ILUMINAÇÃO de MUSEUS: Tarefas e funções

O desenvolvimento dos critérios de design começa analisando as razões da exposição e identificando os elementos dominantes. Se considerássemos todos os elementos que compõem uma exposição em igual grau de importância, obteríamos uma iluminação tipo uniforme e resultaria em um ambiente pouco atraente para seus visitantes.

LIGHTING design arte obra mostra exposição sala UV IR sensibilidade iluminância

 

Uma das particularidades que destacam um bom design de iluminação é criar uma diferenciação dos diferentes setores que compõem uma exposição através da iluminação, seja nas diferentes salas que compõem um museu ou em uma mesma sala de exposição (quando as dimensões de seu espaço permitem a diferenciação e criação de diferentes áreas).

O Lighting Designer deve apresentar uma exposição interessante e informativa, preservando as obras de arte tanto quanto for possível.

Este processo envolve o conhecimento da estrutura da exposição, a aparência apropriada e as limitações na quantidade de radiação nas obras. Deve trabalhar em conjunto com restauradores e conservadores, escolhendo a quantidade e qualidade apropriada das luminárias que compõem o sistema de iluminação.

LIGHTING design arte obra mostra exposição sala UV IR sensibilidade iluminância

 

Tarefas da pessoa responsável do museu:

  • Classificar os elementos de acordo com sua sensibilidade. Defina prioridades de conservação e determine se o nível de controle de UV será de classe 1 ou 2.
  • Planejar a duração da exposição de forma que as peças de alto risco fiquem expostas o menor tempo possível.
  • Avalie visualmente o efeito da redução da iluminância para que eles não excedam as necessidades efetivas da amostra.
  • Estimar a exposição total anual, verificando os procedimentos de controle que permitem limitar a duração da iluminação.

Tarefas do técnico de iluminação:

  • Para objetos UV de classe 1, instalar filtros, incluindo luminárias e janelas que permitem acesso à luz natural. Para objetos UV de classe 2, as janelas e lâmpadas de descarga devem ter filtros para garantir o valor de 75 mW/lm.
  • Inspecionar o efeito de aquecimento de cada obra, especialmente no caso da utilização de luminárias de feixe estreito. Considere o uso de filtros ou refletores dicróicos.
  • Meça a iluminação em cada ponto do objeto. A iluminância limite é a iluminância máxima medida em cada ponto da superfície do objeto.
  • Calcular a exposição anual e compará-la com os limites estabelecidos.

 

Tarefas durante o desenvolvimento da exposição:

  • Periodicamente, meça a quantidade de UV usando um dispositivo adequado e substitua os filtros, se fosse necessário.
  • Revise periodicamente os efeitos do aquecimento e substitua os filtros IR, em caso de ser necessário.
  • Ajuste os valores de iluminância.
  • Verifique se os procedimentos para limitar o tempo de exposição são adequados, tanto para cada uma das peças como para a amostra em geral.
  • Realizar tarefas de manutenção no sistema de iluminação.

 Lembre-se sempre que:

  • Nem todos os museus são iguais.
  • Desenvolver uma proposta com base nos objetivos da mostra de arte.
  • Tente fazer o menor número possível de intervenções.
  • Analise cuidadosamente a maneira de agrupar os elementos da mostra de arte para unificar os níveis de iluminação.
  • Leve em consideração os espaços não expositivos para permitir uma adaptação e integração adequadas ao conjunto da amostra.
  • Analisar as características da mostra, as horas de exposição, os níveis permitidos para assim escolher a fonte de luz apropriada.
  • Pense em sistemas de detecção e controle que permitam a ligação da  iluminação apenas quando fosse necessário.
  • Estabelecer rotinas de segurança e limpeza com sistemas de iluminação alternativos.
  • Realize controles ambientais periódicos, incluindo radiação.
  • Fazer com que as pessoas envolvidas no projeto percebam que se trata de um investimento a futuro, não pode economizar.

LIGHTING design arte obra mostra exposição sala UV IR sensibilidade iluminância

 

O projetista deve fazer uma revisão final do projeto de iluminação desde diferentes ângulos, como o visitante faz, e percorrer a amostra uma vez que a instalação de todos os componentes de iluminação esteja completa. Deve corroborar aspectos específicos como; Níveis e Pontos Focais nos quartos, bem como, equilibrar os diferentes espaços que compõem um museu.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *