OURO PRETO (MG): Igreja do Bom Jesus de Matozinhos e São Miguel e Almas – Parte I: Analise da belíssima portada do Mestre Aleijadinho

Como em outras localidades de Minas e de Portugal, nesta igreja o culto ao Bom Jesus de Matosinhos está associado à devoção a São Miguel e Almas. Sua locação no afastado bairro de Cabeças, longe do circuito turístico ouro-pretano, não chama a atenção dos turistas que apenas dão conta da inúmera oferta de igrejas, museus e lazer que oferece o centro da cidade histórica agrupada entorno à Praça Tiradentes.

Você precisa saber que esta igreja está fechada por restauração desde 2014. Também é preciso destacar que a belíssima portada é obra do famoso Mestre Aleijadinho executada por volta de 1778. Neste post conheceremos as origens desta igreja e veremos com precisão os detalhes desta magnifica escultura autoria do grande mestre do Barroco Mineiro. Continue lendo “OURO PRETO (MG): Igreja do Bom Jesus de Matozinhos e São Miguel e Almas – Parte I: Analise da belíssima portada do Mestre Aleijadinho”

MINISTERIO PUBLICO de OURO PRETO: Aquele belo casearão no Largo do Cinema

Devo começar este post dizendo que detesto os organismos judicias implantados em sítios de patrimônio histórico. Eles tem sempre na porta um segurança que fala: “Está proibido tirar fotos” e para mim não existe pior frase para um fotografo compulsivo como eu. Também é certo que muitos edifícios tem conseguido conservar sua estrutura graças á funcionalidade como foi determinada neste caso. No final da rua se encontra o edifício do Fórum de Ouro Preto que já tem pronto seu novo prédio, tendo em vista instalar no local o Museu do Judiciário que sem duvidas bridara mais um atrativo á mais linda cidade colonial de Minas Gerais.

Vamos conhecer a história deste belo casarão torcendo que ele no futuro consiga ter a mesma sorte que seu prédio vizinho. Continue lendo “MINISTERIO PUBLICO de OURO PRETO: Aquele belo casearão no Largo do Cinema”

TIRADENTES (MG): Capela do Bom Jesus da Pobreza – Parte II: O Natal Iluminado de Tiradentes

A Capela do Bom Jesus da Pobreza é Patrimônio Histórico Nacional tombado pelo IPHAN. Pouco se conhece sobre a construção capela do Bom Jesus da Pobreza além do fato de ter sido aberta ao culto em 1786.

A igreja tem fachada simples, em estilo barroco-rococó, e o interior marcado pela imagem de um Jesus Cristo agonizante em meio a um altar de madeira com pinturas florais coloridas. Ela já sofreu várias intervenções desde a construção, incluindo uma grande reforma nos anos 50.

Neste post vamos conhecer o seu interior e o belíssimo “Natal Iluminado” com projeções na fachada que recriam o espirito natalino na cidade histórica de Tiradentes.

Continue lendo “TIRADENTES (MG): Capela do Bom Jesus da Pobreza – Parte II: O Natal Iluminado de Tiradentes”

TIRADENTES (MG): Capela do Bom Jesus da Pobreza – Parte I: Marcada pela sua simplicidade a construção data da segunda metade do século XVIII

A Capela do Bom Jesus da Pobreza, ou Bom Jesus Agonizante, com aparência modesta em relação ao conjunto arquitetônico da cidade marca o Largo das Forras. Está entre bares e restaurantes e dá certo ar colonial à Praça. A história da igreja é bastante incerta, devido à falta de documentos sobre a construção. Acredita-se que ela date da segunda metade do século XVIII, construída no período entre 1771 e 1786. A igreja tem estilo barroco-rococó, e o interior é marcado pela imagem de um Jesus Cristo agonizante em meio a um altar de madeira com pinturas florais coloridas. Continue lendo “TIRADENTES (MG): Capela do Bom Jesus da Pobreza – Parte I: Marcada pela sua simplicidade a construção data da segunda metade do século XVIII”

Teatro Municipal de Ouro Preto – Parte II: Restauração da Casa da Ópera

Barroco_Casa da Ópera_Patrimônio Cultural _Humanidade_Unesco_Restauração_Estrada Real_Minas Gerais_Brasil

Em estilo barroco, possui três andares laterais, camarote central e plateia em forma de Lira para 300 lugares no total. É um dos mais belos do Brasil e ainda é palco de muitas apresentações artísticas e culturais em Ouro Preto.

Em 2015 uma das joias mais refinadas da arquitetura colonial mineira voltou a brilhar aos olhos do público e recuperou a função de palco barroco das artes cênicas. Fechado quase dois anos, após interdição pelos bombeiros, a Casa da Ópera de Ouro Preto, tem novamente programação regular e “segurança” para atores, plateia e funcionários, conforme garantem as autoridades locais. Continue lendo “Teatro Municipal de Ouro Preto – Parte II: Restauração da Casa da Ópera”

OURO PRETO (MG): Nossa Senhora das Mercês e Misericórdia – Part I: A Mercês de Cima

Mercês de cima_Nossa Senhora das Merces_Estrada Real_Brasil_Minas _Gerais_Unesco_Patrimonio_Humanidade

A devoção de Nossa Senhora da Mercês em Ouro Preto tem duas igrejas onde ela é a padroeira: a “Mercês de baixo” (cujo nome correto é Nossa Senhora das Mercês e Perdões e a outra é a “Mercês de cima” (situada acima da cidade e bem próxima do Hospital da Irmandade da Misericórdia).

A irmandade de Nossa Senhora das Mercês, oriunda a partir da Arquiconfraria da Igreja São José, era uma associação de pardos e crioulos, representante de segmentos que buscaram afirmação social na antiga Vila Rica, sobretudo, a partir da década de 1740, quando os pardos começaram a adquirir presença na estrutura social da época.

Conhecida popularmente como a “Mercês de Cima”, foi construída entre 1771 e 1793. Continue lendo “OURO PRETO (MG): Nossa Senhora das Mercês e Misericórdia – Part I: A Mercês de Cima”

Teatro Municipal de Ouro Preto – Parte I: A Casa da Ópera

Barroco_Casa da Ópera_Patrimônio Cultural _Humanidade_Unesco_Restauração_Estrada Real_Minas Gerais_Brasil

A Casa da Ópera de Vila Rica, é o Teatro Municipal de Ouro Preto, que ostenta, segundo a tradição, o título de mais antiga casa de espetáculos em funcionamento da América do Sul e entrou até para o Guinness Book devido a essa condição.

Preserva a construção original, que demorou de 1745 a 1770 para ficar pronta. A simples fachada externa esconde o interior que remete aos tempos glamorosos do império, quando Ouro Preto era chamada de Vila Rica e o Brasil ainda era colônia de Portugal.

A casa de espetáculo traz também no seu histórico o fato de ter sido o primeiro teatro onde mulheres pisaram em um palco no Brasil. Continue lendo “Teatro Municipal de Ouro Preto – Parte I: A Casa da Ópera”

TIRADENTES (MG): Igreja Nossa Senhora das Mercês – Parte I: A Oredem das Mercês

Igreja_Barroco_Patrimônio_Humanidade_Unesco_Restauração_Estrada Real_Minas Gerais_Brasil_Mercedários_Virgem Generala

A Igreja de Nossa Senhora das Mercês dos pretos crioulos está localizada no Largo das Mercês, perto do Largo das Forras, no Centro Histórico de Tiradentes.

A Irmandade das Mercês, durante a época colonial, era reservada aos pretos nascidos no Brasil e aos mulatos principalmente. Em Minas Gerais tornou-se extremamente popular. Em praticamente todas as vilas mineiras existiram irmandades de Nossa Senhora das Mercês.

A igreja do final do século XVIII, construída em estilo rococó, esconde detras de sua fachada simples um interior com belas pinturas atribuídas a Manoel Victor de Jesus, das quais Kellen Cristina Silva fez um estudo iconológico muito detalhado em sua tese de graduação citada na fonte deste post. Continue lendo “TIRADENTES (MG): Igreja Nossa Senhora das Mercês – Parte I: A Oredem das Mercês”

CASA da BARONESA – Parte I: A nobreza do Brasil Imperial na antiga Vila Rica de Ouro Preto

Manoel Teixeira de Souza_Barão de Camargos_viscondessa de Camargos_Praça Tiradentes_Minas Gerais_Estada Real_Unesco_Patrimônio_Museu_Maria Leonor Felícia da Rosa_Brasil

A Casa da Baronesa está localizada na Praça Tiradentes, no centro da cidade.  A casa foi a residência de uma das mais ilustres famílias que se instalaram em Vila Rica: a família de Manoel Teixeira de Souza (Barão de Camargos) e Maria Leonor Felícia da Rosa (Viscondessa de Camargos).

Foi doada à união em 1941. Atualmente é sede do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em Ouro Preto. Continue lendo “CASA da BARONESA – Parte I: A nobreza do Brasil Imperial na antiga Vila Rica de Ouro Preto”

TIRADENTES (MG): Igreja Matriz de Santo Antônio – Parte III: Imaginaria da Matriz

Minas Gerais_Brasil_Matriz_Patrimônio_Unesco_arquitetura_Estrada Real_Aleijadinho_ Irmandade_Barroco Mineiro_Irmandade_Latino America

A Igreja Matriz de Santo Antônio, considerada uma das obras-primas do barroco mineiro, reúne um importante conjunto de imagens religiosas.

Toda a talha que reveste intensamente o arco cruzeiro, as ilhargas da capela-mor e o retábulo-mor pertencem à oficina de João Ferreira Sampaio, artista português do qual não se conhece outra obra e não se encontrou, até o momento, referência a outras obras nem em Minas, nem em Portugal.

Neste post vamos conhecer os diferentes altares laterais criados pelas diversas irmandades presentes na antiga Vila de São José do Rio das Mortes, atual cidade de Tiradentes. Continue lendo “TIRADENTES (MG): Igreja Matriz de Santo Antônio – Parte III: Imaginaria da Matriz”