Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade na Colômbia: Os bens culturais nomeados pela UNESCO – Parte IV

v

O patrimônio imaterial ou intangível é aquele que se relaciona com a maneira como os diferentes grupos sociais se expressam por meio de suas festas, saberes, fazeres, ofícios, celebrações e rituais. As formas tradicionais e artesanais de expressão são classificadas, por serem importantes formadoras da memória e da identidade dos grupos sociais, contendo em si, os múltiplos aspectos da cultura cotidiana de uma comunidade, bem como o caráter não formal de transmissão dos saberes, ou seja: a oralidade.

O Bëtscnaté inclui os rituais preparatórios que se estendem até o dia da celebração do Grande Dia da tradição da comunidade indígena Camëntsá, manifestada nos ensinamentos dos antepassados, parentes, parentes, amigos e anciãos.

A Pintura Viva é uma expressão popular feita por atores espontâneos, principalmente jovens. É uma representação pública e efêmera que tem a rua como teatro, as temáticas são geralmente de natureza religiosa, moral, histórica e às vezes satírica que se realiza todo ano no município de Galera.

No âmbito musical destacamos as singulares vocês relacionadas as tarefas de trabalho com gado em fazendas e rebanhos nas planícies colombianas venezuelanas, onde o “LLanero” (gaúcho) conduze ao gado com diferentes vocês e gritos. E obviamente também esta o ritmo “vallenato“, um ritmo que adoro e que se fez popular a traves de consagrados artistas colombianos. Continue lendo “Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade na Colômbia: Os bens culturais nomeados pela UNESCO – Parte IV”

Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade na Colômbia: Os bens culturais nomeados pela UNESCO – Parte III

UNESCO_Inmaterial_CULTURAL_Musica_Teatro_ritos_comunidade_Carnaval_Festa_Cultura_Humanidade_tradição_dança _tambor_Palenque

Patrimônio cultural imaterial ou Patrimônio Cultural Intangível é uma categoria de patrimônio cultural definida e adotada pela UNESCO, em 2003. Abrange as expressões culturais e as tradições que um grupo de indivíduos preserva em respeito à sua ancestralidade, para as gerações futuras. São exemplos de patrimônio imateriais: os sabres, os modos de fazer, as formas de expressão, as celebrações, as festas e as danças populares, as lendas, as músicas, costumes e outras tradições.

A Festa de São Francisco de Assis na localidade de Quibdó começa quando o santo atravessa o rio nas jangadas e a visita cada um dos bairros, onde as pessoas fazem suas oferendas.

O Encontro Nacional de Bandas de Música em Paipa foi criado em 1973. É o encontro com a maior cobertura nacional e o de maior diversidade de categorias (bandas juvenis, maiores, especiais, de festas ou populares e bandas universitárias ou profissionais).

Na cidade de Santiago de Cali um simpático evento que mediante a elaboração das macetas de alfeñique, uma delicia culinária da região, celebra a relação simbólica entre padrinhos e afilhados. Continue lendo “Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade na Colômbia: Os bens culturais nomeados pela UNESCO – Parte III”

MUSEU ZANJÓN de GRANADOS: A cidade de Buenos Aires e seus rios – Parte I

Os túneis encontrados sob esta antiga casa no bairro de San Telmo não têm nada a ver com os túneis misteriosos da “Manzana de las Luces“, atribuídos a rotas de fuga ou contrabando, uma atividade recorrente nos primeiros tempos da colônia.

A maior parte do sistema de drenagem original de Buenos Aires estava conformado por vários arroyos (riachos/córregos) e foram substituídos por dutos canalizados, enterrados e cobertos. Seu traçado original pode ser descoberto na estrutura em zigue-zague de muitas ruas portenhas.

Este é o caso de dois túneis do Zanjón de Granados que foram descobertos no coração do bairro de San Telmo.

Para falar sobre o Museu Zanjón de Granados, achei que era preciso relatar em primeiro lugar a conformação do sistema pluvial da cidade de Buenos Aires. Para isso vamos falar da bacia do Arroyo Maldonado que nasce nos bairros de Tres de Febrero, La Matanza e Morón. Ela uma das maiores e mais importantes bacias da cidade, uma vez que atravessa todo o centro, de oeste para leste. Continue lendo “MUSEU ZANJÓN de GRANADOS: A cidade de Buenos Aires e seus rios – Parte I”