FAENA ART CENTER – PARTE I: Complexo “Los Molinos” em Puerto Madero, combina residências, escritórios, lojas e um museu

Puerto Madero é hoje um ícone turístico e um centro de progresso atraindo a população local e visitantes aos seus parques e atividades culturais.

Inserido no empreendimento imobiliário de Alan Faena em Puerto Madero, o Faena Arts Center inclui a renovação da antiga sala de máquinas de um moinho de farinha. O complexo Los Molinos é composto por dois edifícios históricos com 5 e 7 níveis de vivenda, espaços comerciais no piso térreo, garagens subterrâneas, um novo edifício de escritórios e um Centro Cultural de Eventos.

O empreendimento residencial Los Molinos Building foi desenvolvido desde 2006 sendo o ​​prédio inaugurado em outubro de 2009. A remodelação foi realizada pela McCormack & Asociados. Já o Faena Art Center foi inaugurado em setembro de 2011.

Puerto Madero


Puerto Madero foi abandonado como porto no início do século 20, quando todas as operações foram transferidas para o Puerto Nuevo. No final da década de 1980, Puerto Madero havia sofrido várias décadas de abandono e desuso.

Em 1989, uma empresa pública foi formada para administrar o projeto, cujas ações são divididas igualmente entre o governo nacional e a prefeitura. Assim, o governo federal transferiu a propriedade deste setor do porto para a nova empresa Corporación Antiguo Puerto Madero (CAPM).

Puerto Madero, o setor mais antigo do distrito portuário, está localizado na foz do Río da Plata, em Buenos Aires

Em 1991, a Prefeitura e a Sociedade de Arquitetos firmaram um convênio para facilitar o Concurso Nacional de Ideias para Puerto Madero.

Em 1992, as três equipes vencedoras trabalharam em colaboração para desenvolver o Projeto Urbano Preliminar de Puerto Madero. A remodelação exigiu uma nova geometria de subdivisão que permitiu a construção sem a necessidade de demolir as valiosas estruturas históricas. Muitos dos edifícios históricos do porto, como armazéns, seriam restaurados com novas funções, combinando o valioso patrimônio histórico com novos empreendimentos imobiliários.

O antigo porto de Buenos Aires é há anos uma área de renascimento e revitalização arquitetônica

Puerto Madero é o lar de novos restaurantes, empresas de mídia, clubes e hotéis e de inúmeras referências arquitetônicas, incluindo o Puente de la Mujer (Santiago Calatrava), a sede da YPF (obra de César Pelli), o Museu Fortabat (Rafael Viñoly), o conjunto habitacional “El Aleph” (Norman Foster) etc.

Los Molinos Building: História


O Edifício Los Molinos é um edifício emblemático da história argentina que foi construído nos primeiros anos do século 20 e fez parte da época em que o país era o Celeiro do Mundo, atingindo uma produção diária de 1000 toneladas de moagem de trigo.

Na Argentina do Centenário (1910), a arquitetura teve uma clara inspiração francesa, enquanto a de serviços referiu-se a um estilo mais inglês, como mostram as estações ferroviárias de Buenos Aires e os edifícios em Puerto Madero.

Para a transformação do Edifício Los Molinos, o FAENA GROUP se propôs a preservar o patrimônio abandonado, recuperando a arquitetura portuária, industrial e de serviços para transformá-lo em um projeto que passou a representar uma verdadeira valorização urbana. Em busca de quem melhor captasse essa visão, o grupo realizou um concurso para realização da obra, cujo vencedor foi o estúdio Mc Cormack & Asociados.

O projeto foi escolhido entre os de outras sete empresas de prestígio pela qualidade e simplicidade para a reformulação da arquitetura existente.

O espírito do projeto foi o de preservar o moinho sul, o moinho norte e o edifício da sala de máquinas. Além disso, foi incorporada um novo prédio prismático envidraçada na qual funciona um edifício de escritórios de 1.500 m2.

Dois aspectos do projeto se destacam. Por um lado, a construção de uma estrutura de vidro que coroa e une os dois volumes históricos. A estrutura de vidro se funde com o edifício, formando um novo conjunto realçando toda sua elegância. Por outra parte, surgiu a criação de um espaço público de pedestres que conecta a Avenida Juana Manso com a Rua Aime Paimé, onde estão localizados os recessos do térreo que percorrem o complexo. Esta praça une as arquiteturas históricas do moinho norte e sul com a moderna construção superior, formando um importante arco que abriga uma das maiores obras de arte pública da cidade, um mural do renomado artista argentino Pablo Siquier.

O projeto inclui um espaço pedonal que liga as avenidas Juana Manso e Aimé Paine, sob a ponte de vidro e decorado com um grande mural de Pablo Siquier

A história da arte refere-se ao muralismo como um movimento com características não apenas didáticas, mas de alto conteúdo político-social. No caso dos murais de Los Molinos, surge um novo tipo de muralismo disruptivo, até então desconhecido em nosso país: os murais netos, geométricos, abstratos.

O arco “Siquier” que liga Los Molinos ao resto do Art District funciona como uma passagem,  uma mudança de dimensão dentro da cidade real em relação à cidade imaginada.

 

Fonte:

  • https://www.faena.com/
  • https://glamurama.uol.com.br/artsy-81329/
  • https://www.clarin.com/arq/arquitectura/Faena_Art_Center-Mc_Cormack_Asociados_0_rkrVuy63vXe.html

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.