Bares Notables de Buenos Aires: O Bairro de Almagro

Almagro é como um dos mais tradicionais da cidade e intimamente relacionados ao tango e aos cafés típicos de Buenos Aires. Muitos dos grandes nomes do tango circulavam por suas ruas e bares, e tem o privilégio de ser o primeiro palco que Carlos Gardel ouviu cantando em um bar localizado na Avenida Rivadavia 3824. Também neste bairro se encontra a Casa Salesiana Pío IX onde ele estudou.

Devido à proximidade do bairro de Almagro com o vizinho Mercado do Abasto, o cantor Carlos Gardel era um visitante frequente de seus bares. Em 1930, gravou um tango chamado Almagro, com letra de Iván Diez e música de Vicente San Lorenzo.

El Banderin

Guardia Vieja 3601, bairro de Almagro


O belo cartaz fileteado na placa da fachada indica que o café tem mais de 70 anos e, ao entrar, parece que o tempo não teria passado. Os elementos e costumes são mantidos intactos, e o som do tango nos transporta á atmosfera de Buenos Aires da década de 1930.

O bar foi declarado “Bar Notable” em 2004

A cena confirma o mito que circula em Almagro: na esquina das ruas Guardia Vieja e Billinghurst ganharam seu selo de “notável” graças ao calor do seu povo, começando com seu proprietário, Mario Riesco. Don Mario, fã de River e socio do clube por toda a vida desde 1944, passa as tardes compartilhando conversas com clientes que vêm ao bar procurando seu café em jarrita ou as tradicionais picadas de embutidos (fiambres) ibéricos.

Antigo armazém de Don Mario

Don Mario lembra-se de andar entre as mesas deste café desde que se lembra. Na infância ajudava a seu pai, quando as instalações ainda funcionavam como um bar-armazém sob o nome de “El Asturiano Provisiones y Fiambrería”. Naqueles anos, o local era um desfile de tangueros, incluindo Aníbal Trolio e Carlos Gardel. “A mãe de Carlitos comprava e assentava os gastos em aquelas famosas “libretas” onde todos os vizinhos assentavam suas compras e pagavam a fim de mês, e o próprio Gardel veio tomar café várias vezes”, diz ele.

No final dos anos 50, Don Mario assumiu o negócio, depois a invasão dos supermercados o forçou a fechar a parte do armazém e ficou funcionando exclusivamente como bar. Foi nessa época que ele começou a pendurar sua coleção de mais de 500 galhardetes (banderines) nas paredes e renomeou o bar com o nome com o qual é reconhecido hoje: El Banderin.

Don Mario diz que tudo começou com o clube dos seus amores, River Plate. Mas com o passar do tempo, ele abriu sua coleção para o restante das equipes locais e, graças a um amigo que viajava para o exterior, aumentou sua coleção com cópias de todo o mundo. “Muitos estrangeiros que visitam o bar me enviam um pelo correio quando retornam aos seus países”, diz ele. De uma viagem a Brasil ele trouce muitos mais também.

Silvio, terceira geração dos Riesco

“Meu filho já trabalha comigo e eu adoraria que um dia meu neto pudesse herdar esse lugar que me deu tanta felicidade”, conclui. Personalidades como Luis Angel Firpo, Pascual Pérez, Juan Manuel Fangio se juntaram à clientela do bar.

“Tudo começou com meu avô. Os “banderines” chegaram com meu pai, assim como o nome atual, mas o futebol já tinha um lugar preferencial nas reuniões das mesas. Os clientes conversaram e discutiram sobre seus equipes. Sua fama atraiu até jogadores famosos, como foi o caso de Adolfo Pedernera ou Charro Moreno, dois dos membros da mítica ‘Máquina’ multicampeao de River”, conta Silvio, terceira geração dos Riesco.

El Boliche de Roberto

Bulnes, 331, Almagro


Almagro é um bairro de boas opções, todas elas atendendo a proposta de fugir das tradicionais casas de Tango e vivenciar uma experiência verdadeira. Não espere jantar, bailarinos coreografados. O bar é um típico boteco portenho, meio decadente, onde se ouve tango ao vivo a la gorra (onde os músicos passam o chapéu), pois não se paga ingresso, e não é preciso fazer reserva previa.

Atualmente é conhecido como Bar de Roberto/El boliche de Roberto/Lo de Roberto

Anteriormente denominado “12 de Octubre”, em referência à data de inauguração da Praça Almagro, que se situa nas suas proximidades, o local recebeu um diploma de reconhecimento do Museo de la Ciudad por ter conservado a estética do ambiente fundado em 1893, e foi declarado “Bar Notavel” com aquele antigo nome que tinha desde finais do século 19.

Lá rola uma espécie de “roda de tango”. Primeiro cantam os mais jovens. Mas tarde  pela meia-noite a coisa esquenta e chega a velha guarda que toma conta do pequeno palco.  Não existem microfones nem amplificadores na hora do show. Todos cantam a capela acompanhados por dois vilões e um bandoneon e a plateia ajuda nas canções mais conhecidas. Parece um grupo de amigos se divertindo.

Em 1923, a propriedade foi adquirida por Francisco Pérez, um imigrante asturiano. Por volta de 1960, Francisco passou o mando para seus filhos. Jorge passa a cuidar do armazém e Roberto do bar. Pouco a pouco, o nome 12 de Outubro, embora continue a ser chamado assim, deu lugar ao de Bar de Roberto. Os frequentadores passaram a chamá-lo de “lo de Roberto” em alusão ao proprietário, Roberto Pérez. 

O Boliche de Roberto está localizado na rua  Bulnes 331, a um quarteirão de outro bar de valor patrimonial, El Banderín, (Guardia Vieja 3601, esquina de Billinghurst), no coração de Almagro, assim como também da mítica Milonga La Catedral (Medrano y Sarmiento) a 300 mts.

El Símbolo 

Corrientes 3787, bairro de Almagro


A história do café bar remonta a 1954, nasceu como anexo na frente de uma casa.  A partir daí, começa com sorvete e laticínios naquele momento. Depois, acrescentaram a cafeteria, a Ginebra, a Grapa, a Hesperidina, bebidas alcoólicas da época por excelência. É um lugar que fica a cinco quarteirões do antigo Mercado do Abasto, hoje convertido em um enorme Shopping Center. Mais tarde, nos anos 70, uma família de imigrantes espanhóis assumiu o local e adicionou refeições típicas espanholas. O bar durou até o início dos anos 80. Eles moravam na parte de trás do negócio, eles cozinhavam em sua própria cozinha e serviam ao público.

Em um dos balcões, uma enorme máquina registradora ficou paralisada para sempre quando os números discaram 6666666.66

Com a chegada da democracia em 1983, o estabelecimento é adquirido por um grupo de pensadores que fizeram lá cafés literários, debates políticos, onde os pensadores se encontraram para resolver o mundo. Eles duraram até o final dos anos 90. A gente chegou no ano de 1999 como “El Símbolo”, diz Roberto dono do local.

El Símbolo é um bar de Buenos Aires genuíno, sem cosméticos, ele cumpre todos os requisitos do típico bar de Buenos Aires porque foram sues clientes os que fizeram isso, ele é a cara daqueles “Bares Notaveis” feito a pedido e a medida das pessoas que moram em Almagro.

Cada parte da decoração mostra uma história, os objetos em exibição são de diferentes períodos e cada um tem sua história. Por exemplo, a bandeja usada na inauguração que estava passando pelos diferentes proprietários a traves da historia, até hoje ela fica dentro de uma vitrine, como um troféu do tempo está exposto em uma das paredes do bar.

 

fonte:

  • http://elbanderin.com.ar/
  • https://www.lanacion.com.ar/
  • https://original.revistaelabasto.com.ar/

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *