Museu de Sant’Ana, Tiradentes (MG) – Parte II: Historia e Fachada

Instalado na antiga Cadeia Pública da cidade de Tiradentes, o museu abriga 291 imagens de Sant’Ana, a santa protetora dos lares e da família, bem como dos mineradores. São obras brasileiras, de várias regiões do país, eruditas e populares, dos mais variados estilos e técnicas, produzidas em sua maioria por artistas anônimos, entre os séculos XVII e XIX.

O Museu de Sant’Ana, bem como o Museu do Oratório, em Ouro Preto e o Museu de Artes e Ofícios em Belo Horizonte estão vinculados ao Instituto Cultural Flávio Gutierrez – ICFG, fundado em 1998 e presidido por Angela Gutierrez. Continue lendo “Museu de Sant’Ana, Tiradentes (MG) – Parte II: Historia e Fachada”

Museu de Sant’Ana, Tiradentes (MG) – Parte I: As coleções de Angela Gutierrez que deram origem a três museus em Minas Gerais

Minas Gerais_Brasil_Patrimônio_Unesco_arquitetura_Estrada Real_Latino America_Instituto_Cultural_Flávio_Gutierrez_Angela Gutierrez_fundação

Concebido de forma exemplar, a partir de critérios museológicos e museográficos que dialogam com a própria história do prédio, a antiga Cadeia Pública da cidade de Tiradentes, o Museu de Sant’Ana foi inaugurado em 2014.

O Museu de Arte Sacra Brasileira  abriga ao redor de 300 imagens de Sant’Ana, mãe de Maria e avó de Jesus, santa protetora dos lares e da família, bem como dos mineradores.

Reunidas por Angela Gutierrez, presidenta do Instituto Cultural Flávio Gutierrez (ICFG), ao longo de quatro décadas de buscas e pesquisas, as peças constituem um acervo sem similar no país. Continue lendo “Museu de Sant’Ana, Tiradentes (MG) – Parte I: As coleções de Angela Gutierrez que deram origem a três museus em Minas Gerais”

Ruinas Jesuitas no Brasil: Os Sete Povos das Missões

Florianópolis_Santa_Catarina_Brazil_ilha_Brasil_Patrimônio_Unesco_

Durante a era colonial, portugueses e espanhóis disputavam áreas de influências para definir seus objetivos políticos e religiosos. Após o Tratado de Madri, de 1750, as reduções ficaram com os portugueses em troca da Colônia do Sacramento para os espanhóis.

Os Sete Povos das Missões foram assentamentos criados por padres jesuítas espanhóis no sul do Brasil com o objetivo de espalhar a fé católica catequizando os indígenas. A tarefa não foi fácil, entre os desafios dos padres jesuítas estavam os de convencer os índios de que precisavam ser sedentários e monogâmicos, enquanto o povo originário guarani, eles eram nômades, poligâmicos e politeístas. Continue lendo “Ruinas Jesuitas no Brasil: Os Sete Povos das Missões”

Missões Jesuíticas Guaranis em Argentina e Brasil: Patrimônio Cultural Mundial da Unesco

Reduções_Paraguai_Brasil_Argentina_Reducción_Patrimônio_Unesco_Missões_Guaranis_Misiones

Atualmente, existem cerca de 30 ruínas de comunidades Guaranis / Europeias catalogadas, sendo 15 na Argentina, 7 no Brasil e 8 no Paraguai. Dessas, 7 foram declaradas Patrimônio Mundial pela Unesco, sendo 1 no Brasil (São Miguel das Missões), 4 na Argentina (San Ignacio Miní, Santa Ana, Nuestra Señora de Loreto e Santa María la Mayor ) e 2 no Paraguai (La Santísima Trinidad de Paraná e Jesús de Tavarangue).

Em 1984, as ruínas brasileiras de San Miguel de las Misiones, que já haviam sido declaradas Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1983, foram ampliadas para incluir as missões de San Ignacio Miní, Nuestra Señora de Loreto, Santa María la Mayor e Santa Ana , tornando-se um único site transfronteiriço. Continue lendo “Missões Jesuíticas Guaranis em Argentina e Brasil: Patrimônio Cultural Mundial da Unesco”