SEMANA SANTA em OURO PRETO (MG): Dia 4 – Segunda Santa: A disputa entre a Matriz do Pilar e a Matriz do Antônio Dias

A rivalidade entre os antigos arraiais dos Jacubas o dos Mocotós persistiram mesmo despois que o processo de urbanização chegara a consolidar a união deles no Morro da Quitéria, atual Praça Tiradentes.

As irmandades do Santíssimo Sacramento, presente na Matriz do Pilar e na Matriz de Antônio Dias foram responsáveis pela promoção da festividade socialmente integradora do corpo de Deus (Corpus Christi) e a celebração da Semana Santa.

A rivalidade ficou plasmada desde os tempos da colônia, sendo determinada a alternância na condução dos cerimoniais: nos anos pares, a Paróquia de Nossa Senhora do Pilar fica encarregada de organizar as celebrações; nos anos ímpares, essa função fica a cargo da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, do Antônio Dias. Continue lendo “SEMANA SANTA em OURO PRETO (MG): Dia 4 – Segunda Santa: A disputa entre a Matriz do Pilar e a Matriz do Antônio Dias”

Patrimônio Cultural Imaterial no Brasil: Lista Representativa e disciplinas nomeadas pela Unesco como Patrimônio da Humanidade – Parte IV

O Toque dos Sinos em Minas Gerais é produzido pela percussão dos sinos das igrejas católicas, para anunciar rituais religiosos e celebrações, como festas de santos e padroeiros, Semana Santa e Natal. Essa prática tem sido sustentada por as irmandades religiosas que surgiram junto às cidades mineiras durante o ciclo do ouro.

O Modo de Fazer Renda Irlandesa, tendo como referência este ofício em Divina Pastora/SE, foi inscrito no Livro de Registro dos Saberes, em 2009.

O Ritual Yaokwa é a mais longa e importante celebração realizada por este povo indígena, que habita uma única aldeia localizada na região noroeste do estado do Mato Grosso. Continue lendo “Patrimônio Cultural Imaterial no Brasil: Lista Representativa e disciplinas nomeadas pela Unesco como Patrimônio da Humanidade – Parte IV”

Patrimônio Cultural Imaterial no Brasil: Lista Representativa e disciplinas nomeadas pela Unesco como Patrimônio da Humanidade

O Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), autarquia do Ministério da Cultura, em especial por meio do Departamento de Patrimônio Imaterial (DPI), é a instituição de referência para a atuação relativa ao Patrimônio Cultural Imaterial no Brasil (PCI) no Brasil.

Durante 15 anos, o Iphan tem registrado patrimônios imateriais brasileiros. Englobam bens de natureza imaterial, incluídos aí os modos de criar, fazer e viver dos grupos formadores da sociedade brasileira.

Dos 47 bens culturais imateriais brasileiros reconhecidos pelo IPHAN, 5 foram inscritos pela Unesco como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

  • Samba de Roda do Recôncavo Baiano
  • Arte Kusiwa – pintura corporal e arte gráfica Wajãpi
  • Frevo
  • Círio de Nazaré
  • Roda de Capoeira

Continue lendo “Patrimônio Cultural Imaterial no Brasil: Lista Representativa e disciplinas nomeadas pela Unesco como Patrimônio da Humanidade”

OURO PRETO (MG): Igreja Nossa Senhora do Rosário – Parte II: O interior do templo e sua imaginaria

ESTRADA REAL_Minas gerais_Brasil_Patrimônio_Vila Rica_Arquitetura_Barroco_Mineiro_IPHAN_Caquende_Unesco

A Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos funcionou inicialmente na Matriz de Nossa Senhora do Pilar ate adquirir capela própria perto no Bairro do Caquende. A relação entre elas compreende por ocasião também da procissão conhecida como “Triunfo Eucarístico”, em que se procedeu o retorno da imagem do Santíssimo Sacramento da primitiva capela do Rosário, onde permaneceu durante obras de construção e reforma na Matriz do Pilar no início da década de 1730.

Mas desta vez, minha aproximação a Igreja do Rosario é diferente. Partindo da Matriz do Pilar, atravessando a Ponte Seca, em íngreme pendente acima, lá aparece ela no alto, considerada pelos especialistas como a expressão máxima do barroco colonial mineiro com sua planta composta pela intersecção de duas elispses, rara na história da Arquitetura brasileira. Continue lendo “OURO PRETO (MG): Igreja Nossa Senhora do Rosário – Parte II: O interior do templo e sua imaginaria”

OURO PRETO (MG): Igreja Nossa Senhora do Rosário – Parte I: Soltando o Drone

Rica_Arquitetura_Barroco_Mineiro_IPHAN_Caquende_Unesco_Exterior

Atravessando a ponte dos Contos, uma estreita rua se contorna entre magníficos sobrados de dos y três andares chegando assim mais uma vez ate a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, em Ouro Preto. É a tercera vez que visito ela, assim que já tirei foto dela para caramba.

Desta vez una nova aquisição me provê a emoção de uma nova aventura …  Testar meu novo Drone!!! Continue lendo “OURO PRETO (MG): Igreja Nossa Senhora do Rosário – Parte I: Soltando o Drone”

SABARA (MG): Igreja São Francisco de Assis – Parte I: A humilde expressão do Templo

Arquiconfraria_Irmandade_Estrada Real_Patrimônio_Arquitetura_ Brasil_Cordão_barroco_dos Anjos

Desde os tempos da primeira construção no local a capela é dedicada a Nossa Senhora Rainha dos Anjos, erguida pela Arquiconfraria do Cordão de São Francisco (irmandade franciscana dos homens de cor), fundada em Sabará em 1761.

A ornamentação interior nunca foi concluída ate o dia de hoje. Apesar da simplicidade da decoração interior, em concorrência com as outras belíssimas igrejas de Sabará, esta igreja não impacta pela sua ornamentação interior a exceção da Capela-mor que possui um bonito forro pintado que retrata Nossa Senhora dos Anjos, a grande protetora dos franciscanos.

Embora, por sua vez, ostenta ser a Única na cidade com sala-consistório, sacristia na parte posterior, tribuna na capela-mór, púlpitos no arco-cruzeiro, é além de tudo… a maior em altura interna da nave em todo Sabará (MG). Continue lendo “SABARA (MG): Igreja São Francisco de Assis – Parte I: A humilde expressão do Templo”

Ouro Preto (MG): Igreja São Francisco de Assis – Parte I: O Cartão Postal de Ouro Preto

Minas Gerais_Irmandade_Unesco_ Patrimônio_Estrada Real_Arquitetur_Bbarroco_Aleijadinho_Humanidade

A Igreja da Ordem Terceira de São Francisco de Assis de Ouro Preto localizada no Largo do Coimbra, na parte oriental do Morro de Santa Quitéria, é considerada como o melhor exemplar do Barroco Mineiro é uma das primeiras expressões artísticas originalmente brasileiras.

A fachada da igreja é uma das maiores inovações da arquitetura colonial. O Mestre Aleijadinho criou um monumental jogo de esculturas em pedra sabão para o destaque da portada. Vista de frente, com seu desenho arredondado, a igreja apresenta duas torres igualmente arredondadas, uma novidade para a época.

Nesta primeira parte vamos a acompanhar o processo de construção da igreja e seus artistas, para familiarizarmos com os canteiros de obras de Vila Rica que  funcionavam como uma oficina onde ocorriam trocas de experiências, saberes e técnicas construtivas, entre os diversos profissionais que atuavam nas construções  religiosas. Continue lendo “Ouro Preto (MG): Igreja São Francisco de Assis – Parte I: O Cartão Postal de Ouro Preto”

Museu do Diamante: Minas Gerais, Brasil

Em torno da exploração diamantífera do século XVIII, foi se constituindo uma dinâmica social com costumes e singularidades da vida colonial brasileira, registrada por um acervo cultural valioso que permanece preservado na atualidade no MUSEU do DIAMANTE. Popularmente denominada “Casa do Padre Rolin”, sua importância histórica reside no fato de ter sido residência do inconfidente padre José de Oliveira e Silva Rolim.

Mais hoje vamos a conhecer um museu que não é apenas uma casa, pois na minha visita ao local descobri que o terreno dos fundos e realmente enorme, possui uma área de 2.834,28 m².

Nesta área se encontram duas minas de extração de ouro e diamantes desativadas, assim como no terreno passa o córrego Tijuco, que dá origem a ocupação do então distrito diamantino, sede do Arraial do Tijuco, sendo o primeiro local onde se descobriram diamantes na região.

É uma pena que o acesso esteja restrito ao público e não exista desenvolvida uma temática que integre este espaço ao próprio museu. De pronto me fez lembrar de outro córrego em Ouro Preto, aquele que passa embaixo da Ponte dos Contos e acaba na Igreja Matriz do Pilar. Também fechado. Roguemos para que pronto estes espaços sejam integrados e direcionados para o fomento do eco- turismo, uma das temáticas que mais interessam aos viajantes nos últimos tempos, alem dos aspectos históricos. Continue lendo “Museu do Diamante: Minas Gerais, Brasil”