A Basílica Nossa Senhora do Socorro – Parte I: A igreja da colónia que acolheu ao Cristo Senhor dos Milagres em Buenos Aires

Na periferia da cidade, ao norte, havia um oratório denominado “dos pescadores”. Nessa área, em 1750, o espanhol Alejandro del Valle doou um terreno para a construção de um templo dedicado a Nossa Senhora do Socorro. Em 1769, essa igreja foi nomeada vice-paróquia da Catedral, e uma paróquia foi erguida em 25 de março de 1783. O templo foi consagrado em 20 de maio de 1896 pelo Arcebispo de Buenos Aires, Uladislao Castellano. E pouco depois, em 12 de fevereiro de 1898, o Papa Leão XIII a declarou Basílica Menor, sendo o primeiro templo em nosso país a alcançar esta distinção eclesiástica.

As primeiras paroquias de Buenos Aires


Em princípio, em 1769, ainda não existia o Vice-Reino do Rio da Prata pois ainda fazia parte do Vice-Reino do Peru. Liderado pelo  vice-rei Don Manuel Amat y Juniet. O Rei da Espanha, Carlos III. O Governador do Rio da Prata era Dom Francisco de Paula Bucarelli y Ursúa. E o Bispo de Buenos Aires, Manuel Antônio de la Torre quem chegou a Buenos Aires em 1765, um homem empreendedor que imediatamente começou a encorajar a comunidade a construir novos templos: os bairros vizinhos construíram gradualmente Nossa Senhora da Piedade, Nossa Senhora de Montserrat e Nossa Senhora do Socorro.

Em 1769, o aumento populacional experimentado por Buenos Aires e outras circunstâncias se juntaram para realizar o oportuno projeto de divisão eclesiástica em várias paroquias dentro da cidade. Os censos populacionais eram uma prova palpável dessa necessidade: no censo de 1738 eram 4.436 habitantes, e no de 1744, 16.150, 70% na cidade e 30% na campanha. Em 1760, já havia mais de 20.000 habitantes.

Em 1769, a Igreja do Socorro localizada fora dos muros da cidade foi declarada vice-paróquia da Catedral.  A Capela do Socorro era propriedade de Dom Alejandro Valle e devido a problemas de contencioso dos direitos de propriedade de seus herdeiros, teve que demorar para ser proclamada paróquia até o ano 1783.

As novas freguesias foram delimitadas nesta ordem:

  • 1) SAN NICOLÁS DE BARI
  • 2) NUESTRA SEÑORA DE LA PIEDAD – Ex propiedade do português Manuel Gómes (está ainda no seu sitio original), entre as ruas Hipólito Irigoyen a Paraguai.
  • 3) NUESTRA SEÑORA DE MONTSERRAT,
  • 4) NUESTRA SEÑORA DE LA CONCEPCIÓN do Alto de San Pedro

En 1783 abriu-se por fim a quinta paroquia de Nuestra Señora del Socorro e foi erigida como freguesia beneficiando assim os residentes do bairro que, impedidos de circular em dias de chuva, muitas vezes não assistiam à missa. O padre D. Félix Soloaga, que serviria até 1792, foi nomeado à sua frente.

O Cristo Senhor dos Milagres


A igreja está localizada entre as ruas Suipacha e Juncal. Instalados no Bairro de Retiro, os paroquianos da Paróquia Nossa do Socorro ali se reuniram.

Em Buenos Aires havia uma pequena capela chamada “Capela dos Pescadores” que ficava às margens do Rio da Plata. onde os vizinhos se reuniam para rezar. Em 1750, o vizinho Alejandro del Valle, um cavaleiro espanhol residente no Buenos Aires, doou o terreno atual para construir um templo maior com a condição de que fosse dedicado a Nossa Senhora do Socorro, da qual ele era um devoto fervoroso.

No Bairro de Retiro naquela época, o casal Estanislao Rivero e Ana Basualdo adquiriram de um camelô uma bela imagem de Jesus Crucificado que ele carregava descuidadamente em sua carruagem. Aparentemente, o dinheiro não dava para pagá-lo, por isso eles solicitaram ajuda ao bairro, que de bom grado os ofereceu. A imagem sagrada foi colocada em um nicho, dentro da humilde casa do casal. e os vizinhos começaram a vir até ela para implorar suas graças e brindar seus agradecimentos. Primeiro, os moradores, que colaboraram com a compra alias houve tantos participantes e e tantas oferendas que eles decidiram comprar o terreno vizinho. Começaram então a construir ali uma capela para o culto da imagem. Ficava na esquina das atuais ruas Cerrito e Santa Fé, sendo esta a primeira Capela dedicada ao Senhor dos Milagres.

Diz a lenda que um doente foi curado invocando a proteção do Senhor dos Milagres. A notícia se espalhou para as aldeias vizinhas. Assim, a capela era visitada diariamente por dezenas de peregrinos que deixavam esmolas para os Basualdos. Esta pequena capela logo se tornou um Santuário, gente vinda de toda parte, por causa da fama das maravilhas que se realizaram.

O Cristo chega ao Altar


O padre Manuel Ochagavía, então pároco de Socorro, ao saber do culto que era prestado ao Senhor na casa do Rivero, consultou o Bispo sobre a conveniência de propor aos titulares da imagem a transferência da mesma para a Igreja paroquial. A imagem sacra levada em procissão foi colocada em um pequeno nicho próximo ao altar-mor, em 14 de setembro de 1803, festa da Exaltação da Cruz.

Ele foi colocado em um nicho próximo ao Altar-Mor. A imagem foi deixada aos cuidados de Juana Rodriguez, neta daquele que havia doado o terreno para a construção do templo.

A fachada


Em 1854, o templo foi demolido. Mas um novo templo foi construído no mesmo local e inaugurado em 1855. Posteriormente ampliado em 1864, nos corredores laterais, o transepto e a cúpula que foram adicionados até adquirir a sua aparência atual no final do século 19, com a conclusão das torres que ladeiam o pórtico central em 1896.

 

Acima das colunas o detalhe do capitel coríntia na fachada

Como este culto não era canônico, em 1848, o pároco Francisco Villar pediu ao então Arcebispo de Buenos Aires, Dom Mariano Escalada, que solicitasse a Roma a autorização para prestar culto canônico e público ao Senhor de los Milagros. Em 7 de abril de 1865 o papa Pio IX  autorizou o referido culto.

O pároco Francisco Villar, vendo a imensa congregação que se dirigia a ela, empreendeu as obras de um novo templo. Ele demoliu a anterior que se estendia das atuais portas de acesso à terceira arcada interna, chegando ao que hoje é o transepto. A inauguração ocorreu em fevereiro de 1855.

Em 1871 foi nomeado padre José Apolinario de Casas que durante os 61 anos do seu ministério (1871-1932) realizou grandes trabalhos pastorais e materiais, entre os quais podemos destacar: um novo altar para o culto do Senhor dos Milagres. Em 1877, graças a ele, foi fundado o Apostolado da Oração e em 1891 a Associação do Senhor dos Milagres.

O templo foi consagrado em 20 de maio de 1896 pelo Arcebispo de Buenos Aires, Uladislao Castellano. E pouco depois, em 12 de fevereiro de 1898, o Papa Leão XIII a declarou Basílica Menor, sendo o primeiro templo em nosso país a alcançar esta distinção eclesiástica. O mesmo papa autorizou a coroação da imagem do Senhor dos Milagres.

Pela data conclui-se que, embora Leão XIII tenha autorizado a coroação, esta ocorreu, no entanto, durante o pontificado de seu sucessor, já que Leão XIII faleceu em 20 de julho de 1903 e Pio X foi eleito em 4 de agosto. Por isso, homenageia também a Pio X com a exibição de suas armas pontifícias no vitreaux do portal de entrada principal.

A imagem foi coroada em 13 de setembro de 1903. A cerimônia aconteceu na Catedral Metropolitana e terminou com uma impressionante procissão até á Igreja do Socorro.

A devoção que toda a República Argentina professa ao Senhor dos Milagres é extraordinária, e as festividades que se realizam anualmente em sua homenagem são extremamente populares. As Festas do Santo Padroeiro correspondentes a Nuestra Señora del Socorro (13 de setembro) e a procissão solene correspondente ao Señor de los Milagros, em 14 de setembro.

Atrio


No início da década de 1990, foi colocada no átrio “La Piedad”, grupo escultórico doado pela família de pe. Ernesto Mai, abençoado em 14 de setembro de 1992 pelo Arcebispo de Buenos Aires, Cardeal Antonio Quarracino. Além disso, são realizadas importantes obras de restauro e manutenção do Templo e da Casa Paroquial.

Grupo escultórico imagem “La Piedad”, no atrio da igreja

 

Abrigo Monsenhor Albisetti


A casa Monsenhor Albisetti oferece abrigo, alimentação e ajuda espiritual aos sem-teto que buscam reconstruir suas vidas, é a única do tipo que oferece apoio psicológico e espiritual.

Uma vez por semana, os alojados têm uma conversa de autoajuda juntos, acompanhados por um psicólogo; outro dia eles compartilham um festival de musica folclórica, e pra quem quiser, uma conversa de espiritualidade com o padre.

A casa de Monsenhor Albisetti tem capacidade para 20 homens, os reclusos não podem ficar mais de 45 dias. Actualmente reciben alrededor de 70 personas en el comedor.

Muitos dos convidados que recebem são estrangeiros ou pessoas do interior do país que vêm a Buenos Aires com a ideia de procurar trabalho. Também “os novos pobres”. São pessoas de classe média que perderam a possibilidade de alugar um apartamento ou de pagar por um quarto e se encontram em situação de rua, em decorrência da crise econômica, da falta de crescimento econômico e de possibilidades.

Cáritas


Em 1950 nasceu a Cáritas International. Na reunião da Conferência Episcopal Latino-Americana de 1955 no Rio de Janeiro, o Bispo Bayer, secretário-geral da Caritas, convidou todos os bispos a fundar sua Caritas. Hoje é uma das maiores redes humanitárias do mundo, reunindo mais de 200 países.

Cáritas Argentina é o órgão oficial da Igreja Católica que visa beneficiar as pessoas e comunidades mais pobres e marginalizadas.

Em 1969 foi realizado o Primeiro Encontro Nacional de Cáritas na Argentina, em Villa Carlos Paz (Córdoba). Em meados da década de 1970, grande parte das energias da Caritas foi para a ajuda imediata, especialmente através da doação de alimentos, remédios e roupas, como era o caso da maioria das Caritas na América Latina.

Em 1986 a Conferência Episcopal aprovou os atuais Estatutos da Cáritas Argentina como órgão eclesial que coordenará a ação caritativa oficial da mesma. A Caritas Argentina está atualmente trabalhando ativamente nas 66 Dioceses da Igreja Argentina, canalizando sua ação através de mais de 3.500 paróquias, capelas e centros missionários. Graças ao compromisso solidário de toda a sociedade e ao esforço diário de mais de 32.000 voluntários, o trabalho da Caritas atinge 3.000.000 de pessoas em todo o país.

Na Argentina, Cáritas foi reconhecida em 1998 pela Fundação Konex com o maior prêmio concedido pela instituição, o Konex de Brillante, à instituição mais importante do país na última década.

Uma das maneiras pelas quais ele ajuda a comunidade é recolhendo roupas usadas para dar aos mais necessitados; até mesmo alimentos não perecíveis são coletados

O financiamento da Caritas vem de doações em dinheiro e em espécie. Em outubro de 2012, Amancio Ortega doou 20 milhões de euros à Cáritas Espanhola, a maior contribuição privada que já recebeu em sua história.

Na Argentina, o mítico local de boxe “Luna Park”, palco de inúmeros eventos e espetáculos artísticos, foi fundado por Ismael Pace e José Lectoure em 1931. Ernestina Devecchi Lectoure, que a administrou por mais de cinco décadas, em 2013 doou 95% do pacote de ações à Arquidiocese de Buenos Aires (Cáritas) e aos Salesianos de San Juan Bosco.

 

fonte:

  • http://www.basilicadelsocorro.org.ar/resena
  • http://www.cienciayfe.com.ar/parroquias/imagenxiglesia.php?numeroparroquia=5
  • https://www.lanacion.com.ar/sociedad/un-hogar-para-los-que-no-tienen-techo-nid118553/
  • http://www.acciontv.com.ar/soca/notas/varios6/iglesia.htm
  • https://www.caritas.org.ar/historia/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *