UIA 2020 RIO: Congresso Mundial de Arquitetos, Rio de Janeiro 2020

O Rio de Janeiro foi escolhido para sediar em 2020 o 27º Congresso Mundial de Arquitetos, evento que pela primeira vez dará à cidade-sede o título de Capital Mundial da Arquitetura, um projeto conjunto da Unesco e da União Internacional de Arquitetos (UIA) que procura levar ao nível das comunidades o necessário diálogo entre sustentabilidade e urbanismo.

A 27ª edição do Congresso Mundial de Arquitetos – UIA 2020 RIO – que acontece de 19 a 23 de julho de 2020 reúne a pesquisadores e projetistas da área de urbanismo, paisagismo e arquitetura. O planejamento urbano é convidado a apresentar propostas para o desenvolvimento de iniciativas e projetos que contribuam de forma significativa para o tema central do Congresso.

O anúncio foi feito nesta sexta-feira (18) na sede da Organização das Nações Unidas para a Educação e Cultura (Unesco), em Paris. A cidade do Rio ganhou a indicação para sediar o evento concorrendo com Paris, na França, e Melbourne, na Austrália.

Em 2012, a Unesco já tinha concedido ao Rio o título de patrimônio cultural mundial na categoria paisagem urbana. Com a designação desta sexta-feira, o Rio fica responsável pela organização do Congresso mundial da União Internacional dos Arquitetos, que é realizado a cada três anos.

“A ambição desta iniciativa é favorecer novas sinergias entre cultura e arquitetura para que se convertam em um polo de ideias sobre cultura, ciência, meio ambiente e desenvolvimento em geral”. “Estamos muito convictos que o UIA2020RIO tem condições de se desenvolver como um instrumento de valorização da Arquitetura em diálogo muito firme com a sociedade”, afirmou Sérgio Magalhães.

Congresso Mundial de Arquitetos, Rio de Janeiro 2020

Os quatro eixos temáticos definidos vão guiar os debates e palestras que acontecerão no evento pretendem refletir a diversidade cultural, econômica e arquitetônica.

  • O eixo “Diversidade e Mistura”: os debates pretendem reconhecer e construir o que é comum nas várias experiências internacionais.
  • O eixo “Mudanças e Emergência”: serão debatidos a emergência de um “novo arquiteto”, as mudanças climáticas e as mudanças tecnológicas.
  • O eixo “Fragilidades e Desigualdades”: vai tratar dos mundos urbanos, da periferia, da conexão e da participação popular na Arquitetura
  • O eixo “Transitoriedades e Fluxos”: trará debates sobre mobilidade internacional e migrações.

A designação como Capital Mundial da Arquitetura implica muitas responsabilidades. Durante um ano inteiro, o Rio de Janeiro será o ponto de encontro de arquitetos, planejadores e formuladores de políticas, mas também de artistas e escritores que irão refletir sobre “os prementes desafios globais da perspectiva da cultura, do patrimônio cultural, do planejamento urbano e da arquitetura”.

O Rio também deverá realizar vários eventos sob o lema proposto pela cidade: “Todos os mundos. Um só mundo”. Todos estarão ligados ao Objetivo número 11 da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável da ONU: “Fazer com que as cidades e os assentamentos humanos sejam inclusivos, seguros e sustentáveis”, afirmou Sérgio Magalhães.

Como será o Congresso Mundial de Arquitetos no Rio de Janeiro – UIA2020RIO

Estrutura de organização, espaços para eventos e eixos de discussão foram apresentados pelos arquitetos Sérgio Magalhães, presidente do Comitê Executivo do evento; Anderson Fioreti, diretor-executivo do Comitê Executivo; e Nivaldo Andrade, presidente do IAB.

Marina da Glória com o auditório principal com capacidade para 7.500 pessoas

O evento será realizado no Centro do Rio, tendo como espaço principal a Marina da Glória, que sediará a “Arena Todos os Mundos”, e a Feira Mundial, com capacidade para 1.800 pessoas. O Museu de Arte Moderna, projetado por Affonso Eduardo Reidy, e o Aterro do Flamengo, com paisagismo de Burle Marx, também vão compor essa estrutura central.

O Complexo de Eventos Marina da Glória esta localizado na Zona Sul, bem próximo ao Centro, encontra-se ao lado de estações do metrô, VLT, terminais de ônibus urbanos e importantes avenidas, além de possuir uma exclusiva via de acesso interna ao Aeroporto Santos Dumont.  Já no entorno, há vários hotéis e inúmeras opções de lazer e cultura, como teatros, museus, atrações turísticas, entre outras.

Museu Histórico Nacional de Rio de Janeiro

O UIA2020RIO vai também usar outros sítios históricos do Rio de Janeiro, como o Palácio Capanema de Lúcio Costa e equipe, os Galpões do Porto Maravilha, o Museu do Amanhã de Santiago Calatrava, a Praça XV, o Museu Histórico Nacional e o Paço Imperial, entre outros. “Arquitetura do Rio é um apelo importante para os arquitetos estrangeiros e temos que aproveitar isso”, afirmou o presidente do IAB, Nivaldo Andrade.

Uma das sedes do Congresso Mundial de Arquitetos do UIA2020Rio e importante monumento do modernismo brasileiro, o Palácio Gustavo Capanema.

O Palácio Gustavo Capanema, antiga sede do Ministério da Educação e Saúde (MEC)

O Palácio Gustavo Capanema, idealizado para sediar o Ministério da Educação e Saúde do governo de Getúlio Vargas, é um dos primeiros exemplares da arquitetura moderna no Brasil. É um edifício público localizado no centro da cidade do Rio de Janeiro, ele foi construído entre 1937 e 1945, tendo sido projetado por uma equipe composta por Lucio Costa, Carlos Leão, Oscar Niemeyer, Affonso Eduardo Reidy, Ernani Vasconcellos e Jorge Machado Moreira, com a consultoria do arquiteto franco-suíço Le Corbusier.

O terreno (que ocupa um quarteirão inteiro no centro do Rio de Janeiro) torna-se uma praça pública, porque o pavimento térreo do edifício é permeável, ou seja, permite a passagem desimpedida de pedestres. O prédio apoia-se em pilotis de dez metros e seus 16 andares foram erguidos com materiais arrojados: ferro e concreto, mármore de lioz, tijolo de vidro inglês misturado com mármore amarelo. Os painés de azulejos  são obra de Cândido Portinari. É decorado com esculturas de Bruno Giorgi, Celso Antônio e Alfredo Ceschiatti, e telas de Guignard e Pancetti. Possui livraria, espaço para exposições e apresentações.

Do bloco principal projeta-se a ala do auditório, no nível térreo e uma marquise na posição oposta, sobre a qual foi projetado o terraço-jardim do edifício por Roberto Burle Marx.

Em setembro passado, o Iphan realizou a restauração completa das fachadas do edifício, considerado um passo fundamental da obra, uma vez que essa é uma das principais características que marcaram a série de inovações modernistas aplicadas no Palácio Gustavo Capanema. As intervenções começaram em 2014 e já receberam investimentos de R $ 42 milhões, com ações que incluíram também a restauração de revestimentos de pedra pilotis, modernização de elevadores, impermeabilização do terraço do jardim e cobertura do bloco de auditórios, substituição de quadros nobres, entre outros .

Nesta etapa das obras, que receberão investimentos de R $ 57,8 milhões do Governo Federal, serão realizadas ações que incluem a restauração dos famosos painéis de azulejos de Candido Portinari e os móveis de madeira originais, bem como a conservação dos o terraço-jardim e a modernização do auditório e de toda a parte de infraestrutura do prédio com implantação de sistema de detecção de incêndio e sistemas de ar-condicionado. Espera-se que as obras sejam concluídas em 30 meses.

A assinatura do contrato para o início das obras foi realizada em cerimônia realizada no prédio na última quinta-feira, dia 14 de fevereiro 2019, com a presença da presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Katia Bogéa, e da presidente do Congresso Mundial de Arquitetos Sérgio Magalhães.

– Como arquiteto, é um privilégio estar observando a restauração deste edifício que não é apenas um pioneiro do modernismo brasileiro, é um exemplo absolutamente perfeito: possui os mais belos espaços, condições térmicas ideais e sua construção reuniu um equipe de grandes artistas que poderiam produzir este trabalho único – disse Sérgio Magalhães.

COMISSÃO DE HONRA 

A Comissão de Honra da UIA2020RIO, que reúne pessoas de destaque na sociedade para ajudar na promoção e divulgação do evento. Já estão confirmados como membros os arquitetos Paulo Mendes da Rocha (vencedor do Prêmio Priztker), Jaime Lerner (ex-presidente da UIA), o cantor Gilberto Gil (ex-ministro da Cultura) e a editora Marisa Moreira Salles (jurada da Bienal de Veneza 2016 e criadora do site ArqFuturo).

Paulo Mendes da Rocha é o presidente da Comissão de Honra da UIA.RIO.2020
O cantor Gilberto Gil, ex-ministro da Cultura, também faz parte da Comissão de Honra

Em agosto o Congresso Mundial de Arquitetos voltará a ser discutido na reunião do Colegiado das Entidades Nacionais de Arquitetos e Urbanistas (CEAU), que reúne o IAB, FNA, AsBEA, ABEA, ABAP e FeNEA. O presidente do CAU/BR, Luciano Guimarães, vai levar ao presidente da UIA, Thomas Vonier, a intenção de todos os presidentes e conselheiros do CAU/BR e dos CAU/UF de se integrar à tarefa de construir o UIA2020RIO.

 

fonte e fotos: Tomaz Silva/Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *