“LA REDONDA”: Igreja da Imaculada Conceição de Belgrano, Buenos Aires

É mais do que uma igreja, é a alma do bairro. Esta igreja está localizada em frente à Praça Manuel Belgrano, na qual está localizado o monumento dedicado ao herói que dá nome ao bairro. O Museu Histórico de Sarmiento (que era originalmente a sede do município do bairro e onde o Congresso Nacional também se reuniu brevemente) e o Museu de Arte Espanhola (que trabalha na casa do escritor Enrique Larreta) estão localizados nas ruas laterais que organizam, junto com a igreja, um complexo urbano de grande atração e interesse.

A Igreja da Imaculada Conceição, esse é seu nome real, é conhecida popularmente como “a Redonda” por causa de sua forma circular. Essa condição a torna um exemplo extremamente atípico na produção arquitetônica religiosa local.

A área possui intensa atividade comercial, pois fica muito próxima ao cruzamento da Av. Cabildo e da Rua Juramento. A cerca de 400 metros estão as “Barrancas de Belgrano”, com sua eterna “Pergola” donde se dança tango, com sua nova estação de trem Belgrano C do Ferrocarril Mitre inaugurada recentemente, e seu encantador bairro chinês na Rua Arribeños, repleto de restaurantes típicos.

Igreja da Imaculada Conceição

Na movimentada esquina de Cabildo e Juramento ou nos arredores da praça, seu perfil equilibrado é reconhecido como uma imagem que identifica o bairro: “La Redonda”.

A tipologia formalmente adotada para o templo foi inédita na Argentina: circular de base 35 metros de diâmetro, coberto por uma cúpula esférica de 20 metros de diâmetro apoiado sobre um tambor suportado por um anel de 16 colunas corintias emparelhadas, de um metro de diâmetro e 9,50 metros de altura cada.

O acesso principal, no eixo da praça, culmina com a abside na extremidade oposta e, por trás, é a única torre sineira, de baixa estatura e visibilidade. Se ingresa á igreja através de sete degraus de mármore branco. Na testa, existem oito colunas de eixo liso e capitel composto. Depois disso, existem 2 colunas de características semelhantes que atuam como contrafortes e, juntas, formam o átrio.

O pórtico da acesso ao edifício, o cilindro que forma a nave e a torre sineira estão organizados em uma sequência axial

Nas colunas repousa um friso liso e acima deste, um frontis triangular adornado com folhas de acanto. No topo, podemos ver a grande cúpula hemisférica, com telhado de ardósia (pizarra). Nela está a lanterna, composta por oito janelas de vidro emolduradas por pilastras de haste lisa e capitel composto, em sua parte superior o cupulín, com características semelhantes à cúpula principal. Superior a este conjunto apoia uma bola de cimento encimada por uma cruz.

A nave, em forma de tambor circular, a cúpula hemisférica e a varanda de acesso remetem ao estilo neo – românico

O Nartex (entrada da igreja) é cercado por portas de madeira. No centro, você pode ver um vitreaux que contém a inscrição “Ave Maria” e, nos dois lados, o símbolo da Imaculada Conceição. Se olharmos para cima, podemos ver que, do teto, feito em machimbre, pendura um lustre com caireles.

No lado direito, na parte inferior, quase na calçada, podemos ver uma vitrine que contém dentro de uma imagem da Imaculada Conceição.

O Peristilo ou galeria de colunas que circundam o edifício, com piso xadrez, é interrompido pelo volume da torre sineira. Isto está ligado à massa circular na parte de trás, quase oculta, para não romper com a volumetria geral.

Igreja da Imaculada Conceição de Belgrano, Buenos Aires

O recinto circular é cercado por duas galerias concêntricas, uma interna e outra externa que anteriormente eram visualmente continuas em uma galeria de alvenaria com arcos em direção a ambos os lados do templo. Hoje, apenas algumas seções dessa Recova são reconhecidas (no lado da rua Juramento). É nesse lugar que Ernesto Sabato situo parte da ação de “Informe sobre ciegos”, capítulo de seu famoso romance “Sobre Héroes y Tumbas”.

Em cada lado há dois pequenas praças, hoje de caráter muito diferente. Sobre a Rua Juramento, tipo comercial: empresas gastronômicas ocupam o fragmento existente e reconstroem o volume do antigo prédio ali existente antes mesmo da igreja.

Um bloco contendo a casa paroquial foi construído na Rua Echeverría, alem sobrou espaço para um parquinho para crianças.

O Templo

O interior é extremamente brilhante devido à entrada significativa de luz da lanterna da cúpula e das janelas localizadas na base da cúpula. Uma galeria alta (localizada na altura da base da cúpula) é sustentada por pares de colunas que definem uma nave lateral.


 

Uma das peculiaridades desta igreja é sua planta circular. Possui 16 colunas apoiadas em uma base quadrada, com fuste liso e capitel coríntio. Eles mantêm um friso com uma inscrição em latim que significa: “Rosa pura para a Virgindade – Rosa para caridade – venham povos e cortem a rosa dos mistérios”. Na parte superior, existem 8 arcadas, que possuem balaustradas que mostram a galeria traseira. Entre cada arcada existem óleos dos apóstolos e profetas Mateus, Marcos, Ezequiel, Daniel, Isaías, Jeremias, Lucas e João.

 

Acima das arcadas, a cúpula se ergue para 40 metros. Nela vemos quadrados pintados, que, no centro, têm uma flor decorativa que dá à cúpula a sensação de profundidade. No centro, observamos um óculo que pertence à lanterna, com um afresco representando o Espírito Santo. Esta lanterna é uma fonte natural de iluminação. Do centro pendura um refinado lustre.

O altar principal, cuja imagem central corresponde à Imaculada Conceição, é acessado através de dois degraus de mármore vermelho e preto. Na parte central, podemos visualizar a mesa do altar, em cujo centro há um relevo que representa a “Última Ceia de Jesus”; nas laterais estão colunas de ônix verde de fuste liso e capitel composto. Detrás da mesa estão as cadeiras de carvalho.

No retábulo; na parte inferior há um Cristo crucificado, nas laterais um baixo-relevo feito, como todo o altar, em mármore de Carrara, que apresenta imagens dos anjos. Para os lados, há duas pilastras de fuste liso e capitel composto. Superior ao Cristo, em ambos os lados, você pode ver castiçais de bronze. Acima, a imagem da Imaculada Conceição, envolta em nuvens, da qual se observam querubins; a sues pés o mundo, cercado pelos anéis da serpente.

No topo deste altar, um hemisfério em que você pode ver um afresco que representa a coroação da Virgem

O percurso pelos retábulos laterais é propriamente uma galeria de arte. Uma a uma, as imagens apresentam-se expostas nas superfícies verticais, sobre paredes curvas, o qual otorga um grau de convexividade na minha visão.

A visual é um pouco interrompida pelas gigantes colunas, essenciais para o suporte da estrutura superior. Acho que este espaço poderia ser sido desenhado um poço mas retraído, e assim criar um passeio sem interrupções na visão.

O número de Virgens na igreja é significativo:

  • Santa Ana
  • Santa Rita
  • Santa Teresa de Ávila
  • Santa Rosa de Lima
  • Santa Margarita de Hungría, etc, etc.

 Atar-mor: Virgem María Inmaculada

Também a lista de santos e interminável: São Onofre, São Cayetano, etc, etc … e também aqueles dentro da propria ordem franciscana:

  • São Francisco de Asís
  • São Antonio de Padua
  • São Pedro de Alcántara 

O órgão

Diante do altar-mor, no topo da entrada está o órgão. – É de origem alemã e sua caixa é feita de carvalho. Foi restaurado em 1984.

Em 1823, Martin Andreas Laukhuff , 25 anos, abriu sua oficina de construção de órgãos em Pfedelbach, Alemanha, leste de Heilbronn . Depois de sua morte, em 1871, seu filho mais velho, August Laukhuff, assume o negócio e dá a ele seu nome e caráter que perduram até hoje.
O órgão foi declarado, ” Bem integrante parte do Patrimonio Cultural de la Ciudad Autónoma de Buenos Aires” em 2017. Foi instalado pelo órgão construtor Alberto Mateo Poggi.

Características: Possui sistema eletropneumático . Possui 970 tubos de som, dois teclados manuais com 58 notas cada e uma pedaleira com 27 notas. Conta com 16 registros reais.

 

Igreja da Imaculada Conceição : Sua História

Antes da fundação da cidade de Belgrano (1855) funcionava na esquina de Cabildo e La Pampa (agora banco HSBC) uma pulpería chamada “La Blanqueada “ (por suas paredes brancas ) que surgiu junto a um caserío formado na área.

Túneles_Aliviadores_Arquitectura_Infraestructura_Urbanismo_ Zanjón_Granados
A “Blanqueada” sobreviveu lá até 1919

Sua localização foi estratégica uma vez que as carretas partiam cedo na manhã , a partir da Plaza Lorea ( atual Praça do Congresso), tanto para o oeste e para o norte.

Ao meio-dia, essas carretas costumavam interromper sua jornada para dar descanso aos bois e o pessoal. Rumo a oeste, as carretas chegavam ao meiodia para a Praça Pueyrredón , em Flores , em tanto que aquelas em sentido norte também  paravam na Pulpería “A Blanqueada”, localizada a nove quilômetros da Praça Lorea.

Túneles_Aliviadores_Arquitectura_Infraestructura_Urbanismo_ Zanjón_Granados
Em 1887, Belgrano, Flores e uma parte do partido San Martín são incorporadas. a atual cidade de Buenos Aires

A primeira capela foi localizada no início da Barranca de Belgrano na pequena planície da esquina da Rua Pampa e em 11 de Setembro. Segundo as crônicas, originalmente dedicada a São Benito e construída por um senhor Torrecillas. dono dessas terras, para que seus escravos envolvidos nas tarefas do campo, tivessem um lugar para ouvir missas. Muitos anos depois, essas propriedades tinham um novo proprietário, Don José Julián Arriola, que em 1828 doou esse oratório à Cúria e também às terras adjacentes.

Como aconteceu em outros bairros da cidade, os donos dos fornos de tijolos e cantareria, neste caso Arriola, eram os principais impulsores para as novas construções que a cidade precisava. Algum tempo depois esses fornos foram explorados pelos Padres Franciscanos.

O crescimento incomum da população e as condições precárias da primeira construção,  levaram a que Don Laureano J. Oliver,  (prefeito de Belgrano), em 1864 organiza uma Comissão para cuidar do trabalho destinado à construção de um novo templo.

A construção desta igreja teve como objetivo jerarquizar a cidade, substituindo a primeira e modesta capela que ficava na área conhecida como La Calera, hoje Barrancas de Belgrano, por um edifício de maior hierarquia.

Uma vez concluídos todos os estudos relacionados à sua construção, que deveriam ter começado em meados de 1864, ou antes, o orçamento da obra foi de um milhão e seiscentos mil pesos e foi fixada a data de lançamento da pedra fundamental, no domingo 23 Janeiro de 1865.

A construção do templo monumental foi confiada ao engenheiro genovês Nicolás Canale.  Após sua morte, ocorrida em 1876, as obras ficaram a cargo de seu filho José.  A Praça Belgrano também foi projetada por seu filho, o arquiteto José Canale, que fez o primeiro design preservado com algumas mudanças ate hoje.

A igreja durante sua construção. Um desafio estrutural para o suporte da cúpula que causou dificuldades aos construtores da época, do lado as abovedas que ainda hoje existem.

Devido à falta de dinheiro, a construção da igreja ficou lenta. E para obter mais fundos, eles tiveram que vender os terrenos da antiga capela, seu prédio e todas suas pertinências.

O aviso peculiar publicado em 1875 anunciava: “Hoje, o interessante leilão acontece no Paseo de la Barranca do edifício e das terras pertencentes à antiga igreja. Recomendamos essa terra aos capitalistas ricos que amam o bem e o progresso, sendo o dinheiro destinado á construção de nosso monumento colossal, a nova igreja. “

De 1871 a 1875, foi encarregado da paróquia, um dos padres de maior prestígio, por sua incansável atividade, a vida religiosa e espiritual de Belgrano. Esse foi o presbítero Don Diego Miller, que dedicou todos os seus esforços ao trabalho relacionado à construção do novo templo.

O trabalho de conclusão final durou muitos anos, acabou sendo executado nas mãos do arquiteto Buschiazzo em 1916.

Treze anos após a colocação da pedra fundamental, a posse definitiva ocorreu em 8 de dezembro de 1878 , com a presença do então Presidente da República, Dr. Nicolás Avellaneda, e seus ministros; o governador da província de Buenos Aires, Dr. Carlos Tejedor e as mais altas autoridades da Igreja.

 

fonte:

  • https://periodicoelbarrio.com.ar/el-templo-circular-de-belgrano/
  • http://www.inmaculada.org.ar/historia.php
  • https://www.buenosaires.gob.ar/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *