Virgem de Caacupé – Parte II: A Virgem de origem Guarani em Paraguai e Argentina

Virgem de Caacupé_Tupâsy Ka'acupe_Assunção_Argentina_Patrimonio_santuário_Paraguai_Milagros_Parque Rivadavia_Caballito_União Sagrada dos Sagrados Corações_Imigrantes_mbayás_Tobatí_Iglesia_interior

Costuma-se dizer que Caacupé é a capital espiritual do Paraguai, porque possui o maior santuário do país pois a Virgem de Caacupé é a padroeira do Paraguai. Durante sua visita ao pais em 2015, o Papa Francisco elevou o Santuário da Virgen de Caacupé à categoria de Basílica Menor.

Em 1986 a Virgem chega a Argentina acompanhada como consequência da grande imigração paraguaia que vem acontecendo nas ultimas décadas, junto a outras nacionalidades latino-americanas como as procedentes de Bolívia, Peru e Venezuela. A Virgem chegou para se instalar no bairro de Caballito na antiga igreja fundada pelas freiras britânicas pertencentes à ordem francesa da União Sagrada dos Sagrados Corações, que construíram nos finais do século 19 junto ao Colégio da irmandade.

Em Paraguai, em 4 de novembro de 1980, a primitiva Igreja e Santuário de Tupao Tujá foi demolida para construir o novo Santuário da Virgem, hoje a Basílica Menor de Nossa Senhora de Caacupé. Para que a nova Basílica fosse construída, eles demoliram uma igreja do século 18.

Em 1937 o governo argentino desaproprio das freiras o Colegio e Igreja com o intuito de estabelecer lá o novo Palácio Municipal de Buenos Aires, fato que nunca chegou a se concretizar. A igreja infelizmente foi transformada em depósito, separada do prédio da escola, a capela ficou inativa e abandonada ao seu destino por mais de 40 anos.

Neste post vamos conhecer os templos da Virgem de Caacupé em  Paraguai e Argentina e descobrir como é que aconteceu esses sucessos tão infelizes para Patrimônio Histórico de amos os dois países. Continue lendo “Virgem de Caacupé – Parte II: A Virgem de origem Guarani em Paraguai e Argentina”

Virgem de Caacupé – Parte I: Padroeira da Republica do Paraguai no bairro de Caballito

Virgem de Caacupé_Tupâsy Ka'acupe_Assunção_Argentina_Patrimonio_santuário_Paraguai_Milagros_Parque Rivadavia_Caballito_União Sagrada dos Sagrados Corações_Imigrantes_mbayás_Tobatí_Iglesia_ Alejandro Christophersen

O curioso é que sua entrada principal fica nos fundos do estabelecimento, uma vez que pertencia à escola fundada pelas freiras britânicas pertencentes à ordem francesa da União Sagrada dos Sagrados Corações. Hoje o ingresso acontece por uma porta lateral com vista para a Avenida Rivadavia, desde onde você pode ver a abside da igreja, que virou fachada principal.

A historia desta igreja é bastante particular porque mesmo sendo de uma beleza imensa, obra do famoso arquiteto Alejandro Christophersen, ficou relegada ao esquecimento logo depois da desapropriação do colégio para estabelecer nele o Palácio do Governo Municipal, coisa que nunca aconteceu, ficando a igreja inativa.

Em 1983, após décadas de negligência, a igreja foi completamente restaurada é restituída ao clero recebendo a imagem da Virgem de Caacupé, padroeira do Paraguai. Assim, a igreja  transformou-se em um local de adoração muito importante  para a grande comunidade paraguaia que reside em Argentina. Continue lendo “Virgem de Caacupé – Parte I: Padroeira da Republica do Paraguai no bairro de Caballito”

Basílica e Convento de Santo Domingo – Parte III: Chegou a hora de entrar no Templo e conhecer os detalhes do interior

Na Parte I falamos da historia do templo e sua fachada, junto a historia da Ordem dos Pregadores Dominicanos em América  e sua chegada a Buenos Aires para fundar a Basílica do Rosário e Convento Santo Domingo.

Na Parte II narrei a historia que une Virgem do Rosário com o título de Patrona da Reconquista e Defesa de Buenos Aires durante as Invasões Inglesas, cujas bandeiras conquistadas ao inimigo são exibidas nesta igreja.

Por fim chegou a hora de entrar no templo e apreciar a maravilhosas talhas em mármore nas colunas, confessionários e no Altar mor.  e dos increivel quadros venezianos que representam os 15  Misterios do Rosario. Desta vez, depois de navegar pelo interior do templo vamos falar sobre o culto e devoção da Virgem do Rosário em diferentes pontos de América Latina.

Também vamos falar do infeliz incêndio do antigo retábulo, uma historia que entristece a todos os amantes do patrimônio histórico da cidade de Buenos Aires.

Continue lendo “Basílica e Convento de Santo Domingo – Parte III: Chegou a hora de entrar no Templo e conhecer os detalhes do interior”

Ruinas Jesuitas no Brasil: Os Sete Povos das Missões

Florianópolis_Santa_Catarina_Brazil_ilha_Brasil_Patrimônio_Unesco_

Durante a era colonial, portugueses e espanhóis disputavam áreas de influências para definir seus objetivos políticos e religiosos. Após o Tratado de Madri, de 1750, as reduções ficaram com os portugueses em troca da Colônia do Sacramento para os espanhóis.

Os Sete Povos das Missões foram assentamentos criados por padres jesuítas espanhóis no sul do Brasil com o objetivo de espalhar a fé católica catequizando os indígenas. A tarefa não foi fácil, entre os desafios dos padres jesuítas estavam os de convencer os índios de que precisavam ser sedentários e monogâmicos, enquanto o povo originário guarani, eles eram nômades, poligâmicos e politeístas. Continue lendo “Ruinas Jesuitas no Brasil: Os Sete Povos das Missões”

Basílica e Convento de Santo Domingo – Parte II: As Invasões Inglesas e Restauração da Capela do Rosário

Argentina_Monserrat_ San Telmo_Patrimônio_invasão_inglesa_iglesia_Reconquista_Convento_Dominicanos Dominicos_Gusmão_irmandad_Misterios_Virgem

O costume de oferecer as bandeiras capturadas ao inimigo à Virgem que cuidara maternalmente de seus devotos nos campos de batalha tem antecedentes distantes na Europa e logo depois durante as guerras de independência na América.

Pouco antes da invasão napoleônica na península ibérica, os ingleses entraram no Rio da Prata com o objetivo de apreender dos espanhóis, os domínios de Buenos Aires e Montevidéu, em duas ocasiões (1806 e 1807).

A pilhagem dos templos e as brigas nos conventos protagonizado pelos ingleses incentivaram a visão patriótica dos crioulos. O líder determinado da defesa e reconquista de Buenos Aires, Santiago Liniers, prometeu oferecer à imagem do Rosário as bandeiras capturadas ao inimigo. Após a vitória, várias imagens foram tiradas em procissão e as bandeiras foram depositadas diante do Rosário, dentro do templo.

Atualmente, é conhecida como Virgem do Rosário da Reconquista e Defesa de Buenos Aires, pois foi nesta igreja e convento onde aconteceu o combate decisivo de Santo Domingo, que terminaria com a derrota final do exército inglês.

Visitei a Basílica do Rosário em Julho de 2019 e depois em Janeiro de 2020, registrando em primeiro lugar os trabalhos de restauração na Capela do Rosário e tempo depois, os trabalhos concluídos da capela onde estão exibidas as bandeiras capturadas aos ingleses. Continue lendo “Basílica e Convento de Santo Domingo – Parte II: As Invasões Inglesas e Restauração da Capela do Rosário”

Missões Jesuíticas Guaranis em Argentina e Brasil: Patrimônio Cultural Mundial da Unesco

Reduções_Paraguai_Brasil_Argentina_Reducción_Patrimônio_Unesco_Missões_Guaranis_Misiones

Atualmente, existem cerca de 30 ruínas de comunidades Guaranis / Europeias catalogadas, sendo 15 na Argentina, 7 no Brasil e 8 no Paraguai. Dessas, 7 foram declaradas Patrimônio Mundial pela Unesco, sendo 1 no Brasil (São Miguel das Missões), 4 na Argentina (San Ignacio Miní, Santa Ana, Nuestra Señora de Loreto e Santa María la Mayor ) e 2 no Paraguai (La Santísima Trinidad de Paraná e Jesús de Tavarangue).

Em 1984, as ruínas brasileiras de San Miguel de las Misiones, que já haviam sido declaradas Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1983, foram ampliadas para incluir as missões de San Ignacio Miní, Nuestra Señora de Loreto, Santa María la Mayor e Santa Ana , tornando-se um único site transfronteiriço. Continue lendo “Missões Jesuíticas Guaranis em Argentina e Brasil: Patrimônio Cultural Mundial da Unesco”

Basílica e Convento de Santo Domingo – Parte I: A Ordem dos Pregadores Dominicanos na Argentina

Invasiones_Inglesas_Belgrano_Monserrat_Dominicos_Monumento_Histórico_Nacional_Patrimonio_colonial_San Telmo_arquitetura_lighting_design

Percorrendo o bairro de Monserrat e sua elegante Avenida Belgrano, chego à esquina da rua Defensa, aquela que os dias domingo se transforma em uma feira muito popular no bairro contíguo de San Telmo.

Nessa esquina (Av. Belgrano e Defensa) fica a igreja e o convento da Ordem dos Pregadores Dominicanos. O nome correto é Basílica de Nossa Senhora do Rosário e Convento de Santo Domingo, muitas vezes denominada abreviadamente como Basílica do Rosário (Santo Domingo).

A avenida não apenas homenageia o General Manuel Belgrano, herói da revolução e independência da Argentina, como assim também faz o átrio da Basílica onde se encontra o mausoléu do herói da pátria e criador da bandeira nacional argentina.

Curiosamente, neste local são exibidas as bandeiras conquistadas durante as batalhas contra o exército inglês nas chamadas invasões inglesas de 1806 e 1807. Continue lendo “Basílica e Convento de Santo Domingo – Parte I: A Ordem dos Pregadores Dominicanos na Argentina”