Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade (UNESCO): 14ª Convenção em Bogotá, Colômbia

Está edição será a 14ª reunião da Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial e  será sediada pela primeira vez em uma cidade de Latino América: Bogotá.

A Lista Representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade (UNESCO), atualmente é integrada por 429 elementos. As propostas deste ano incluem a prática cultural do Bumba-meu-boi, de Maranhão, nordeste do Brasil.

Vamos torcer então para o Brasil ganhar o sexto bem brasileiro a integrar a lista mundial. Todos os candidatos serão analisados entre os dias 9 e 12 de dezembro.

Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade (UNESCO)

As candidaturas serão analisadas pela Organização das Nações Unidas para a Educação a Ciência e Cultura (Unesco/ONU) nos próximos dias 10 a 12 de dezembro de 2019, durante a 14º reunião do Comitê Intergovernamental para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial realizada em Bogotá, na Colômbia.

As propostas incluem a prática cultural do Bumba-meu-boi, de Maranhão, Brasil, a Bachata dominicana, as danças peruanas Hatajo de Negritos e As Pallitas, a fabricação artesanal de cerâmica de estilo talaverano em comunidades da Espanha e do México, etc. O Comitê integrado por 24 estados parte da Convenção também estudará 42 candidaturas para a Lista Representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. Atualmente, a lista contém 429 elementos inscritos. O objetivo é garantir maior visibilidade das práticas e conhecimentos culturais realizados pelas comunidades sem reconhecer padrões de excelência ou exclusividade.

O Patrimônio Cultural Imaterial inclui práticas e expressões vivas herdadas de geração em geração, como tradições orais, artes cênicas, usos sociais, rituais, atos feriados, conhecimentos e práticas relativos à natureza e o universo, saberes e técnicas.

Esta é a primeira vez que a reunião acontece na América Latina, encontro que além das candidaturas de inscrição apresentadas, permitirá celebrar em eventos paralelos no Ano Internacional das Línguas Indígenas.

O encontro em Bogotá analisará três propostas para o Registro de Boas Práticas de Salvaguarda do Patrimônio Imaterial, realizadas por Colômbia (artesanato tradicional para a construção da paz), Panamá (programa ecológico e cultural do Festival de Tartarugas Marinhas de Armila) e Venezuela (a tradição da Palma Bendita).

Bumba meu boi pode se tornar Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade

Reconhecido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como Patrimônio Cultural do Brasil em 2011, o Bumba meu boi realizado no Maranhão é considerado um “Complexo Cultural” por congregar diversos bens culturais associados em uma manifestação. No campo da expressão popular, por exemplo, apresenta performances dramáticas, musicais e coreográficas, destacando-se ainda a riqueza das tramas e personagens. Já no plano material, podem ser apreciados os artesanatos, como os bordados do couro do boi e das indumentárias de seus personagens, os instrumentos musicais confeccionados artesanalmente, entre outros.

Bumba meu Boi do Maranhão, Brasil

E para contribuir tanto para a continuidade dessa tradição e sustentabilidade dessa prática, o Iphan tem desenvolvido junto com as comunidades e parceiros diversas ações estratégicas de curto, médio e longo prazo. Dentre as ações do Plano de Salvaguarda estão a identificação, documentação, preservação, promoção, proteção e valorização. Esse plano, inclusive, é uma das exigências da Unesco para aceitar a candidatura de um bem cultural.

Se ganhar o título, o Complexo Cultural do Bumba meu Boi será o sexto bem brasileiro a integrar a lista internacional junto com a Arte Kusiwa – Pintura Corporal e Arte Gráfica Wajãpi (2003), o Samba de Roda no Recôncavo Baiano (2005), o Frevo: expressão artística do Carnaval de Recife (2012), o Círio de Nossa Senhora de Nazaré (2013) e Roda de Capoeira (2014).

O São João do Maranhão tem no bumba meu boi a sua principal manifestação cultural. De acordo com estimativas do governo do estado, existem mais de 300 grupos de bumba-boi no Maranhão, sendo os cinco mais antigos:

  • Boi de Morros (41 anos)
  • Boi de Axixá (58 anos)
  • Nina Rodrigues (27 anos)
  • Boi Pirilampo (22 anos)
  • Boi Barrica (32 anos)

O Crespial e a Unesco

Desde a criação da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura – Unesco, em 1946, houve um apelo aos Estados-membros para que criassem Comissões Nacionais voltadas para a identificação, o estudo, a documentação e a valorização do folclore como instrumento para a paz entre povos e nações. O Brasil respondeu prontamente a esse apelo criando, ainda em 1946, o Instituto Brasileiro para a Educação, Ciência e Cultura – IBECC, no âmbito do antigo Ministério do Exterior. No ano seguinte, foi criada, no Brasil, a primeira Comissão Nacional de Folclore entre os países-membros da Unesco, que logo teve ramificações em vários estados do país.

Algumas décadas depois, a preocupação com o desaparecimento de vestígios milenares da história da humanidade levou a Unesco a mobilizar os Estados-membros para um esforço conjunto no sentido de contribuir para a preservação de bens culturais e naturais de valor excepcional, cuja perda seria irreparável para as gerações futuras, tendo em vista, sobretudo, os efeitos dos projetos de desenvolvimento e a carência de recursos de vários países-membros para preservar esses bens.

 

Entretanto, como a inclusão nas listas criadas por esta Convenção se restringe aos bens culturais materiais, avaliados a partir de critérios baseados na tradição européia de constituição dos patrimônios culturais nacionais, vários países signatários não se viram nelas representados, uma vez que alguns dos mais significativos testemunhos de suas culturas não se enquadravam nesses critérios.

Sob a liderança da Bolívia, alguns Estados membros solicitaram formalmente à Unesco a realização de estudos visando a buscar formas de salvaguarda adequadas à natureza dos bens que viriam a ser denominados de “patrimônio cultural imaterial.” Desses estudos resultou a Recomendação sobre a Salvaguarda da Cultura Tradicional e Popular, aprovada na 25ª. Reunião da Conferência Geral da Unesco, em 1989. Esse documento, assim como outras experiências desenvolvidas no âmbito da Unesco e dos países membros, foi o ponto de partida para a elaboração de convenção internacional voltada para a salvaguarda do patrimônio cultural imaterial.

Em 1998, com a ajuda financeira do Japão, foi criado o Programa Proclamação das Obras Primas do Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade, que se propunha a divulgar e a valorizar como patrimônio cultural manifestações e práticas culturais de caráter processual. O programa teve três edições (2001, 2003 e 2005) e noventa bens titulados. Na vigência desse programa, o Brasil apresentou duas candidaturas, ambas aprovadas: as expressões orais e gráficas dos Wajãpi (2003), grupo indígena do Amapá, e o samba de roda do Recôncavo Baiano (2005).

O Brasil participou ativamente da elaboração da Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial, aprovada em 2003. Em 2006, em função de sua experiência na salvaguarda dos bens culturais imateriais, o Brasil foi eleito para ocupar uma das vagas do Comitê Intergovernamental criado pela Convenção, com mandato de dois anos.

O Brasil também participou ativamente da criação, em 2006, do Centro Regional para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial da América Latina – Crespial, primeiro centro regional voltado para o tema.

O Crespial foi criado em 2006, a partir de acordo entre a Unesco e o governo do Peru, com o objetivo de promover e apoiar ações de salvaguarda e proteção do vasto patrimônio cultural imaterial dos povos da América Latina. Os Núcleos Focais do Crespial são quinze, corresponde aos seguintes Países Membros: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, El Salvador, Equador, Guatemala, México, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela. O Brasil integra o Comitê Executivo do Crespial para o período de 2019 a 2022.

 

 

fonte:

  • https://oimparcial.com.br
  • https://www.eltiempo.com
  • OS SAMBAS, AS RODAS, OS BUMBAS, OS MEUS E OS BOIS: Princípios, ações e resultados da política de salvaguarda do patrimônio cultural imaterial no Brasil, Iphan (1)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *