FAENA ART CENTER – PARTE II: Uma Catedral em Puerto Madero

O que costumava ser a casa das máquinas do antigo Moinho foi recuperado preservando o seu carácter original, para servir de centro de experimentação e exposição que apoie as mais recentes e ousadas formas de criatividade.

A primeira exposição neste novo centro foi a mostra do artista brasileiro Ernesto Neto, onde ele apresentou uma escultura pingente intitulada “O Bicho suspenso na Paisagem”, feita de um enorme emaranhado de malha de crochê pendurado no teto da sala principal do centro cultural.

Faena Arts Center


O interior do Edifício Los Molinos foi utilizado na sua maior parte para vivenda e locais comerciais, a exceção do imenso armazém que ocupava a antiga sala das máquinas que se transformou num vasto espaço destinado a atividades e eventos culturais: El Faena Arts Centro (FAC).

Inaugurado em 2011, o Faena Arts Center se tornou uma vitrine ousada para a cena artística da arte contemporânea. O projeto demandou US $ 14 milhões.

O espaço expositivo, localizado na antiga sala de máquinas deste emblemático edifício respeita o estilo original do edifício: tetos altos, detalhes de época, grandes janelas e de meio ponto, todos os elementos comuns da arquitetura industrial no ano de 1900.

Reabilitada para se adaptar às exigências da arte contemporânea, a galeria mantém a sua estrutura porto-industrial, com tetos vertiginosos e enormes janelas por onde penetra uma luz natural excepcional.

A premissa da iniciativa foi manter intacta a estrutura original de ambos os moinhos, unindo os prédios principais dos andares superiores por meio de uma passarela de vidro, única intervenção notável na fachada, e deixando aberto um corredor que liga as ruas de Juana Manso com Aimé Paime, que permite também o acesso ao edifício anexo, o Centro Cultural Faena Arts Center, situado nas traseiras onde funcionava a sala de máquinas do antigo moinho.

Quando Alan Faena adquiriu esta propriedade em 2002, ele decidiu transformar o edifício em um centro artístico próximo ao seu sofisticado hotel de luxo, o Hotel Faena.

Faena Hotel em Puerto Madero

Depois de conhecer este espaço, se você deseja continuar sua visita pelo Puerto Madero agregando ainda mais luxo e distinção, atravessando a avenida Azucena Villaflor e caminhando mais alguns metros pela rua Aime Paine chega-se ao Faena Hotel: um dos mais elegantes e vanguardistas da cidade de Buenos Aires. Mesmo que não se hospede por lá, você pode entrar, admirar suas áreas comuns e saborear um delicioso coquetel ou um soberbo almoço em um de seus bares e restaurantes.

A inauguração do Faena Arts Centre (FAC)


A primeira exposição neste novo centro foi a mostra do artista brasileiro Ernesto Neto e com curadoria de Jessica Morgan, curadora de Arte Contemporânea da Tate Modern London.

O artista plástico carioca apresentou uma escultura pingente intitulada “O Bicho suspenso na Paisagem”, feita de um enorme emaranhado de malha de crochê pendurado no teto da sala principal do centro cultural, com 140 mil bolas de plástico na sua base, onde as pessoas podiam subir e caminhar dentro da obra, vendo tudo lá de cima.

Mega instalação do artista Ernesto Neto, “O Bicho Suspenso na Paisagem”
Alan Faena e Ernesto Neto

O produtor de cinema argentino Eduardo Constantini Jr., filho do empresário e colecionador de mesmo nome e socio de Alan Faena, achou a obra muito “impactante”: “Ernesto é um dos meus artistas favoritos, um dos mais importantes na cena internacional”. O artista brasileiro assistiu ao show de Marinne Faithfull, que cantou acompanhada de Marc Ribot ao violão, do alto de sua instalação, o palco estava localizado abaixo do centro da obra.

A obra de Ernesto Neto convida os visitantes a passear dentro dela. Ao caminhar sobre as bolas de plástico, o ruído lembra o de uma chuva repentina e volumosa.

“Quis construir esse labirinto com madeira, mas não funcionou. No final, ficou melhor assim, pois, ao andar dentro dela, temos a lembrança da floresta. E a floresta nos faz lembrar de que há uma simbiose entre o ser humano e o planeta Terra”, explica Ernesto, sobre sua arte sustentada a três metros do solo onde o público pode caminhar.

Neto conta que uma das inspirações para a obra foi, também, o livro “O Enteado”, do argentino Juan José Saer, baseado na história verídica de um jovem marinheiro que viveu por muitos anos numa tribo de índios canibais na região do Rio da Prata.

O Faena Arts Center rapidamente se tornou um centro de múltiplas atividades, uma atração turística e um local escolhido por muitos portenhos para recreação e lazer nos fins de semana, devido, entre outras razões, à alta qualidade de suas exposições e sua boa arquitetura.

O staff Faena: Ximena Caminos e Rafael Olarra


Ximena e Alan

Ximena Caminos é uma artista argentina que iniciou sua carreira como curadora no Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires – MALBA – Fundación Costantini de Buenos Aires até 2004.

A partir desse ano foi Diretora Executiva e Curadora do Faena Arts Center e sócia do Faena Grupo, fundado por seu ex-marido, o colecionador e mecenas argentino Alan Faena.

Ximena fundou o Prêmio Faena de Artes, um dos maiores prêmios de arte da América Latina. Este prêmio bienal concedido por um júri internacional reconhece a experimentação artística, incentiva a exploração pós-disciplinar e temporal e incentiva a exploração das ligações infinitas entre arte, tecnologia e design.

Os vencedores do Prêmio Faena recebem um total de US $ 75.000. Deste montante, o artista recebe $ 25.000 dólares sem restrições e tem os restantes $ 50.000 dólares como orçamento para a concretização da sua proposta.

Rafael Olarra

O atual Diretor de Arte é Rafael Olarra, gerador de conteúdo artístico para marcas, revistas, exposições, instalações, montagens, fotografia ou desfiles, também é responsável por projetar desde quartos até ambientes diversos para o Grupo Faena.

Por sua vez, Ximena foi convidada para ser diretora artística do Faena Forum Miami, um novo tipo de centro multidisciplinar em um edifício flexível que pode receber dança, teatro, debates políticos, conferências e uma ampla gama de outros eventos culturais, inaugurado em Miami Beach em 2016 e desenhado por Rem Koolhaas.

A curadora argentina Ximena Caminos atualmente supervisiona o plano mestre de arte pública do projeto Underline.

Chamado inicialmente de Linha Verde, o projeto vai transformar um espaço escuro, bagunçado e indesejado da cidade de Miami em um corredor para bicicletas e pedestres, com diversas obras de arte e salas de exibição ao longo do caminho, que percorrerão toda a cidade.

 

Fonte:

  • https://wsdg.com/projects-items/los-molinos-faena-arts-center/
  • https://www.faena.com/urbanism/buenos-aires/faena-art-center
  • https://elplanetaurbano.com/2018/03/alan-faena-%c2%b7-orfebre-del-lujo/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.