CLUBE ALEMÃO – PARTE I: A antiga sede do Clube Alemão expropriada pelo governo argentino durante a Segunda Guerra Mundial

Construído em 1857, este edifício serviu por 90 anos como sede do Clube Alemão. Este local sempre se caracterizou pela organização de encontros e bailes sociais e culturais no seu grande Salão Principal, animado com as melhores orquestras da cidade, bem como concertos nos jardins. A programação dos concertos era de tal categoria que não tinham paralelo em Buenos Aires na época.

O prédio foi desapropriado pelo governo argentino durante a Segunda Guerra Mundial. Em 1946 foi transferido para o Quartel General da Força Aérea Argentina onde atualmente funciona o Círculo de Oficiais.

Deutscher Klub (DK)

Clube Alemão


Foi em 1842 quando a Congregação Evangélica Alemã foi organizada dentro da comunidade de língua alemã. Naquela época, também estavam em andamento as negociações para a criação de uma obra social e de um cemitério. Um grupo de jovens, entre os quais os Srs. Siégmund Niebuhr, Otto Boodhaltz, Theodor Hoffmann e Carl Lueders, todos ex-membros do Clube de Ginástica de Hamburgo, teve a ideia de fundar uma associação esportiva voltada para a promoção da atividade física.

Naquela época, e como também em nossos dias, um empreendimento de tamanha importância vinha necessariamente acompanhado de despesas que o grupo não tinha condições de arcar. Foi assim que resolveram tentar interessar um rico comerciante, o senhor Adolfo Klengel, cujo escritório ficava na rua Reconquista. Klengel não se sentia atraído pela atividade física, mas a engenhosidade dos jovens em propor a construção de uma pista de boliche conseguiu convencê-lo. Foi assim que ele conseguiu encontrar outras partes interessadas entre os mercadores alemães. Alguns anos depois, em 14 de outubro de 1855, nasceu a Dcutscher Turnverein (Associação Alemã de Ginástica).

Os fundadores, cujo número é estimado em 80, conseguiram criar uma associação alemã, mesmo antes da existência da Alemanha como um estado integrado, enfrentando de forma decisiva a concretização do seu projeto. Para isso, alugaram um imóvel no valor de $600 mensais localizado nas ruas Viamonte e Maipú, área que, naquela época, era considerada remota. O local era ajardinado, um ginásio e duas pistas de boliche foram construídas, e o jardim foi adornado com canteiros de flores e fontes de agua. Neste verdadeiro oásis se desenvolveu a vida social do Clube Alemão em Buenos Aires (DK), que, com o tempo, foi ganhando importância em detrimento da atividade esportiva.

Av. Córdoba 731


Entre os temas de discussão do Conselho de Administração estavam, além dos problemas de seu país de origem, o confronto entre Buenos Aires e a Confederação, a instabilidade política prevalecente, a falta de cimento que era confiscado pelas autoridades para erguer defesas da cidade para a proteção de seus habitantes (algo mais de 100.000), perante ainda do frequente ataque dos índios.

Em 1857, uma propriedade foi adquirida na Av. Córdoba, entre Maipú e Esmeralda. Longe do centro, em uma rua de terra com valas de drenagem que se transformavam em verdadeiros torrentes em dias de chuva e cujo limite era um riacho na parte traseira do prédio, ainda assim possuía um galpão que poderia servir de academia e sala para diversas atividades. O preço pago foi $250.000. Para medir o esforço que esta operação deve ter implicado, consideremos que, naquela época, o ingresso para um banquete festivo custava apenas entre $50 e $100.

Bailes e concertos da alta sociedade portenha


Galeria com vista para o jardim (1920)

Por volta do ano de 1874, ocorreu uma crise econômica na Argentina que provocou uma redução considerável nas receitas do Clube. Para enfrentar o desafio de gerar fontes de renda, optou-se por organizar encontros de dança no salão animado por orquestras, além de shows nos jardins. Estas últimas eram realizadas principalmente no verão e com frequência de duas ou três vezes no ano. Com o passar do tempo, os shows tornaram-se mais exclusivos e frequentes, com os quais obtiveram arrecadações em torno de $17.000 por semestre. A programação dos concertos era publicada nos jornais, em particular no Standart, e eram de tal categoria que eram comparáveis aos do Teatro Colón, de fato muitas de suas figuras também se apresentavam na Sede do Clube Alemão.

Em 19 de dezembro de 1882, foi constituída uma Comissão de Obras para a construção de uma importante Sede Social. Em março de 1883 os prédios antigos foram demolidos e em 15 de março do ano seguinte foi realizada a festa de inauguração do novo prédio. Este consistia em:

  • quatro pistas de boliche
  • uma grande sala de estar
  • sala de bilhar
  • uma sala de leitura
  • um lounge bar

O anúncio da Prefeitura de Buenos Aires sobre a construção de uma avenida paralela à rua Flórida, entre Maipú e Esmeralda, preocupou porque significaria a demolição do clube. Embora este projeto não tenha sido executado naquela oportunidade, o fato sim aconteceu várias décadas depois, quando a atual Av. 9 de Julio foi ampliada, que afetou a sede de Arroyo.

Em 1902, um dos quatro campos de boliche foi adaptado para a prática de mais uma nova modalidade da época: o Tiro ao Alvo. Por outro lado, o que havia caído em desuso era a sala de ginástica, então todos os seus equipamentos e instalações foram doados para a Escola Germânia, e esta sala foi convertida em um Salão de Baile.

Em 1904, os sócios receberam uma notícia avassaladora. A Av. Córdoba onde se localizava a sede seria alargada, perdendo-se 7,5 m de sua frente, o que ocasionou a desapropriação dessa faixa afetada e a perda de toda a sua fachada. Projeta-se então a construção de um novo prédio, no mesmo local, iniciando-se as demolições em 1907.

Arquiteto Carlos Nordmann

O projeto esteve a cargo do arquiteto Hans Schmitt (1856-1909), que chegou a Buenos Aires em 1883, ele projetou um número significativo de edifícios e casas de aluguel que, infelizmente, a maioria delas hoje estão demolidas. O Clube Alemão foi sua última obra que ficou inacabada após sua morte repentina, encarregando-se de sua conclusão o arquiteto Carlos Nordmann, membro fundador da Sociedade Central de Arquitetos, nascido e formado na Alemanha, Nordmann foi um dos profissionais preferidos dos clientes mais ricos da época, como as famílias Tornquists ou Santamarinas.

Neste novo edifício, decidiu-se expandir o Salão Principal e dotá-lo de palco. A nova sede permitiria a realização de um grande número de encontros sociais e culturais organizados pelas representações diplomáticas da Alemanha e da Áustria, animadas com as melhores orquestras da cidade.

Com o tempo, a DK foi construindo seu patrimônio artístico graças às generosas doações de seus associados (pinturas, obras de arte, bronzes, mármores, etc.), especialmente por um membro ilustre: Friedrich Kozel, em homenagem a quem anualmente realiza o evento/jantar Kozel.

Primeira Guerra Mundial


O início das ações militares da Primeira Guerra Mundial causou a renúncia de vários associados não alemães. Desatada a luta, as reuniões de dança foram suspensas e a festa de aniversário reduzida a uma reunião de amigos. Chegamos assim ao fatídico ano de 1917, quando governava o Dr. Hipólito Irigoyen, fervoroso defensor da neutralidade argentina, apesar de Brasil, Uruguai e Bolívia terem declarado guerra ao Império Alemão.

Em abril daquele ano, foi divulgada a notícia do naufrágio no oceano Atlântico do navio argentino Monte Protegido, presumivelmente por um submarino alemão. Este fato originou uma crise diplomática entre os dois países. Como resultado, o embaixador alemão teve que deixar a Argentina, o que gerou um forte sentimento anti-alemão na população. No entanto, apesar de tudo, o presidente argentino continuou a manter sua determinação de neutralidade.

No entanto, os ânimos ficaram convulsionados, em 12 de setembro de 1917 ocorreu o ataque por parte de um grupo de pessoas que invadiu a propriedade e causou um incêndio no porão e nos quartos que davam para a frente da sede. As ações dos funcionários e associados permitiram que as perdas não fossem totais.

As obras de restauro demoraram muito, só em Abril de 1921 o edifício voltou a ser apresentado em todo o seu esplendor e assim, durante a década de 1920 voltaram os habituais encontros sociais, almoços, jantares de gala e os famosos bailes, desta vez ao ritmo de tango junto ao glamour de uma nova geração. Recitais de música clássica também foram executados por figuras renomadas que participaram das temporadas do Teatro Colon. Em 1928, Sua Alteza Real Dr. Luis Fernando de Prusia e mais tarde a Princesa Cecilia foram recebidos.

O início da Segunda Guerra Mundial colocaria mais uma vez em xeque a existência do Clube Alemão, até porque a Argentina nesta ocasião não manteve sua neutralidade, (embora manteve sim até quase o fim da guerra, no mês de maio), em 27 de março de 1945 o país declarou guerra à Alemanha. Edelmiro Julián Farrell era então presidente, um militar e ditador argentino que serviu como presidente da República Argentina, governando de 1944 a 1946, não tendo sido eleito por cidadãos argentinos e recebendo o cargo do anterior governante militar, Pedro Pablo Ramírez.

Em 10 de abril o status legal do Clube foi suspenso e cinco dias depois o governo argentino confiscou o prédio. Assim, após 90 anos de vida, o Clube Alemão fechava suas portas. O prédio localizado na Av. Córdoba 731 foi transferido para o Quartel General da Força Aérea Argentina, onde atualmente funciona seu Círculo de Oficiais.

Sede Central do Círculo da Força Aérea


Atualmente a Sede dispõe de salas de leitura, salas de entretenimento, serviço de bar, completando os seus serviços com as seguintes prestações: Assistência Médica e Odontológica, Cabeleireiro, Ginásio, Sauna, Jaula de Golfe e Salas para Eventos. Através de um magnífico jardim tem saída pra Rua Paraguai, onde se encontra a entrada das garagens (Paraguai 746), com estacionamento em três níveis.

O prédio foi desapropriado pelo Círculo da Força Aérea durante o período da Segunda Guerra Mundial e ainda está nas mãos dessa força. O seu piso superior foi alterado, no que é hoje uma varanda com balaústres existia uma mansarda e no corpo central onde se encontra a varanda principal existia outro piso, onde a a cobertura do edifício foi eliminada.

Em 4 de janeiro de 1945, a Força Aérea Argentina tornou-se a terceira força armada nacional, junto com o Exército e a Marinha. Logo surgiu a necessidade de se criar uma “instituição social aeronáutica” semelhante às suas congêneres do Círculo Militar e do Centro Naval.

Assim, em 17 de maio de 1946, nasceu o Círculo de Aeronáutica, criado com o propósito de assegurar as atividades sociais, culturais, turísticas e esportivas do Pessoal Superior Militar junto com suas respectivas famílias.

A inauguração oficial ocorreu em 4 de junho de 1946, com uma gala oferecida ao então Presidente da Nação, General D. Juan Domingo Perón. A noite contou com a presença de ministros e secretários de Estado, delegações estrangeiras, corpos diplomáticos, legisladores e autoridades nacionais.

Junto com a inauguração da sede social, foi habilitada a sede esportiva do município de Vicente López, que pertencia à antiga Sociedade Alemã de Ginástica.

A Sede possui uma cozinha totalmente equipada que oferece excelentes serviços gastronômicos, tanto no refeitório principal como no pátio. No inverno, também tem um confortável bar que tem uma grande variedade de bebidas.

Deve-se destacar que o Círculo abriga a Biblioteca Nacional de Aeronáutica, a mais importante do gênero no país, que ao mesmo tempo, tem promovido a publicação de numerosos livros, como os que compõem a Coleção Aeronáutica e Espacial Argentina. Durante vários anos, foi o responsável pela edição da Revista Nacional de Aeronáutica, hoje Revista Aeroespacio.

 

Fonte:

  • https://www.clubaleman.com.ar/
  • http://cirfaa.org.ar/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.