Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade: Colômbia foi sede da última Convenção da Unesco em América Latina

Pela primeira vez, o Comitê Intergovernamental da Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial da Unesco se reuniu na América Latina e no Caribe.

O Comitê se reuniu em Bogotá de 9 a 14 de dezembro de 2019 com a participação de mais de 1.000 pessoas, representantes dos 24 Estados Partes no Comitê e na Convenção, organizações não-governamentais, estados observadores e membros da sociedade civil.

Colômbia foi sede da Convenção para la Salvaguarda do Património Cultural Imaterial

Atualmente, o chanceler colombiano é presidente da Comissão Colombiana de Cooperação com a Unesco, enquanto a secretária de Cultura, Recreação e Esporte de Bogotá, María Claudia López. Ela foi presidente do Bureau do Comitê da Convenção, responsável por liderar a reunião em Bogotá.

O Comitê é o órgão de tomada de decisão da Convenção da UNESCO para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial e tem como principais funções promover os objetivos da reunião, fornecer conselhos sobre práticas exemplares e fazer recomendações sobre medidas para salvaguardar o Patrimônio Cultural Imaterial Mundial.

Patrimônio Cultural Imaterial da Colômbia

A Colômbia tem dez manifestações declaradas Patrimônio Imaterial da Humanidade. Mas sua lista representativa é muito mais extensa e a conheceremos de aqui para frente através de várias publicações; uma viagem pelos costumes, tradições, expressões artísticas e religiosas do pais.

A Lista de Representativa é um mecanismo de salvaguarda do patrimônio cultural intangível. É constituído pelo conjunto de manifestações que são incorporadas a um catálogo especial por meio do ato administrativo da autoridade competente (Ministério da Cultura, Governadores, Prefeitos, autoridades Indígenas ou Conselhos da comunidade afro-colombiana).

A inclusão na lista tem como condição a elaboração de um plano especial de salvaguarda, acordo social para identificação, revitalização, documentação, divulgação e proteção das manifestações.

Lista de Representativa do Patrimônio Cultural Intangível da Colômbia:

  1. Espaço cultural de San Basilio de Palenque – 2008
  2. O sistema regulatório wayúu aplicado pelo palajero Putchipu’ui – 2010
  3. Música marimba e canções tradicionais do Pacífico Sul da Colômbia – 2010
  4. He Yaia Keti Oka, conhecimento tradicional (Jaguares de Yuruparí) para o manejo de grupos indígenas do rio Pirá Paraná – 2011
  5. Carnaval preto e branco de Pasto – 2009
  6. Procissões da Semana Santa em Popayán – 2009
  7. Cuadrillas de San Martín – 2017
  8. Carnaval de Riosucio – 2011
  9. Festas de San Francisco de Asís ou San Pacho em Quibdó – 2012
  10. Encontro Nacional de Bandas de Música em Paipa – 2013
  11. O processo de formar e viver como nükak baka (pessoas verdadeiras) -2013
  12. A tradição de celebrar afilhados com vasos de alfeñique na cidade de Santiago de Cali – 2013
  13. Bëtscnaté o Grande Dia da tradição Camëntsá – 2013
  14. Pinturas vivas de Galeras, Sucre – 2013
  15. Canções de trabalho de Llano – 2017
  16. A música vallenata tradicional do Caribe colombiano – 2015
  17. Galíes, ritos funerários das comunidades afro do meio de San Juan – 2014
  18. Manifestação cultural Silletera – 2015
  19. Carnaval de Barranquilla – 2015
  20. Partería afro del Pacífico – 2017
  21. O sistema de conhecimento ancestral dos povos Arhuaco, Kankuamo, Kogui e Wiwa da Serra Nevada de Santa Marta – 2017

 

fonte:

  • https://www.mincultura.gov.co/
  • http://www.unesco.org

 

MUSEU CASA CARLOS GARDEL: Herança sem lugar – Parte II

Não sinto menos do que indignação quando um turista observa: “como não há um museu de tango?!!!”. … Infelizmente, não existe um museu onde esta importante herança nacional seja exibida, uma paixão que abrange o mundo inteiro e tem sua origem na Argentina: Tango e Gardel.

Conheceremos neste post a história do MUSEU CASA CARLOS GARDEL, suas restaurações controversas e o colecionador Walter Santoro, que possui a maior coleção de objetos de Carlos Gardel e ainda aguarda um local onde eles possam ser expostos. Continue lendo “MUSEU CASA CARLOS GARDEL: Herança sem lugar – Parte II”

MUSEU CASA CARLOS GARDEL: Sua primeira e única casa em Buenos Aires – Parte I

Localizado no tradicional bairro Abasto de Buenos Aires, o Museu Casa Carlos Gardel tem como objetivo homenagear o cantor de tango mais importante de todos os tempos, o principal embaixador mundial do tango.

Em 1927, Gardel comprou a casa onde moraria com sua mãe Berta. Anos depois, o cantor decidiu viajar para a França e os EUA, após a morte de sua mãe, a casa foi deixada para o último representante de Gardel. Depois de funcionar como “La Casa del Tango” durante a década de 1980, em 2003 a casa foi convertida em museu. Continue lendo “MUSEU CASA CARLOS GARDEL: Sua primeira e única casa em Buenos Aires – Parte I”

EILD 2019: Encontro Ibero-Americano de Lighting Design Colônia do Sacramento, Uruguai

EILD é um evento que teve sua primeira edição em 2010 na cidade de Valparaíso (Chile) e passou por locais como Querétaro (México), Medellín (Colômbia) e Ouro Preto (Brasil), sempre com o apoio e participação dos governos, fabricantes locais e importantes de equipamentos de iluminação, profissionais, associações e instituições nacionais e internacionais.

A edição de Ouro Preto em 2016 representou um ponto de virada com a mudança de formato. Colônia do Sacramento em esta ocasião reafirmou a natureza participativa e horizontal do Encontro Ibero-Americano de Design de Iluminação.

EILD é uma família formada por membros de diversas origens, num esquema marcadamente transversal, que é citado a cada dois anos em um belo cenário histórico.

Continue lendo “EILD 2019: Encontro Ibero-Americano de Lighting Design Colônia do Sacramento, Uruguai”