CASA da BARONESA – Parte I: A nobreza do Brasil Imperial na antiga Vila Rica de Ouro Preto

Manoel Teixeira de Souza_Barão de Camargos_viscondessa de Camargos_Praça Tiradentes_Minas Gerais_Estada Real_Unesco_Patrimônio_Museu_Maria Leonor Felícia da Rosa_Brasil

A Casa da Baronesa está localizada na Praça Tiradentes, no centro da cidade.  A casa foi a residência de uma das mais ilustres famílias que se instalaram em Vila Rica: a família de Manoel Teixeira de Souza (Barão de Camargos) e Maria Leonor Felícia da Rosa (Viscondessa de Camargos).

Foi doada à união em 1941. Atualmente é sede do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em Ouro Preto. Continue lendo “CASA da BARONESA – Parte I: A nobreza do Brasil Imperial na antiga Vila Rica de Ouro Preto”

GRANDE HOTEL de Ouro Preto: A disputa entre a arquitetura modernista de Oscar Niemeyer e o projeto neocolonial de Carlos Leão

Oscar Niemeyer_Arquitetura_Modernista_Minas Gerais_Brasil_Estrada Real_Patrimônio_IPHAN_Carlos Leão_Neocolonial_Burle Marx_Gastronomia_Hotelaria_Hotéis_Turismo

A inserção do Grande Hotel de Oscar Niemeyer em Ouro Preto marca umas das primeiras inserções modernistas em sítios históricos no país, no momento em que a arquitetura modernista tinha grande força e o SPHAN estava em fase de consolidação.

Os projetos apresentados envolviam uma disputa conceptual dentro do âmbito da Arquitetura daqueles tempos: Moderista vs Neocolonial. Os modernistas asseguravam que seus projetos não eram suscetíveis de confundir-se com as edificações tradicionais da cidade de Ouro Preto, conformando expressões genuínas de contemporaneidade … enquanto o projeto neocolonial era julgado de “falsa arquitetura”, capaz de desvirtuar o verdadeiro contexto histórico, dando como resultado; expressões híbridas contemporâneas. Continue lendo “GRANDE HOTEL de Ouro Preto: A disputa entre a arquitetura modernista de Oscar Niemeyer e o projeto neocolonial de Carlos Leão”

ESTRADA REAL: Gastronomia & Design Colonial: Ouro Preto (MG), Brasil

Não se engane, Ouro Preto não só se trata de Igrejas. Existem pontes, chafarizes, passos, córregos, museus, galerias, universidades, joalherias, etc … em fim, um sem-fim de atividades que merecem uma estadia mínima de três dias para conhecer todas suas belezas.

Depois de tanto subir e baixar por suas íngremes ladeiras a fome ataca e o turista encontra uma variedade enorme de ofertas entre bares e restaurantes.

Hoje vamos recorrer dois restaurantes tradicionais da cidade. O Bené da Flauta Restaurante e Café que está bem ao lado da Igreja São Francisco de Assis, conhecida por ser uma das mais celebradas criações do mestre Aleijadinho. O segundo caso é a Casa do Ouvidor, fica no segundo andar de um sobrado localizado na rua mais comercial de Ouro Preto, na Rua Direita.

Uma característica que distingo a simples vista ao respeito do tipo de local, e que por um lado se encontram aqueles localizados num segundo andar, com varandas, janelas e vistas interessantes (como os dois casos que analisamos em este post), mas também existem outros bares localizados nos térreos dos sobrados, tipo underground, bem diferente (que mais na frente prometo apareceram num próximo post). Continue lendo “ESTRADA REAL: Gastronomia & Design Colonial: Ouro Preto (MG), Brasil”