Igreja San Pedro González Telmo – Parte III: O Templo

Argentina_Patrimônio_Iglesia_Jesuítas_Belen_Bethlemitas_Zanjón Granados_Buenos Aires_ Plaza_Dorrego_Praça_Feira_Feria_San Telmo_Hospital

O começo da construção desta igreja é muito antigo, em outubro de 1734,  sendo fundada em primeiro lugar pelos frades Jesuítas. O risco do templo como a residência erguida do lado ficou a cargo do arquiteto irmão Blanqui, autor de muitos templos na época. Os ornamentos, carpintaria e marcenaria ficaram nas mãos do irmão  jesuíta José Schmidt. A comparação com a outra igreja jesuíta em Buenos Aires (San Ignacio de Loyola, no bairro de Monserrat), resulta inevitável … para surpresa de muitos a igreja de San Telmo é muito maior.

Vamos conhecer neste post o interior deste templo, que acompanhou o nascimento e desenvolvimento do antigo arraial de San Pedro, para transformar-se no centro de referencia espiritual do atual bairro de San Telmo, um dos bairros mais adorados pelo turismo internacional. Continue lendo “Igreja San Pedro González Telmo – Parte III: O Templo”

Igreja San Pedro González Telmo – Parte II: Fachada e Historia

Argentina_Patrimônio_Iglesia_Jesuítas_Belen_Bethlemitas_Zanjón Granados_Buenos Aires_ Plaza_Dorrego_Praça_Feira_Feria_San Telmo_Hospital

Os jesuítas estabelecidos na igreja de San Ignacio de Loyola fundaram sua segunda sede aqui, iniciando a evangelização do bairro incipiente da era colonial, quando San Telmo era conhecido com o nome de “Altos de San Pedro” ou “Ex-Mercado de Carretas”,  onde os viajantes pararam para descansar e dar de beber aos bois, antes de atravessar o Zanjón de Granados e entrar finalmente na cidade de Buenos Aires.

Em 1734, começou a construção da capela e foi em honor a Nuestra Señora de Belén. Em 1795 quando os jesuítas foram expulsos o local foi ocupado pelos frades Bethlemitas, uma irmandade muito ligada aos hospitais, tendo fundando um hospital na antiga residência dos jesuítas, eles assumiram a igreja.

A fachada de estilo italiano foi inspirada na Igreja dos Santos Vincenzo ed Anastasio, em Roma. O arquiteto desconhecido simplificou o conjunto de tímpanos que é uma das características dessa fachada, sem a coerência do modelo original. Foi alterado nas décadas do pintoresquismo (as duas primeiras décadas do século XX), pelo estilo colonial que é vista hoje.

Em uma intervenção que distorceu as características coloniais, a fachada foi completamente transformada por Pelayo Sainz em 1931, de acordo com um projeto neocolonial. Continue lendo “Igreja San Pedro González Telmo – Parte II: Fachada e Historia”

Fortalezas em Santa Catarina: Os sistemas de defesa marítima do Brasil

Florianópolis_Santa_Catarina_Brazil_ilha_Brasil_Patrimônio_Unesco_ fortificações_Forte

A Ilha de Santa Catarina era um ponto de defesa estratégico, localizada exatamente na rota entre a Espanha e suas principais colônias na América do sul, Buenos Aires Assunção. Nesse cenário, o conjunto de fortes da Ilha de Santa Catarina compôs à época um sistema defensivo para impedir uma provável invasão espanhola, que mais cedo ou mais tarde haveria de acontecer, como aconteceu de fato.

Construídas pela Coroa Portuguesa a partir de 1739, com a função de guarnecer a entrada da Barra Norte da Ilha, as fortalezas de Santa Cruz de Anhatomirim, Santo Antônio de Ratones e São José da Ponta Grossa foram projetadas por José da Silva Paes, brigadeiro, engenheiro militar e primeiro governador da capitania de Santa Catarina. As obras deram início ao sistema defensivo da Ilha, que posteriormente foi ampliado com outras dezenas de fortificações, como fortes, baterias e trincheiras.

O sistema de fortificações na Ilha de Santa Catarina garantia a posse do território defendendo-a contra qualquer nação inimiga, em especial, a Espanha e o apoio logístico entre o Rio de Janeiro (onde Portugal tinha o seu vice-reinado) e a parte sul do continente. Quatro fortalezas foram construídas inicialmente, entre 1739 e 1744, incluindo também a edificação da Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição de Araçatuba, na Barra Sul.

Santa Catarina chegou a somar cerca de 40 fortificações até o início do século XIX. Porém, ainda na primeira metade daquele século, a maioria das construções já havia desaparecido, por arruinamento, abandono ou demolição. Mesmo o tombamento como patrimônio histórico brasileiro, em 1938, pelo Sphan, (atual IPHAN), não foi suficiente para assegurar a preservação ou a recuperação dessas construções. Continue lendo “Fortalezas em Santa Catarina: Os sistemas de defesa marítima do Brasil”

Igreja San Pedro González Telmo – Parte I: O antigo bairro de San Telmo

Dos passeios imperdíveis na capital da Argentina, esta o passeio na feirinha mais tradicional de Buenos Aires, a famosa Feira de San Telmo que acontece todos os domingos.

Conhecido como o bairro boêmio da cidade, San Telmo abriga muitos antiquários e os famosos cafés tradicionais argentinos “bares notables”, restaurantes, museus e a Igreja San Pedro Telmo, que junto á Praça Dorrego conformam o coração do bairro portenho.

Desde os tempos coloniais San Telmo foi habitada pelas famílias mais ricas da cidade até que, em 1871, a epidemia de febre amarela atingiu a área e os sobreviventes se mudaram para o norte da cidade, nos bairros de San Nicolás e Recoleta. Após a fuga das famílias abastadas, os imigrantes europeus aproveitaram os edifícios coloniais onde se aglomeravam nos chamados “conventillos”, em pequenos cómodos.

San Telmo é um dos bairros mais bem preservados da cidade e está cheio de atrações como o Mercado de San Telmo, o Museu Zanjón de Granados, o Passeio da la Historieta, alias de teatros e Centros Culturais.

Continue lendo “Igreja San Pedro González Telmo – Parte I: O antigo bairro de San Telmo”