Milonga “La Catedral”, a essência do Tango no bairro de Almagro

É quase um sacrilégio ir a Buenos Aires e não conhecer, ao menos, uma milonga para dançar ou, simplesmente, apreciar os dançarinos.
Se você já assistiu Show de Tango e não quer repetir o passeio e gostaria de ver Tango de outra maneira, o La Catedral é a solução para passar uma noite superdivertida dançando tango em Buenos Aires.

La Catedral  existe há 20 anos e sua casa é Patrimônio Cultural Artístico e Turístico do bairro de Almagro. É um espaço autêntico desde a decoração, com obras de artistas plásticos até a comida 100% vegetariana.

Historia

Nascido há 20 anos nas mãos dos quatro músicos membros do grupo de tango Las Muñecas, no fim dos anos 1990, o espaço foi todo reformado e deu lugar a este lugar charmoso, decorado com mobiliário usado encontrado pela cidade – nenhuma mesa e nenhuma cadeira são iguais – e que ainda mantém as grandes estruturas fabris do projeto original.

A milonga esta ambientada quase como uma loja de antiguidades

Esta milonga funciona em um enorme galpão no bairro de Almagro, a poucas quadras da famosa Avenida Corrientes. O histórico edifício foi construído em 1880 e já teve diversas funções: silo de grão, fábrica de laticínios e frigorífico.

Você pode pensar que está no lugar errado ao chegar à porta da La Catedral em Almagro, mas procure a placa que diz “tango” e suba as escadas. De lá, você entrará no velho armazém de teto alto, que costumava ser uma fábrica de laticínios e agora funciona como um salão de dança de tango alternativo.

A Catedral de Almagro


A Catedral é uma milonga que opera há 18 anos no subúrbio de Almagro, em um prédio que passa despercebido na rua Sarmiento, quase na esquina da rua Medrano.  No primeiro andar, esta sala é considerada patrimônio cultural e artístico, onde dezenas de pessoas vêm de segunda a segunda-feira para dançar, comer e beber ao ritmo de 2 × 4.

À primeira vista nada é revelado, você pode ver uma longa escadaria que conduze ao salão de baile. O último passo é remover a pesada cortina de veludo vermelha para ver o templo aparecer, onde os dancarinos giram sem parar ao ritmo de 2 × 4.

“Ambientação de reciclagem – Museu do Desapego”, definem seus donos

Em madeira envelhecida, a sala impressiona pelo seu espaço. Os tetos são altos, as luzes são tênues e, ainda por cima, uma obra abstrata paira no teto o que pode bem ser considerado um coração. Pura paixão.

O fim dos anos 1990, deu lugar a este espaço charmoso, decorado com mobiliário reciclado encontrado pelas ruas da cidade e que ainda mantém as grandes estruturas fabris do projeto original. Como os donos mesmos dizem, a decoração é de reciclagem e faz parte do Museu do Desapego”.

No salão, a arte irradia de todas as paredes de La Catedral, pinturas, intervenções, peças históricas ou algum item solto que foi deixado lá fora. Por isso não há duas mesas e cadeiras iguais. De fato, algumas das cadeiras são caixas de cerveja de cabeça para baixo com um travesseiro colocado em cima.

Tapeçarias boêmias, guitarras antigas, pôsteres vintage, bandeiras argentinas e luzes de cores cobrem as paredes

Vale a pena mencionar que a cozinha na Catedral é vegetariana e preparada com ingredientes orgânicos. O cardápio é 100%  vegetariano, com pizzas e empanadas feitas com farinha de trigo integral e pratos mais elaborados, como arroz e woks de vegetais com alimentos orgânicos, além de vinho tinto tradicional e cervejas coloridas. A nota é dada pelo fato de não existir copos convencionais, em vez deles, são usados frascos reciclados.

A verdade é que o visual que emerge da sala principal de La Catedral encanta: dançarinos ocupando o centro do salão dançando ao ritmo do tango, enquanto as mesas na parte de trás e o bar recebem de braços abertos tantos outros paroquianos.

A La Catedral representa uma versão local, autóctone e experimental, onde o Tango coexiste com diversas manifestações artísticas

Com razão, devemos dizer que a Catedral representa uma alternativa autentica para conhecer o mundo da Milonga, e ao mesmo tempo muito próximas do espírito do bairro de Almagro, na esquina de Sarmiento e Medrano. Há poucos anos era frequentado somente por boêmios e bailarinos locais, mas agora atrai também turistas e curiosos.

A originalidade do lugar é enorme, por isso é frequentemente alugado para locações para filmagem de videoclips e propagandas publicitárias

Milonga La Catedral


Na cena do tango convivem o Tango Show, muitas vezes referido como “Tango for Export” ou “Tango de Exportação”  e as Milongas onde o turista vem para aprender sobre a cultura da dança no Rio da Prata.

“Aqui você pode dançar de tênis, de terno ou como quiser”, diz Axel Mastronardi, um dos quatro fundadores da La Catedral, que além de ser uma pista de dança, oferece as orquestras mais variadas como o Andariega, o la Cambio de Frente o la Villa Urquiza e solistas como Joaquín Althabe, Federico Prado (também fundador da La Catedral) ou Pablo Fayó.

A Catedral, pois possui uma vibração descontraída e boêmia

Às quintas-feiras, no entanto, é uma noite de intervenções artísticas onde o dançarino Mario Rizzo, com seu baile hipnótico de tango nos deixa paralisados ​​e ganha uma grande salva de palmas no final.

Você pode tomar uma bebida, sentado ao redor de dança, ouvindo os músicos e assistindo os dançarinos professionais convidados. Seu piso de madeira, iluminado com luzes coloridas e cercado por obras de arte e objetos reciclados, deslumbrou a Andrés Calamaro ate o mesmo de Almodóvar.

Aulas de Tango na tarde, o local vira Milonga ate altas horas da noite

Os shows, programados todos os dias às 0h30, têm a estrutura de intervenções curtas que acompanham a proposta geral da milonga. A idéia não é tirar o destaque da dança ou transformá-la em um espaço musical. Na catedral, as pessoas dançam sim ou sim, dizem os organizadores.

 

Uma ótima opção para os turistas que procuram mergulhar na piscina de tango sem pular de cabeça, o La Catedral oferece aulas todos os dias, às segundas e quartas-feiras ao meio-dia, e também todas as noites antes da milonga noturna.

Sem dúvida, um lugar muito especial na cidade onde nenhuma experiência anterior é necessária e aquele que não dança tem espaço para desfrutar igualmente. Os moradores do bairro e estrangeiros convergem para se conectar na linguagem universal da dança … da musica … do Tango, claro !!!

 

fonte:

  • http://www.lacatedralclub.com/
  • https://original.revistaelabasto.com.ar/
  • https://turismo.buenosaires.gob.ar/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *