CLUBE ALEMÃO – PARTE I: A antiga sede do Clube Alemão expropriada pelo governo argentino durante a Segunda Guerra Mundial

Construído em 1857, este edifício serviu por 90 anos como sede do Clube Alemão. Este local sempre se caracterizou pela organização de encontros e bailes sociais e culturais no seu grande Salão Principal, animado com as melhores orquestras da cidade, bem como concertos nos jardins. A programação dos concertos era de tal categoria que não tinham paralelo em Buenos Aires na época.

O prédio foi desapropriado pelo governo argentino durante a Segunda Guerra Mundial. Em 1946 foi transferido para o Quartel General da Força Aérea Argentina onde atualmente funciona o Círculo de Oficiais. Continue lendo “CLUBE ALEMÃO – PARTE I: A antiga sede do Clube Alemão expropriada pelo governo argentino durante a Segunda Guerra Mundial”

MALBA – Parte I: Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires

Um dos museus mais populares da cidade de Buenos Aires, o Malba possui um dos mais importantes acervos da arte latino-americana. Além do patrimônio permanente, exposições temporárias importantíssimas passam por ele. Por isso, é um espaço cultural dinâmico e participativo, numa estrutura arquitetônica moderna, localizado no bairro de Palermo.

Entre os destaques estão a arte dos argentinos Xul Solar e Antonio Berni, o chileno Roberto Matta, o auto-retrato de Frida Kahlo, o muito famoso Abaporu, de Tarsila do Amaral, e instalações inovadoras de Julio Le Parc. Continue lendo “MALBA – Parte I: Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires”

Biblioteca Nacional – Parte II: A obra maestra de Clorindo Testa que demorou 30 anos em ser construída

A Biblioteca Nacional é uma obra emblemática da arquitetura moderna argentina. A obra teve início em 1971 e levou 30 anos para ser concluída. Neste post vamos conhecer detalhes da obra maestra do arquiteto Clorindo Testa, onde a sala de exposições, o auditório e a confeitaria funcionam como elementos escultóricos que estão pendurados na estrutura.

O edifício foi declarado Monumento Histórico Nacional em 2017. Continue lendo “Biblioteca Nacional – Parte II: A obra maestra de Clorindo Testa que demorou 30 anos em ser construída”

MUSEO FOTOGRÁFICO de BUENOS AIRES: A história do bombeiro que virou fotografo e do bar que virou museu

A história deste bar está relacionada a como um bombeiro se encontra com a fotografia, se torna um colecionador e acaba em frente ao maior Museu Fotográfico da Argentina, declarado de Interesse Cultural pelo Legislativo da CABA.

Dono do Bar Palacio, no bairro Chacarita, vamos conhecer a vida de Alexander Simik, um apaixonado colecionista que a partir de seu imenso acervo, ele sonha algum dia fundar o Museu da Fotografia e o Museu do Cinema da cidade de Buenos Aires. Continue lendo “MUSEO FOTOGRÁFICO de BUENOS AIRES: A história do bombeiro que virou fotografo e do bar que virou museu”

CLÁSICA e MODERNA: Quando uma livraria fecha, os livros ficaram órfãos

Após 80 anos, a Clásica y Moderna fechou, o local de encontro para escritores, músicos e outros artistas de Buenos Aires. Neste local da Avenida Callao, Livros, Literatura e Café conviviam de mãos dadas.

A Livraria Clássica e Moderna estava há mais de 80 anos na Avenida Callao 892. Foi declarada de Interesse Cultural pela Assembleia Legislativa de Buenos Aires em 2013, por ter sido um ponto de encontro reconhecido de artistas, escritores, jornalistas e intelectuais como Jorge Luis Borges e Adolfo Bioy Casares. Hoje está fechada. A morte de sua dona em 2017, Natu Poblet, uma dívida de aluguel e a queda na venda de livros e do bar, acabaram com um lugar histórico da cidade. Continue lendo “CLÁSICA e MODERNA: Quando uma livraria fecha, os livros ficaram órfãos”

JARDIM JAPONÊS de BUENOS AIRES – Parte II: Yasuo Inomata, o Mestre sem discípulo

Em cada cidade, o jardim japonês se torna uma ferramenta importante para expandir a consciência ambiental. As atividades educacionais, de lazer e de conscientização que ali são geradas também fazem parte da identificação cidadã, pois em muitos casos se torna um marco urbano de emoção coletiva e um sentimento de enraizamento para os imigrantes japoneses no Brasil e na Argentina.

Neste post vamos conhecer o engenheiro paisagista Yasuo Inomata, autor do Jardim Japonês de Buenos Aires mundialmente conhecido como o maior jardim japonês fora do Japão. Continue lendo “JARDIM JAPONÊS de BUENOS AIRES – Parte II: Yasuo Inomata, o Mestre sem discípulo”

BIBLIOTECA NACIONAL – Parte I: Como a residência presidencial “Quinta Unzué” virou biblioteca

A Biblioteca Nacional foi dirigida pelo escritor Jorge Luis Borges durante 18 anos e finalmente construída onde um dia foi a residência do presidente Juan Domingo Perón e de sua esposa Evita.

Depois do golpe militar de 1955 a residência foi demolida, no local foi projetada a Biblioteca Nacional, a obra que demoro 30 anos em concluir, tornou-se uma marca da arquitetura moderna argentina e um exemplo da variante do expressionismo do século 20 chamada “brutalismo”. Continue lendo “BIBLIOTECA NACIONAL – Parte I: Como a residência presidencial “Quinta Unzué” virou biblioteca”

JARDIM JAPONÊS de BUENOS AIRES – Parte I: O maior jardim japonês fora do Japão

Para muitos, o Jardim Japonês da cidade de Buenos Aires é um lugar de sonhos, um lugar mágico onde a paz e a harmonia abundam, oferecendo a seus visitantes uma experiência que guardará em seus corações.

Em 2004, a Secretaria de Turismo da Cidade de Buenos Aires declarou o Jardim Japonês “local de interesse turístico” e, em 2008, o Poder Executivo Nacional o declarou “local de interesse histórico e artístico da cidade”. Continue lendo “JARDIM JAPONÊS de BUENOS AIRES – Parte I: O maior jardim japonês fora do Japão”

Museu de Belas Artes Benito Quinquela Martín (MBQM) no bairro de La Boca

Benito Quinquela Martín foi um dos protagonistas da renovação que as artes plásticas do país viveram a partir da década de 1920 e que deram frutos em uma época de ouro da pintura argentina.  Pintor e muralista argentino, principal membro do grupo de pintores de La Boca, o bairro portuário de Buenos Aires em que nasceu e ao qual sempre permaneceria ligado. Com um estilo naturalista, o tema de sua obra girava, sobretudo, em torno de navios e portos, capturando igualmente a beleza de suas impressões e as duras condições de trabalho.

O acervo do museu (MBQM) esta conformado por uma ampla coleção de obras de artistas argentinos. O museu foi preenchido com óleos, aquarelas, pastéis, templos e pinturas de têmpera feitas em tela, papel e madeira; esculturas em pedra, bronze, como assim também gravuras e desenhos feitos com os mais variados procedimentos. Cerca de 5.000 peças compõem a coleção de fotografias digitalizadas.

O Museu de Belas Artes de La Boca oferece a possibilidade de conhecer a extensa obra artística de Quinquela Martín. O último andar tem a modalidade de Casa Museu, pois trata-se da própria casa e atelier do pintor, com amplos terraços que atuam como sala de exibição da importante mostra escultórica do museu. Continue lendo “Museu de Belas Artes Benito Quinquela Martín (MBQM) no bairro de La Boca”

Planetário Galileo Galilei – Parte II: O disco voador que possuo no Bosques de Palermo

Argentina_Parque 3 Febrero_Palermo_Bosque_cúpula_Patrimônio_El Rosedal_ Full Dome_realidade virtual_Astronomia_RGB Lighting_Led

O Parque 3 de Febrero é o maior pulmão verde de Buenos Aires. Suas florestas, lagos, praças e passeios se estendem por 370 hectares do bairro de Palermo.

Uma das milongas mais importantes (salas para dançar tango) da história do  tango  foi o “Lo de Hansen”, que era o local mais popular da cidade entre 1895 e 1910 e demolido em 1912 por ordem do prefeito Anchorena, para realizar uma ampliação dos acessos ao velódromo. Estava localizado na esquina da Avenida Figueroa Alcorta e Sarmiento, onde hoje fica o  Planetário.

As obras do Planetário Galileo Galilei começaram, sob a direção do arquiteto argentino Enrique Jan em 1962. A abertura definitiva para o público em geral foi realizada em 5 de abril de 1968. Continue lendo “Planetário Galileo Galilei – Parte II: O disco voador que possuo no Bosques de Palermo”