Capela do Bom Jesus da Pobreza, Tiradentes (MG) – Parte I: Marcada pela sua simplicidade a construção data da segunda metade do século XVIII

A Capela do Bom Jesus da Pobreza, ou Bom Jesus Agonizante, com aparência modesta em relação ao conjunto arquitetônico da cidade marca o Largo das Forras. Está entre bares e restaurantes e dá certo ar colonial à Praça. A história da igreja é bastante incerta, devido à falta de documentos sobre a construção. Acredita-se que ela date da segunda metade do século XVIII, construída no período entre 1771 e 1786. A igreja tem estilo barroco-rococó, e o interior é marcado pela imagem de um Jesus Cristo agonizante em meio a um altar de madeira com pinturas florais coloridas.

Historia da Capela


A Capela do Senhor Bom Jesus da Pobreza, cujo nome originou-se provavelmente da igreja do mesmo orago em Évora, Portugal, está localizada no antigo “Largo das Rua das Forras”, hoje praça principal da cidade.

Capela do Senhor Bom Jesus da Pobreza, Largo das Forras, Tiradentes (MG)

A documentação sobre esta Capela é muito escassa, o que torna impossível compor a história do monumento. Sabe-se que foi construída, certamente em pagamento a uma promessa, pelo Capitão-mor Gonçalo Joaquim de Barros, que, em 1801, encaminha à Coroa Portuguesa uma petição para provisionar a construção do templo, embora sua construção seja muito mais antiga. Presume-se que a capela tenha sido construída em 1771, conforme a data que até bem poucos anos achava-se pintada no frontão. Outra data, 1940, inscrita na fachada, indica a realização de ampla reforma. O certo é que, conforme se infere do livro de Receita e Despesa da Irmandade do Santíssimo, a construção do pequeno templo terminou em 1786.

Fachada


A capela tem dimensões modestas e linhas simples, com um corpo principal e uma extensão à direita com telhado em uma água, que serve de campanário com dois sinos pequenos.

A porta tem arco abatido, junto à esquadria vieram da demolição do sobrado do Largo das Forras, onde hoje é o hotel Ponta do Morro. Em 1954, a soleira da porta principal foi cortada rente à porta pelo vigário, que tentava impedir que os fiéis se sentassem à soleira. No ano seguinte, foi restaurada pelo IPHAN.

No nível superior se abrem duas janelas com balaustradas e arcos abatidos, com um óculo redondo e cego entre elas, onde antigamente existia uma pintura representando os cravos que pregaram Jesus. Uma cimeira coberta de telhas separa o frontão em estilo Joanino simplificado, com um óculo redondo ao centro, volutas apenas esboçadas nas laterais e uma cruz no topo.

A capela tem fachada caprichosa com porta única, almofadada, duas janelas à altura do coro, cimalha escalonada e frontão curvo recortado, ladeado por pináculos e centrado por óculo. Um puxado lateral abriga a sineira. A planta é simples com apenas uma nave. No plano superior o acesso ao coro também serve de sineira. O coro é definido por balaustrada torneada setecentista.

A fachada apresenta frontão recortado em curva ladeado por pináculos, pequeno óculo e duas janelas rasgadas no coro, além de pequeno círculo onde se encontrava a pintura dos três cravos de Cristo, hoje desaparecida. Dois pináculos se assentam nas extremidades do frontão, alinhados às pilastras.

O retábulo em madeira lisa, recortada, compõe de nicho central com trono onde se destaca a bela imagem do Bom Jesus e dois pequenos nichos laterais com as imagens setecentistas de Santa Rita e Nossa Senhora do Patrocínio, obras de grande valor.

Altar-mor da capela

A decoração da Capela é bastante singela, resumindo-se apenas a um retábulo de madeira recortada com dois nichos laterais, um gradil torneado no coro, e duas pias de água-benta em pedra-sabão. A imaginária se restringe à imagem do Bom Jesus, de excelente qualidade escultórica, Nossa Senhora do Patrocínio, Santa Rita e Nossa Senhora da Conceição, todas setecentistas, e uma interessante imagem de barro de São Geraldo feita por uma artista local no início do século.

Restauração


No início da década de 1940, foi promovida ampla reforma no templo, com introdução de uma porta lateral e criação de um pátio; substituição dos assoalhos, feitura de novo presbitério em cimento e ladrilho hidráulico, além de novas pinturas no retábulo, paredes e nichos feitas por Francisco Cezário Coelho. Nesta época foi colocado um painel no forro representando o Pai Eterno.

Na década de 50, o IPHAN empreendeu ampla restauração na capela, que incluiu a substituição do guarda-corpo de cimento das janelas do coro por balaústres de madeira torneada, das telhas marselhesas da cimalha por telhas canal, reconstrução da soleira da porta principal e caiação de branco das paredes internas, encobrindo a decoração floral.

Em 2007 a capela foi restaurada por intermédio da equipe de obras do Iphan em Tiradentes, em colaboração com iniciativa particular, paróquia e prefeitura municipal. Em trabalho integral de restauro, foi consolidada a estrutura, com costura das taipas, restauração do telhado, com substituição de madeirame comprometido e de metade das telhas; substituição de beirais de cachorros, substituição total dos forros da nave, sacristia e coro, substituição do assoalho da nave e do coro, restauração das esquadrias originais, da balaustrada do coro.

O retábulo teve as peças de suporte substituídas e as tábuas consolidadas. A pintura branca foi removida, deixando a vista a pintura “de forma” datada de 1941. Ainda foi feita drenagem no pátio, elevação do adro e tratamento paisagístico do pátio.

As imagens do Bom Jesus, Santa Rita, Nossa Senhora do Patrocínio, São Geraldo, o painel do Padre Eterno e frontal do altar foram restaurados pela empresa Anima dos restauradores Carlos Magno Araújo e Edmilson Barreto Marques. Passou por restauração e limpeza os dois sinos de origem setecentista assim como lampiões do século XIX. Ainda foi realizada toda a pintura interna e externa do templo, como o revestimento das calçadas laterais e frontal e instalação de nova escada de acesso à sacristia, demolida em 1967. O monumento recebeu novas instalações elétricas, como novos pontos de luz e instalação de novo lustre.

 

fonte:

  • http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/377/
  • https://www.villaalferes.com.br/igreja-bom-jesus-da-pobreza
  • http://portal.iphan.gov.br/noticias/detalhes/1943/capela-do-bom-jesus-da-pobreza-e-devolvida-a-comunidade-de-tiradentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *