo. Você encontrará pessoas de terno e outras de jeans, mas todas as mulheres de salto, elemento fundamental para se inserir na dança do Tango.

Em tempos passados se incluía algum “paso doble” espanhol, mas hoje em dia o prato principal é o Tango, os outros ritmos dançados são a milonga e a valsa, em menor quantidade.

Nas segundas e quartas-feiras, a Milonga é um pouco mais jovem; às terças e quintas-feiras, temos a “milonga sênior” com pessoas um pouco maiores. Sexta, sábado e domingo é mais uma mistura de todas as idades.

As mulheres se sentam nos degraus para calçar os sapatos apropriados antes de pisarem na pista, e as canções tradicionais enchem o ar. O ritual da troca de olhares para encontrar o parceiro para a próxima dança já começou, a Milonga da Glorieta de Belgrano também.

video

Os organizadores da Milonga não têm nenhum tipo de apoio governamental: “O que recebemos é graças à colaboração das pessoas que vêm participar das milongas. Em um momento da milonga se faz uma parada, explicamos às pessoas sobre o que é nosso trabalho e passamos “a gorra” (chapéu para colocar sua contribucao). Este é um lugar aberto e, embora pareça incrível, no inverno as pessoas querem continuar dançando, é por isso que nunca paramos, estamos aqui o ano todo”, diz Marcelo Salas.

 

 

fonte:

  • https://www.buenosaires.gob.ar
  • https://www.mibelgrano.com.ar
  • https://www.360cities.net/es/image/barrancas-de-belgrano-pergola

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *