Basílica de San José de Flores – Parte III: Imaginaria do templo do único São José coroado em America do Sul

A igreja de São José de Flores, foi elevada a Basílica em 20 de janeiro de 1912, pelo Papa Pio X. A velha imagem de São José que se encontra no camarim (capela lateral) é uma das poucas pecas que sobraram do antigo templo.

Outra data marcante desta igreja foi em oportunidade da coroação da imagem de São José que está no Altar-Mor, que aconteceu em 28 de outubro de 1956. É a única imagem de San José coroada pelo Decreto Vacano na América do Sul. Na América são duas, a de Flores e a outra em Montreal, Canadá. Continue lendo “Basílica de San José de Flores – Parte III: Imaginaria do templo do único São José coroado em America do Sul”

IGREJA de SAN CRISTOBAL – PARTE II: O interior do Templo

O bairro de San Cristóbal faz fronteira a oeste com o bairro de Boedo, ao norte com Balvanera, Constitucion ao leste e Parque Patricios ao sul. No centro do bairro, o cruzamento das avenidas San Juan e Jujuy demarca uma das áreas mais dinâmicas em termos de atividade comercial.

A poucos metros dali fica a Igreja de San Cristóbal, construída entre 1871 e 1898, foi o templo em torno do qual surgiu o bairro de San Cristóbal, um pequeno bairro tipicamente portenho que ainda conserva o seu velho encanto. Continue lendo “IGREJA de SAN CRISTOBAL – PARTE II: O interior do Templo”

IGREJA NOSSA SENHORA da MERCED – PARTE III: O interior do Templo

A construção da igreja e do convento de La Merced data do início do século XVIII, quando os primeiros arquitetos jesuítas da Espanha chegaram a estas terras. Em 1721, a pedra fundamental foi abençoada e a consagração do templo ocorreu entre 25 de outubro e 1º de novembro de 1789.

O interior da igreja mantém o seu caráter original, embora as pinturas decorativas e os vitrais adicionados no início do século o tenham tornado visivelmente obscuro. Em 1894 teve lugar uma grande remodelação a cargo do arquiteto Juan Antonio Buschiazzo. Em 1954 o arquiteto Andrés Millé conduziu a restauração do nártex para seu estado original, resgatando assim uma linguagem mais próxima á original. Continue lendo “IGREJA NOSSA SENHORA da MERCED – PARTE III: O interior do Templo”

IGREJA NUESTRA SEÑORA de BUENOS AIRES – PARTE II: A nova igreja da Ordem dos Mercedários no bairro de Caballito

Este belo exemplar do estilo neogótico-lombardo destaca-se não só por suas grandes proporções, mas também pela beleza da decoração interior do templo.

Neste post veremos como a Ordem da Misericórdia sofreu as consequências da Lei da Reforma do Clero (1822), que levou ao quase extermínio das ordens religiosas em Buenos Aires. Graças à Sra. Celina Bustamante de Belíritutegui, que doou um grande terreno em 1893, os padres mercedários construíram sua nova igreja no bairro de Caballito: Iglesia Nuestra Señora de Buenos Aires, proclamada basílica pelo Papa Pio XI, em 10 de fevereiro de 1936. Continue lendo “IGREJA NUESTRA SEÑORA de BUENOS AIRES – PARTE II: A nova igreja da Ordem dos Mercedários no bairro de Caballito”

IGREJA NOSSA SENHORA de BUENOS AIRES – PARTE I: O estilo neo-gótico da maior igreja da cidade

Construída entre os anos 1911-1932, é um belo exemplar do estilo neo-gótico, construído pelo arquiteto salesiano Ernesto Vespignani, também autor das igrejas do Santísimo Sacramento (bairro do Retiro) e da basílica de Maria Auxiliadora (bairro de Almagro).

O monumental templo de Nossa Senhora de Buenos Aires foi dedicado à Virgem de Bonaria ou Buen Ayre, imagem que acompanhou Pedro de Mendoza em sua expedição ao Rio da Prata e de cujo nome deriva o nome atual da cidade de Buenos Aires.

O templo foi inaugurado em 3 de dezembro de 1932 e restaurado no início dos anos 1990.

Continue lendo “IGREJA NOSSA SENHORA de BUENOS AIRES – PARTE I: O estilo neo-gótico da maior igreja da cidade”

IGREJA NOSSA SENHORA da MERCED – PARTE II: As Virgens “Generalas” como patronas e protetoras dos exércitos americanos

No frontão desta igreja está representando um conjunto escultórico que alude a um acontecimento histórico e fundamental na luta pela libertação do império espanhol.

Nele Manuel Belgrano é visto oferecendo à Virgem de la Merced o bastão de comando do Exército do Norte, antes da vitória na Batalha de Tucumán.

A nomeação de Virgens Generalas em exércitos regulares constituiu uma chave determinante na história da guerra de independência na América, dando testemunho da popularidade que esta imagem alcançou entre os crioulos revolucionários no sul do Peru e no Río da Plata. Continue lendo “IGREJA NOSSA SENHORA da MERCED – PARTE II: As Virgens “Generalas” como patronas e protetoras dos exércitos americanos”

IGREJA NOSSA SENHORA da MERCED – Parte V: Retábulos do mestre entalhador Tomás Saravia

Bairrro_Monserrat_Buenos_Aires_Argentina_Iglesia_Patrimonio_Cultural_Religioso_ San_Telmo_Historico_Clarisas_Capuchinas_Clarissas_Capuchinhas_Betharram_Assis_Bayoneses_Convento_Mosteiro_Invasões _Inglesas_ Interior

Gabriela Braccio / Gustavo H. Tudisco investigam os retábulos relacionados ao mestre entalhador Tomás Saravia, permitindo não só aproximar mais detalhadamente suas obras, mas também seguir a trajetória de um artista da época colonial, situada entre duas igrejas-convento em Buenos Aires Aires no final do século XVIII.

A comparação e o levantamento documental se estabelecem entre duas obras deste autor realizadas na Igreja da Merced e quatro anos depois na Igreja de San Juan Bautista. A investigação revelou algumas particularidades da prática retábular em Buenos Aires no final do século XVIII, como custos, desenhos e clientes. Continue lendo “IGREJA NOSSA SENHORA da MERCED – Parte V: Retábulos do mestre entalhador Tomás Saravia”

Igreja de São Juan Bautista de Betharram – Parte V: O Convento das irmãs Capuchinhas

Bairrro_Monserrat_Buenos_Aires_Argentina_Iglesia_Patrimonio_Cultural_Religioso_ San_Telmo_Historico_Clarisas_Capuchinas_Clarissas_Capuchinhas_Betharram_Assis_Bayoneses_Convento

Chegou a hora de falar sobre o Convento das Irmãs Capuchinhas, o Convento Nossa Senhora do Pilar, localizado junto á igreja San Juan Bautista no bairro de Monserrat.

Os únicos dois mosteiros de clausura que Buenos Aires possuía durante o período colonial foram: Nossa Senhora do Pilar, das Capuchinhas“descalzas”-Santa Catalina de Sena, das Freiras Dominicanas “calzadas”.

Um grupo de irmãs capuchinhas deixou Santiago do Chile em 1745 para se estabelecer o segundo convento de freiras da cidade de Buenos Aires. Depois de dois anos dolorosos de viagem por terra, elas chegaram em 174 7. As irmãs da congregação Capuchinhas viveram no claustro até 1982, agora chamadas Clarissas, mudaram-se para a cidade de Moreno (zona metropolitana de Buenos Aires).

Uma parte do convento, foi demolido. Onde atualmente se encontra o “Pátio da Reconquista”, cenário das batalhas sucedidas durante as invasões inglesas (1806 – 1807). Durante os confrontos bélicos o convento foi usado como hospital, para os feridos de ambos os lados. O pátio central era a área usada para atendê-los. A maioria dos soldados patriotas e ingleses falecidos em combate foram sepultados aqui.

O “Pátio da Reconquista” é uma bela praça arborizada, ligada a antigos pátios, cercada pelas paredes originais da igreja – com mais de dois metros de espessura. Nos fundos da igreja, lugar da antiga horta,  um importante hotel cinco estrelas foi construído, que a través do Pátio, o Convento e pela moderna torre do “Hotel Intercontinental”, o complexo turístico comunica-se nos fundos com os domínios da igreja. Continue lendo “Igreja de São Juan Bautista de Betharram – Parte V: O Convento das irmãs Capuchinhas”

IGREJA de SAN CRISTOBAL – PARTE I: A grande imigração europeia e a criação de novos bairros na cidade de Buenos Aires

Historicamente o bairro de San Cristóbal caracterizou-se por ser um local onde muitas famílias tradicionais da sociedade portenha tinham suas fazendas. Havia também grandes terras para o cultivo de vegetais e alfafa, algumas delas com extensas hortas.

A chegada massiva de imigrantes ampliou os antigos limites da colônia, transformando a região metropolitana em residência das classes trabalhadoras. Por sua vez, a expansão dos meios de transporte, como ferrovias e tranvias, permitiu que as classes trabalhadoras acessassem os subúrbios e ali adquirissem terrenos ou casas a preços mais baratos do que no centro da cidade.

O bairro surgiu a partir da construção da Igreja de San Cristóbal e do Mercado de San Cristóbal, sendo este o primeiro mercado da cidade de Buenos Aires, ainda hoje em funcionamento. Continue lendo “IGREJA de SAN CRISTOBAL – PARTE I: A grande imigração europeia e a criação de novos bairros na cidade de Buenos Aires”

BASÍLICA de SAN JOSÉ de FLORES – PARTE II: O novo e definitivo templo construído no bairro de Flores

Em 4 de maio de 1879, a pedra fundamental do novo templo foi lançada. O risco esteve a cargo dos arquitetos italianos Benito Panunzi e Emilio Lombardo. A construção foi executada pelos arquitetos Andrés Simonazzi e Tomás Allegrini.

Em 18 de fevereiro de 1883, após 3 anos e 9 meses, foi inaugurada a atual Igreja de San José de Flores. A rápida conclusão da obra foi produto da eficiente ação da comissão encarregada de arrecadar fundos, composta por membros de famílias mais abastadas do bairro de Flores. Continue lendo “BASÍLICA de SAN JOSÉ de FLORES – PARTE II: O novo e definitivo templo construído no bairro de Flores”