Igreja San de Ignacio de Loyola – PARTE III: O Templo e seu acervo religioso

La Manzana de las Luces é um dos principais museus históricos do centro de Buenos Aires e recebe milhares de visitantes interessados em aprender sobre a história da cidade.

A Igreja de San Ignacio de Loyola, em Buenos Aires, foi construída pelos jesuítas no bairro de Monserrat, em Buenos Aires. Possui características em sua arquitetura que merecem destaque e que o tornam um edifício único.

Na última restauração, elementos originais foram recuperados e a igreja voltou a brilhar em todo o seu esplendor. Totalmente restaurado, por dentro e por fora, é um dos ativos históricos mais bem preservados da Argentina. Continue lendo “Igreja San de Ignacio de Loyola – PARTE III: O Templo e seu acervo religioso”

MUSEU de ARTE SACRA de OURO PRETO

Ouro Preto é a principal cidade do Ciclo do Ouro no Brasil e foi berço dos maiores artistas do estilo chamado Barroco Brasileiro. A cidade também foi cenário do movimento pela independência do Brasil em relação a Portugal, denominado de Inconfidência Mineira.

Por seu valor histórico e cultural, a cidade foi decretada Cidade Monumento Nacional em 1933, pelo então presidente Getúlio Vargas. Seu reconhecimento mundial se deu em 1980, quando a UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) declarou a cidade Patrimônio Cultural da Humanidade.

Com planta atribuída ao arquiteto Pedro Gomes Chaves, a igreja Nossa Senhora do Pilar é erguida no decorrer do século XVII, e sua fachada atual é concluída em 1848. Hoje a Igreja abriga também o Museu de Arte Sacra de Ouro Preto, que reúne imagens sacras, documentos e algumas das vestimentas usadas na celebração do Triunfo Eucarístico. Continue lendo “MUSEU de ARTE SACRA de OURO PRETO”

OURO PRETO (MG): Igreja N S das Mercês e Perdões – Parte I: A Mercês de Baixo

Mercês de baixo_Nossa Senhora das Merces_Estrada Real_Brasil_Minas_Gerais_Unesco_Patrimonio_Humanidade

Esta igreja foi erguida a partir da primitiva Capela chamada Bom Jesus dos Perdões (Cristo Crucificado) edificada pelo padre José Fernandes Leite, que ele mesmo  doou em 1760 à Irmandade de Nossa Senhora das Mercês. Da justaposição abreviada das duas devoções deriva a singular denominação de Nossa Senhora das Mercês e Perdões, pela qual a igreja é conhecida popularmente.

A igreja localizava-se numa região geográfica abaixo da outra irmandade de Mercês, ficando conhecida também como “Mercês de baixo” e a outra como “Mercês de cima” ou “Mercês e Misericórdia”. Continue lendo “OURO PRETO (MG): Igreja N S das Mercês e Perdões – Parte I: A Mercês de Baixo”

Porque Ouro Preto tem duas Igrejas das Mercês? … a Mercês de Baixo e a Mercês de Cima

Mercês de baixo_Nossa Senhora das Merces_Estrada Real_Brasil_Minas_Gerais_Unesco_Patrimonio_Humanidade_Matriz Antonio Dias

Em Ouro Preto a devoção a Nossa Senhora das Mercês existem duas igrejas onde ela é a padroeira.  Os nativos diferenciam de modo peculiar, baseados na topografia da montanhosa cidade: uma é a “Mercês de baixo” (cujo nome correto é Nossa Senhora das Mercês e Perdões), situada nas baixadas do bairro dos Paulistas, a caminho da Nossa Senhora da Conceição de Antonio Dias, e a outra é a “Mercês de cima” (situada acima da cidade e bem próxima do Hospital da Irmandade da Misericórdia). Continue lendo “Porque Ouro Preto tem duas Igrejas das Mercês? … a Mercês de Baixo e a Mercês de Cima”

A Basílica Nossa Senhora do Socorro – Parte I: A igreja da colónia que acolheu ao Cristo Senhor dos Milagres em Buenos Aires

Igreja_Iglesia_Retiro_Argentina_Patrimonio_Parroquia_Cristo_Señor_Milagros_Misa Criolla_Segade _Cantoría del Socorro

Na periferia da cidade, ao norte, havia um oratório denominado “dos pescadores”. Nessa área, em 1750, o espanhol Alejandro del Valle doou um terreno para a construção de um templo dedicado a Nossa Senhora do Socorro. Em 1769, essa igreja foi nomeada vice-paróquia da Catedral, e uma paróquia foi erguida em 25 de março de 1783. O templo foi consagrado em 20 de maio de 1896 pelo Arcebispo de Buenos Aires, Uladislao Castellano. E pouco depois, em 12 de fevereiro de 1898, o Papa Leão XIII a declarou Basílica Menor, sendo o primeiro templo em nosso país a alcançar esta distinção eclesiástica. Continue lendo “A Basílica Nossa Senhora do Socorro – Parte I: A igreja da colónia que acolheu ao Cristo Senhor dos Milagres em Buenos Aires”

TIRADENTES (MG): Igreja Matriz de Santo Antônio – Parte II: O interior dourado em Ouro

Minas Gerais_Brasil_Matriz_Patrimônio_Unesco_arquitetura_Estrada Real_Aleijadinho_ Irmandade_Barroco Mineiro_Irmandade_Latino America

O interior da matriz, consagrada a Santo Antônio. segundo cronistas de todos os tempos, asseguram que se trata da igreja mais bela e mais majestosa das Minas Gerais. Logo na entrada, é difícil não se impressionar com os lustres de prata e a quantidade de ouro que decoram o altar e suas imagens.

A matriz de Santo Antônio surprende pelo seu interior deslumbrantemente dourado. Esta igreja é considerada a segunda igreja em ouro do Brasil, sendo a primeira em Salvador, Bahia.

A capela-mor foi executada entre 1739-1741 pelo entalhador João Ferreira Sampaio. Ela é um dos mais admiráveis conjuntos de talha do Brasil. Continue lendo “TIRADENTES (MG): Igreja Matriz de Santo Antônio – Parte II: O interior dourado em Ouro”

Basílica e Convento de Santo Domingo – Parte III: Chegou a hora de entrar no Templo e conhecer os detalhes do interior

Na Parte I falamos da historia do templo e sua fachada, junto a historia da Ordem dos Pregadores Dominicanos em América  e sua chegada a Buenos Aires para fundar a Basílica do Rosário e Convento Santo Domingo.

Na Parte II narrei a historia que une Virgem do Rosário com o título de Patrona da Reconquista e Defesa de Buenos Aires durante as Invasões Inglesas, cujas bandeiras conquistadas ao inimigo são exibidas nesta igreja.

Por fim chegou a hora de entrar no templo e apreciar a maravilhosas talhas em mármore nas colunas, confessionários e no Altar mor.  e dos increivel quadros venezianos que representam os 15  Misterios do Rosario. Desta vez, depois de navegar pelo interior do templo vamos falar sobre o culto e devoção da Virgem do Rosário em diferentes pontos de América Latina.

Também vamos falar do infeliz incêndio do antigo retábulo, uma historia que entristece a todos os amantes do patrimônio histórico da cidade de Buenos Aires.

Continue lendo “Basílica e Convento de Santo Domingo – Parte III: Chegou a hora de entrar no Templo e conhecer os detalhes do interior”

Basílica e Convento de Santo Domingo – Parte II: As Invasões Inglesas e Restauração da Capela do Rosário

Argentina_Monserrat_ San Telmo_Patrimônio_invasão_inglesa_iglesia_Reconquista_Convento_Dominicanos Dominicos_Gusmão_irmandad_Misterios_Virgem

O costume de oferecer as bandeiras capturadas ao inimigo à Virgem que cuidara maternalmente de seus devotos nos campos de batalha tem antecedentes distantes na Europa e logo depois durante as guerras de independência na América.

Pouco antes da invasão napoleônica na península ibérica, os ingleses entraram no Rio da Prata com o objetivo de apreender dos espanhóis, os domínios de Buenos Aires e Montevidéu, em duas ocasiões (1806 e 1807).

A pilhagem dos templos e as brigas nos conventos protagonizado pelos ingleses incentivaram a visão patriótica dos crioulos. O líder determinado da defesa e reconquista de Buenos Aires, Santiago Liniers, prometeu oferecer à imagem do Rosário as bandeiras capturadas ao inimigo. Após a vitória, várias imagens foram tiradas em procissão e as bandeiras foram depositadas diante do Rosário, dentro do templo.

Atualmente, é conhecida como Virgem do Rosário da Reconquista e Defesa de Buenos Aires, pois foi nesta igreja e convento onde aconteceu o combate decisivo de Santo Domingo, que terminaria com a derrota final do exército inglês.

Visitei a Basílica do Rosário em Julho de 2019 e depois em Janeiro de 2020, registrando em primeiro lugar os trabalhos de restauração na Capela do Rosário e tempo depois, os trabalhos concluídos da capela onde estão exibidas as bandeiras capturadas aos ingleses. Continue lendo “Basílica e Convento de Santo Domingo – Parte II: As Invasões Inglesas e Restauração da Capela do Rosário”

OURO PRETO (MG): Igreja Nossa Senhora do Carmo – PARTE II: A Sacristia e o Consistório, são verdadeiras salas de museus

ESTRADA REAL_Minas Gerais_Brasil_Patrimônio_Vila Rica_Arquitetura_Barroco_Mineiro_IPHAN_Unesco_Athaíde_Carmelitas_ Aleijadinho_Santa Quitéria

A Igreja foi construída sob a antiga capela de Santa Quitéria, que era de pau a pique e foi erguida nos primeiros anos de ocupação da cidade de Vila Rica. Construída entre 1766 e 1772, possui projeto arquitetônico de Manuel Francisco de Lisboa, o pai do Mestre Aleijadinho. Sua ornamentação possui obras do pintor Manoel da Costa Athaíde e também de Aleijadinho.

Continuamos percorrendo o interior da Igreja do Carmo para avistar os altares laterais, consistório e sacristia, onde as pinturas dos forros são maravilhosas. As amplas janelas oferecem uma visual diferente a cada passo. Continue lendo “OURO PRETO (MG): Igreja Nossa Senhora do Carmo – PARTE II: A Sacristia e o Consistório, são verdadeiras salas de museus”

OURO PRETO (MG): Igreja Nossa Senhora do Carmo – PARTE I: A ornamentação do seu interior

ESTRADA REAL_Minas Gerais_Brasil_Patrimônio_Vila Rica_Arquitetura_Barroco_Mineiro_IPHAN_Unesco_Athaíde_Carmelitas_ Aleijadinho_Santa Quitéria

A igreja de Nossa Senhora do Carmo de Ouro Preto é uma das mais belas, mais harmoniosas e mais requintadas igrejas, não apenas de Minas, mas de todo o Brasil.

Esta vez vou começar o post pelo interior da igreja, que é imenso: Nave; Capela-mor e Altar; Sacrististia; Consistorio e além tem museu também. Nesta primeira parte tem muitos vídeos e fotos que permitiram conhecer e seguir um recorrido, pelo sue espaço interior e pela sua historia. Continue lendo “OURO PRETO (MG): Igreja Nossa Senhora do Carmo – PARTE I: A ornamentação do seu interior”