CLUBE ALEMÃO – PARTE II: A sede da Comunidade Alemã em Buenos Aires

Com 165 anos de história, a comunidade alemã na Argentina teve várias sedes em Buenos Aires. A primeira foi a sede na Av. Córdoba 731, que foi desapropriada pelo governo argentino por ocasião da Segunda Guerra Mundial. Em seguid a, seria a vez da sede localizada na Rua Arroyo 1034, que devido à ampliação da Av. 9 de Julio teve que ser abandonada em 1966.

Finalmente, o Clube Alemão estabeleceria sua sede definitiva com a construção de um moderno edifício na Av. Corrientes 327, onde destaca-se o restaurante “Zirkel” localizado no 22º andar com uma vista incrível de Puerto Madero e do microcentro portenho.

Restaurante Zirkel – Club Alemão

Av. Corrientes 327, 21º andar


No coração da Cidade de Buenos Aires, entre o Obelisco e Puerto Madero, com uma das melhores vistas de Buenos Aires, dominando a largura do Rio da Plata e o centro em movimento da cidade, está o Clube Alemão.

 

Todos os meses é preparado um menu especial em que se destaca a Burrata com tomate, presunto cru, e um mix de vegetais, ou o típico strudel de queijo com mermelada de cebola. Entre os pratos principais, é impossível faltar o Cordeiro refogado com humita e pipoca; Bondiola de cervo cozida em seu próprio caldo com risoto de parmesão; ou o Gulasch com Spätzle, entre os mais populares. Enquanto as sobremesas, destacam-se a torta de frutas e uma grande variedade de bolos.

Além disso, quem desejar, pode desfrutar de um amplo balcão ideal para o after office, assim como também de uma extensa carta de vinhos visto que o restaurante dispõe de duas caves com capacidade para mais de 400 garrafas.

Além disso, Zirkel dispõe de salas e auditórios para eventos corporativos e sociais, pelo que prestigiosas empresas e particulares organizam almoços de negócios, formações, lançamentos, apresentações, jantares de caridade e casamentos.

Clube Alemão (DK) – Deutscher Klub

Sede Original: Av. Cordoba 731


Em 1857, foi adquirida a propriedade localizada na Av. Córdoba, entre Maipú e Esmeralda, promovida por um grupo de jovens alemães ansiosos por fundar uma associação esportiva voltada para a promoção da atividade física.

Inicialmente, foram construídos um ginásio e duas quadras de boliche, e o jardim foi adornado com canteiros de flores e fontes de agua. Neste verdadeiro oásis, desenvolveu-se a vida social do Clube Alemão (DK) de Buenos Aires, que, com o passar do tempo, seus concertos e bailes se tornaram cada vez mais importantes em detrimento das atividades esportivas.

O prédio havia sido restaurado e seu grande Salão Principal com palco acolhia distintos bailes animados com as melhores orquestras da cidade. Os concertos nos jardins eram de tal categoria que na época não tinham paralelo em Buenos Aires, já que aqui se apresentavam também muitos músicos estrangeiros convidados a tocar no Teatro Colón.

O Clube Alemão seria o palco de importantes encontros sociais e culturais

Desencadeado na Europa o conflito da Primeira Guerra Mundial em 1914, as festas dançantes foram suspensas e a festa de aniversário foi reduzida a um encontro de amigos. Naquela época, o Dr. Hipólito Irigoyen, era fervoroso defensor da neutralidade argentina, apesar de Brasil, Uruguai e Bolívia terem declarado guerra ao Império Alemão.

Porém, o início da Segunda Guerra Mundial colocaria mais uma vez em xeque a existência do Clube Alemão, até porque a Argentina nesta ocasião não manteve sua neutralidade, (embora manteve até quase no fim da guerra, já que acabou aproximadamente no mês de maio, ou seja, alguns meses antes do final da guerra), em 27 de março de 1945 o país declarou guerra à Alemanha.

Em 10 de abril o status legal do Clube foi suspenso e cinco dias depois o governo argentino confiscou o prédio. Assim, após 90 anos de vida, o Clube Alemão fechava suas portas. O prédio localizado na Av. Córdoba 731 foi transferido para o Quartel General da Força Aérea Argentina, onde atualmente funciona seu Círculo de Oficiais.

O ano seguinte marcaria o retorno da democracia ao poder. O primeiro mandato presidencial de Juan Domingo Perón durou entre ( 1946 e 1952). Em 28 de junho de 1951, após longas negociações e em audiência com o Presidente Perón, os ex-associados conseguiram ter sua personalidade jurídica restaurada.

Sede Provisória: Arroyo 1034


Apesar da falta de sede, o Conselho de Administração deu continuidade à organização de eventos sociais no Alvear Palace Hotel, no Hotel Espanhol, no restaurante do Aeroporto de Ezeiza, bem como nos navios mercantes alemães que regressaram à costa argentina.

Arroyo 1034, Sede Clube Alemão

Em agosto de 1954 chegaria o pagamento da indenização, dinheiro com o qual foi adquirido um Petit Hotel localizado na rua Arroyo 1034, equipando-o como nova sede do Clube Alemão. Infelizmente, esta sede seria temporária porque a Rua Arroyo foi afetada pelo alargamento da Av. 9 de Julio. Em 1966 chegou a notícia de que a avenida seria estendida de um lado até a Av. Constitución e do outro lado até a Av. Del Libertador.

Sendo assim, a Diretoria se viu obrigada a enfrentar o problema de encontrar um lugar definitivo para a sede do Clube Alemão, com o agravamento da impossibilidade de venda do atual imóvel. Uma das possibilidades era reclamar às autoridades nacionais que a expropriação do Club da Av. Córdoba tivesse sido efetuada por um valor que não correspondia à sua importância. A oportunidade surgiu quando o então Presidente General Onganía concedeu uma audiência a representantes de instituições da comunidade de língua alemã. À parte, o Presidente do Clube disse-lhe que a DK não tinha uma sede representativa, como os clubes das outras coletividades. O Presidente, assombrado por acreditar que a sede do Clube ficava ainda na Av. Córdoba e ignorando sua desapropriação, perguntou quais eram as necessidades e desejos do Clube.

Vista do terraço do edifício de esquina Moreno e Bernardo de Irigoyen, voltado para noroeste (1945). O que está delimitado por linhas vermelhas, foi demolido para ampliar a Av. 9 de Julio

Assim foi solicitada a propriedade localizada na Av. Corrientes 327, na qual tinham sido iniciadas as obras de construção (fundações) de um prédio que havia se tornado propriedade do Exército Argentino. Demonstrando grande gentileza, o Presidente encarregou o então Comandante-em-Chefe do Exército de iniciar as negociações com o Clube Alemão. O acordo foi celebrado nas seguintes condições: o DK reembolsou ao Governo Nacional os $ 8 milhões recebidos pela desapropriação do edifício da Av. Córdoba e cedeu gratuitamente ao Ministério das Relações Exteriores aquele imóvel do Clube localizado na Rua Arroyo e recebendo em troca o novo local na rua Corrientes. O ato formal de assinatura do contrato foi realizado em 11 de junho de 1968, com a presença do Embaixador da República Federal da Alemanha, delegados do Clube Alemão e de uma importante delegação do Governo Nacional, na qual contou com o auxílio do Comandante em Chefe do Exército, o Ministro das Relações Exteriores, o Prefeito Municipal e outros altos dignitários civis e militares.

Mais uma vez obtendo um imóvel em excelente localização, mais um capítulo da movimentada vida do Clube Alemão se encerrou. Seu valor talvez não compensasse o prejuízo sofrido com a desapropriação de 15 de abril de 1945, mas lhe dava a possibilidade de construir uma nova sede de acordo com a importância e representatividade da instituição na sociedade e, em particular, da comunidade de língua Alemão.

Sede Definitiva: Av. Corrientes 327


Em posse de um terreno valioso, o Clube DK conseguiu empreender a construção de sua sede definitiva. Ele não tinha os meios financeiros para fazer isso; no entanto, conseguiu formar um consórcio de proprietários, o que lhe permitiria ter uma superfície aproximada de 2.500 m2 e um subsolo com garagens.

A torre do Clube Alemão foi construída rapidamente, entre 1970 e 1972
A Torre Club Alemán, Av. Corrientes 327

O projeto corresponde ao estúdio Mario Roberto Álvarez y Asociados, vencedor do concurso realizado pelo Clube Alemão de Buenos Aires, que procurava sua nova sede (incluindo um salão de festas), mas também um novo espaço para o Instituto Goethe, e vários andares de escritórios para alugar. Posteriormente, em uma segunda etapa, Álvarez projetou um segundo edifício inferior, que compartilha o andar térreo, mas com apenas onze andares de altura.

As comissões, como de costume, tiveram que elucidar várias questões, inclusive quantos andares seriam alocados ao Clube (cinco ou quatro). O critério que prevaleceu foi o primeiro, pois a ideia era ter salas adequadas para eventos de diversos tipos e alugá-las para garantir uma importante fonte de recursos. Ele também tinha que decidir se o Clube escolheria os andares superiores ou inferiores.

A atividade desenvolvida pela comissão encarregada da arquitetura de interiores foi importante, pois à medida que a estrutura de concreto foi crescendo, teve que determinar a distribuição e dimensão de todos os ambientes destinados à vida social do Clube, suas unidades de serviço, circulações, etc. Vale ressaltar o problema causado pela escada interna que une os cinco andares. Ela havia sido projetada pelos arquitetos com uma caixa totalmente envidraçada, o que causou polêmica dentro da comissão, pois se estimava que os usuários poderiam sofrer de vertigem. A solução foi cobrir a respectiva caixa com madeira.

A sala de estar, um dos espaços elegantes do Clube Alemão de Buenos Aires

Grande preocupação também motivou o mobiliário e decoração dos quartos. Embora ao decorar a sede na Rua Arroyo, tivesse cuidado em adquirir móveis que pudessem ser usados ​​na sede definitiva, como aconteceu, embora estes não foram suficientes. Como os fundos necessários não estavam disponíveis, foram buscadas novas fontes de financiamento.

Vale destacar a colaboração da Lufthansa Airline, que se encarregou da decoração do salão principal do 21º andar, denominado “Senator”, sendo seu estilo moderno resistido pelos sócios mais antigos e aceito pelos mais jovens.

Outro tema a ser debatido foi a designação dos salões do 23º e 24º andares. Para dar-lhes um nome, foram analisadas diferentes opções, como a de várias personalidades do meio cultural, político e social, nacionais ou de origem alemã, bem como de destacados presidentes ou associados de clube, entre outros. Para evitar discórdias, nomes de cidades, tanto argentinas quanto alemãs, foram adotados. Assim, a sala mais importante (24º andar) foi chamada de Buenos Aires, seguida em importância por Berlim, Hamburgo, Munique e Colônia.

Em 27 de outubro de 1972, o jantar de despedida foi realizado na sede da Arroyo e no dia 3 de novembro o tradicional jantar Kozel na nova sede na Avenida Corrientes. No dia 7 de dezembro foi a recepção em homenagem às autoridades nacionais, organizada com toda a formalidade do caso, para receber o Presidente da Nação.

No intuito de ativar a agenda ofereciam-se ciclos de concertos de jazz com a participação de grupos como La Porteña Jazz Band, Delta Jazz Band e a banda da empresa Lufthansa. A essas expressões musicais foram acrescentadas as do folclore, da música clássica, da música renascentista e da música moderna, como a oferecida pelo proeminente artista alemão Gerhardt Lenssen.

Aquela época foi momento de atividades conjuntas com outras instituições, como o Instituto Cultural Alemão Argentino e o Centro de Engenheiros Alemães na Argentina. Na vertente cultural, científica e desportiva, foram celebrados acordos com os Clubes de Teutónia e o Clube de Equitação Alemão, que disponibilizaram as suas instalações aos associados de DK. Além disso, manteve a tradição de receber o Embaixador da República Federal da Alemanha com uma reunião social especial, bem como numerosos parlamentares alemães, que deram palestras interessantes.

Apesar de já terem passado alguns anos desde a inauguração da sede, foram realizadas várias obras de restauração. Assim, em janeiro de 1977 teve início a instalação da sauna com seus anexos, que envolveu a remodelação do 20º andar.

Em 2001, por ocasião da  Argentina estar passando por uma de suas crises econômicas mais profundas, o Conselho de Administração deliberou em 9 de dezembro de 2002 a venda dos andares 23 e 24 do clube para a Câmara de Indústria e Comércio Argentino-Alemã.

 

Fonte:

  • https://www.clubaleman.com.ar/
  • http://cirfaa.org.ar/

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.